Parentes de políticos também não podem legalizar dinheiro sujo mantido no exterior

A Câmara dos Deputados aprovou na noite desta quarta-feira emenda para proibir parentes de políticos de aderirem à segunda etapa do programa de repatriação de recursos mantidos ilegalmente no exterior. O texto-base do projeto abrindo novo prazo para o programa tinha sido aprovado mais cedo, proibindo apenas os políticos de participarem do programa.

Na primeira etapa do programa, tanto políticos quanto seus parentes eram proibidos de regularizarem ativos mantidos ilegalmente no exterior. Durante a primeira votação no Senado do projeto, contudo, senadores aprovaram a permissão para os parentes. Na votação de ontem, na Câmara, deputados aprovaram emenda do PCdoB e derrubaram a autorização. Agora, tanto políticos quanto seus parentes estão proibidos de aderir.

Um comentário:

Anônimo disse...



Mas quem disse que politico corrupto, coloca o patrimônio em nome de parentes?

É para isto que existem as laranjas no sitio.