Judiciário e Tribunal de Contas estão, agora, dispostos a discutir repasse do duodécimo

O presidente do Tribunal de Contas do Estado, Marco Peixoto, afirmou ontem que está disposto a rediscutir com o governo Sartori os repasses do duodécimo aos poderes. Assegurou, ainda, que o Judiciário também estaria solícito.

O desembargador Túlio Martins confirmou a informação de Peixoto e disse que existe a disposição para um debate, mas que um possível acordo deveria assegurar “minimamente a capacidade de funcionamento” do poder.

7 comentários:

Anônimo disse...

Ué, parece que caiu a ficha desse pessoal. Antes tarde do que nunca, apesar da já severamente manchados pela posição corporativista e insensível até aqui adotada.Os que mais podem, são os que de nada abrem mão. Odiosa atitude até aqui.

Anônimo disse...

Solicito uma ova, tem é que colaborar com o povo e o estado do RGS pois se a coisa encrespar não vai ter para ninguém. E a Assembleia? vai sair da zona de conforto e ajudar também?
Joel

Rafael disse...

Executivo representa mais de 92% do custo....com mais dinheiro, acham que todos problemas serão resolvidos?
Executivo simplesmente não sabe gerir, só vão gastar mais, prejudicando os outros Poderes, isso que vai acontecer.

Anônimo disse...

Não acredito nisso.
É pura balela demagógica.
Vindo de quem fez todo aquele loby na assembléia,lobo sempre lobo.
São leitões que mamam deitados nas tetas do dinheiro público.
Jamais se entregarão.
Aguardemos.

Anônimo disse...

Essa mudança du Judiciário e do TCE é motivada pela força tarefa do governo federal que vai analisar as contas dos três poderes no RSS. Somente por isso e nada mais.

Anônimo disse...

A crise atingiu todos os mortais. Os imortais recebem dos impostos dos mortais. Então tem de conformar-se pois a crise chegou até eles, com menor intensidade é verdade, mas chegou.

Anônimo disse...

Quanto o Peixoto vai mexer na dívida ativa do estado ?