segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Embora o TCU tenha dito não, o governo federal segue pensando na Transnordestina

Apesar de o Tribunal de Contas da União ter recomendado ao governo federal não mais repassar recursos para a construção da ferrovia Transnordestina, entre Piauí, Ceará e Pernambuco, a obra segue na pauta do Palácio do Planalto.

Esta tarde, foi centro de uma reunião entre os ministros Eliseu Padilha (Casa Civil), Dyogo Oliveira (Planejamento), Maurício Quintella (Transportes) e Helder Barbalho (Integração Nacional).

Na próxima quarta, Padilha receberá os governadores Wellington Dias (PI), Camilo Santana (CE) e Paulo Câmara (PE) justamente para tratar da retomada da construção da ferrovia que, antes de ser paralisada, ficou em obras por 11 anos, já recebeu R$ 6,3 bilhões e ainda está longe de ser concluída.

6 comentários:

Emmanuel Carlos disse...

Imagino quantos DESVIOS serão necessários para concluir a obra!!

Anônimo disse...

E a Transsulina?

Anônimo disse...

Qual o objetivo dessa Transnordestina ? Não seria mais importante fazer uma autoestrada, uma AUTOBAN, entre as regiões sul , sudeste e centro-Oeste ???

Anônimo disse...

Que perigo esse assunto na mão do Padilha...

Paulo Sergio da Veiga Rocha disse...

O Emmanuel Carlos disse tudo... Deve ter demorado tanto tempo, ter consumido tanto e por isso longe de acabar por causa da quantidade de DESVIOS.

Justiniano disse...


O Brasil não produz um metro de trilho, tudo é importado da Polônia e EUA, porque produzir trilho aqui quebraria qualquer um.
Essas importações tem rolo de tudo que é lado, os dormentes onde assentam os trilhos, o TCU acho superfaturamento absurdo, chegava a 300% o valor cobrado por unidade, e são milhares por quilometro de ferrovia.

Tem um conhecido que tem fazenda próxima em Tocantins e diz ele que os trilhos estão enferrujando e não nenhum uso. Quando acabar a obra vão ter que refazer no início. Isso é o Brasil.