"Não tem bode na sala", avisa José Ivo Sartori ao Jornal do Comércio.

Nesta entrevista de página inteira que o governador Ivo Sartori concedeu aos repórteres Pedro Maciel, Guilherme Kolling, Luiz Guimarães e Bruna Suptitz, Jornal do Comércio de hoje, fica claro que o governo gaúcho não tem plano B para o pacote de modernização que protocolou na Assembléia e que precisa ser votado em regime de urgência.

Leia toda a entrevista: 

Jornal do Comércio - Se o pacote for aprovado na íntegra na Assembleia, o Estado abrevia o período de recuperação de suas finanças?
José Ivo Sartori - Todas as mudanças estruturais - modernização do Estado, solidariedade dos poderes, instituições e iniciativa privada - levam um tempo de maturação. A extinção de um organismo leva um tempo enorme. Mas não temos plano B. É a realidade que está aí e nos impõe medidas duras e amargas. E tem gente que diz para mim todos os dias: "é muito modesto esse conjunto de medidas".

JC - É o pacote mais radical no Rio Grande do Sul. O senhor não teme passar para a história como governador que desmantelou a máquina pública?

CLIQUE AQUI para ler tudo.

9 comentários:

Anônimo disse...


O safado do Polenta, tem plano B sim.

Ele deixou escapar isto em uma entrevista aqui publicada.
Bem capaz que uma raposa velha e felpuda da politica não vai ter um plano B, se os seus intentos não são 100%garantidos.
Está apenas jogando para a torcida, porque não chamou o Diário Gaúcho para dar entrevista?? Ainda que este seja da sua aliada RBS, os leitores não o são.
E se as medidas não forem aprovadas, e algumas não serão, ele vai fazer o que?? Fechar as portas e ir embora?
Ou entregar o cargo para o Vice?

Será que ele não se deu de conta de que já terminou a campanha eleitoral e que a conversa mole não funciona mais?

Anônimo disse...


Quem são os maiores pagadores de impostos??

A primeira vista são os empresários, os mesmo que ditam as regras aos governos.
Ocorre que os impostos são pagos pelo cidadão, os empresários apenas repassam ao governo estes impostos, isto quando não embolsam.
Daí que os empresários usam o dinheiro do povo para barganhar com os governos e receber benesses para enriquecerem cada vez mais. E os trouxas participando de campanhas de notas fiscais, par receberem prêmios mixurucas, quando na verdade estão atuando como fiscais de arrecadação dos governos, tudo para sustentar as mordomias das cúpulas, já que nem o funcionalismo recebe um salário decente.
Aí vem o Polenta contar estoria da carochinha, de que o povo tem que se sacrificar, mas onde está o sacrifício dos agentes políticos??
Ficar até tarde da noite em banquetes, planejando como enrabar o povo?
Deixar de ter mais assessores?
Viajar menos ao exterior?
Não poder empregar os parentes?
Não poder embolsar mais dinheiro?
Então ele que doe a sua aposentadoria a instituições beneficentes, já que não pode por lei deixar de recebe-la. Inclusive a que vai receber após os 4 anos de trabalho como governador.

Quem paga a conta terá que contribuir por 49 anos para receber o salário minimo. Um politico safado se aposenta com apenas 4 anos de contribuição para receber o teto, hoje em R$ 33.700,00

ACORDA BRASIL.

samuel disse...

...que desmantelou a máquina pública? kkkkk oh jornalista burro.., Leia Milton Friedman "FREE TO CHOOSE" Não existe "máquina pública" Existe nosso $$$ malbaratado, roubado em baixos níveis de eficiência.

Anônimo disse...

vai ser tudo aprovado.Os servidores estão só se estressando a toa.Amanhã de manhã vai ter paralização em frente a FDRH,que completa 44 anos,em 15.12. Vai ter todas as fundações na praia de belas.Adianta?Claro que não.Cada deputado já decidiu seu voto.Vai ser só para atrapalhar o trânsito.

Anônimo disse...

Esse pessoal da FDRH é sem noção mesmo, deveriam aceitar que dói menos, ficaram a vida inteira sem trabalhar e gozando da sociedade gaúcha que realmente faz labutar por merecer, ganharam aumentos gordos todo ano e vários privilégios , pois é chegou a conta gente, agora é atualizar o CV e partir pro mercado, não sejam infantis justo agora que a sociedade precisa tanto que o governo estruture suas contas naquilo que realmente precisa saúde,educação e segurança.

Anônimo disse...


Claro que será tudo aprovado. Eles, os políticos, tem que continuar se locupletando ás custas do povo.

Anônimo disse...

Vai aprovar e não vai adiantar. Como nosso carissimo governador já avisou nesta entrevista. Vai parar o parcelamento de salários? Evidente que não.

Pergunta pra ele quem ja tem interesse na CEEE e na companinha de mineração, os chineses ou os amigões da famiglhia Sartori.

Anônimo disse...

Sartori, se conseguires privatizar tudo, ficarás para história(ou istória...???) como o governador que modernizou o Rio Grande do Sul. Se for esperar por esquerda comunista, nada será feito. Ficaremos numa situação em que está a Venezuela.

- Saúde, educação e segurança, essas são as funções de um estado enxuto. Extingue e/ou vende tudo Sartori, tens meu apoio.

Anônimo disse...

Não tem bode na sala, mas um burro no palácio