segunda-feira, 6 de fevereiro de 2017

Ações do MPF e da AGU na Lava Jato podem gerar a devolução de R$ 26 bi aos cofres públicos

Diversas ações de improbidade administrativa do MPF (Ministério Público Federal) e da AGU (Advocacia-Geral da União), que estão tramitando na Justiça Federal no Paraná, cobram dos acusados na Operação Lava Jato a volta de R$ 26 bilhões aos cofres públicos.

Conforme levantamento do site UOL, são 12 ações cíveis relacionadas à Lava Jato, onde oito são da força-tarefa do MPF no Paraná, três da AGU e uma do Ministério Público do Rio de Janeiro. Para o procurador da República Deltan Dallagnol, coordenador da Lava Jato no Paraná, mesmo que condenados nos 12 processos acima mencionados, dificilmente os acusados pagarão o total de R$ 26 bilhões cobrados nas ações, porque já firmaram acordo de leniência com o MPF, onde se comprometem a pagar determinadas quantias a título de ressarcimento, impedindo, em tese, cobrança semelhante nas ações de improbidade.

3 comentários:

Anônimo disse...

Não deixem o Padilha administrar este dinheiro

Anônimo disse...

A devastação foi 26 trilhões..pequena diferença

Anônimo disse...

Fantástico.

Por isso eles são do MP não precisam fazer contas, rs, rs.

Por que eles não pedem pra algum economista mensurar os prejuízos da economia com a lava jato?

Se soubessem fazer contas teriam vergonha na cara de anunciar isso daí.