quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Ex-tesoureiro nacional, Paulo Ferreira admite que PT usou dinheiro não contabilizado nas suas campanhas

Réu da Operação Lava Jato, preso desde 23 de junho, Paulo Ferreira, ex-tesoureiro do PT e marido da ex-ministra de Dilma, Tereza Campello,  foi interrogado na Justiça Federal em Curitiba. 

Durante o interrogatório, nesta quarta, 14, o juiz Sérgio Moro perguntou ao ex-tesoureiro:

- O Partido dos Trabalhadores comumente tem feito declarações públicas de que eles não trabalham com recursos não contabilizados. Salvo engano, na minha compreensão, o sr. está afirmando algo diferente, que havia esses pagamentos, inclusive aqui na sua própria campanha. O sr. saberia explicar essa contradição?

Paulo Ferreira respondeu:

- É um problema da cultura política nacional, dr. Moro. Eu não estou aqui para mentir para ninguém. Estou aqui para ajustar alguma dívida que eu tenha, minha disposição aqui é essa.
Negar informalidades nos processos eleitorais brasileiros de todos os partidos é, na minha opinião, negar o óbvio.”

Moro perguntou:

- Inclusive no Partido dos Trabalhadores, na sua campanha?

E o ex-tesoureiro do PT:


- Exatamente.

25 comentários:

Anônimo disse...

pt quadrilha se dizia o santo - bando de sem vergonhas

Anônimo disse...

Nossa ninguém sabia que isso acontecia.

Obrigado Sérgio Moro vc nos salvou de mar de ignorância, rs, rs.

Qualquer idiota com meio neurônio sabe disso desde que uma pedra é uma pedra.

O que ocorre é que agora alguém que foi preterido no butim resolveu abrir a boca de jacaré e iniciar o processo de destruição dos 3 poderes.

Ou vcs acreditam que não tem ministros do STJ E STF bem como juízes envolvidos nisso daí.

Curioso, por que o DEUS SÉRGIO MORO nunca aventou tal possibilidade ou até mesmo a força tarefa dos lava chatos e os lazanhois da vida.

É evidente que o interesse não é apenas jurídico, envolve poder, fama e obviamente aquilo que me faz rir (MONEY).

Anônimo disse...

Deu.Acabou.Agora é só intimar o Falcão e mandar fechar o PT. A cumpanheirada toda agora vai ter que sofrer uma devassa pela Receita Federal nos últimos 5 anos. Provavelmente mais de 100 Bilhões voltarão aos cofres públicos.

sempre mais disse...

Não dá tapar o sol com a peneira!!!!! Kkkkkkkkkkkk

Anônimo disse...

rEALMENTE TODOS OS PARTIDOS USSAM O CAIXA 2, BEM COMO OS CANDIDATOS. É ABSOLUTAMENTE OBVIO QUE SEMPRE FOI ASSIM. QUE CANDIDATO IRIA RECUSAR UMA AJUDA FINANCEIRA:

Anônimo disse...

Para Gilmar Mendes, decisão de Fux é o 'AI-5 do Judiciário':

Estadão - 15/12/2006 - Beatriz Bulla

O ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, considerou uma “perda de paradigmas” a decisão do colega e ministro Luiz Fux que determinou devolução do projeto anticorrupção à Câmara a partir da estaca zero. Segundo ele, impor ao Congresso que aprove um texto sem fazer alterações é o mesmo que fechar o Legislativo. “É um AI-5 do Judiciário”, afirmou em referência ao Ato Institucional 5, que, em 1967, suspendeu garantias constitucionais no País. Para ele, o Supremo caminha para o “mundo da galhofa”.

“Dizer que o Congresso tem que votar as propostas que foram apresentadas e só? Então é melhor fechar o Congresso logo e entregar as chaves. (…) Entrega a chave do Congresso ao (Deltan) Dallagnol (coordenador da força-tarefa da Lava Jato). Isso aí é um AI-5 do Judiciário. Nós estamos fazendo o que os militares não tiveram condições de fazer. Eles foram mais reticentes em fechar o Congresso do que nós”, afirmou Gilmar Mendes ao Estado.

Ele sugeriu ainda que a “chave” do Congresso poderia ser entregue "ao Zveiter”. O desembargador Luiz Zveiter foi impedido pelo STF nesta quarta-feira, 13, de assumir a presidência do Tribunal de Justiça do Rio de Janeiro, após a Corte considerar inconstitucional regra que permitia a reeleição. O ministro Luiz Fux, que concedeu a liminar sobre o pacote anticorrpução, também é do Estado do Rio de Janeiro. “Hoje decidimos que a eleição do Zveiter não valeu. De repente, ele é do Rio, vocacionado para bom gestor. De repente entrega a ele (a chave do Congresso) ou à Lava Jato, que fez a proposta”, afirmou Mendes.

O ministro foi um crítico da decisão de Marco Aurélio Mello, derrubada pelo plenário do Supremo, que chegou a afastar, na semana passada, Renan Calheiros (PMDB-AL) da presidência do Senado. Sobre a situação da Corte, afirmou: “De repente nós todos enlouquecemos e não descobrimos ainda (…) Estamos (STF) caminhando rapidamente para virar uma instituição de galhofa”.

Ele mencionou ainda que se o Congresso não pudesse alterar propostas que são encaminhadas pelo Judiciário e pelo Ministério Público não haveria margem por exemplo para discutir o orçamento dos tribunais. A proposta de orçamento do STF, por exemplo, é elaborada pela própria Corte e submetida ao Executivo e Legislativo. “Se não (puder alterar a proposta) já valia a decisão. Imagine nos projetos de iniciativa do STF ou do STJ (Superior Tribunal de Justiça) teria que aceitar o que viesse. (…) E por que estamos fazendo isso? Para preservar o projeto ou porque estamos interessados em preservar os nossos salários, os salários dos nossos filhos que estão empregados no judiciário? É interesse da comunidade ou estamos tratando dos nossos próprios interesses?”, criticou Mendes.

Anônimo disse...

PLANILHA APONTA PROPINA DE R$ 1 MILHÃO A PADILHA:

Carolina Antunes/PR
De acordo com planilha do Departamento de Operações Estruturadas da Odebrecht, o pagamento teria ocorrido no dia 18 de agosto de 2014, ano em que Eliseu Padilha, braço direito de Michel Temer, não disputou eleições; Padilha foi chamado de "Angorá", apelido de Moreira Franco, porque, segundo a Odebrecht, os dois se confundiriam nos mesmos papéis; dia de ontem foi tomado por rumores sobre a demissão de Padilha, mas ele afirmou que não deixaria Michel Temer na mão.

15 DE DEZEMBRO DE 2016

247 – Uma reportagem do jornalista Thiago Herdy aponta que Eliseu Padilha, chefe da Casa Civil e braço direito de Michel Temer, recebeu R$ 1 milhão do departamento de propinas da Odebrecht, no dia 18 de agosto de 2014.

"Planilha do Setor de Operações Estruturadas da Odebrecht apreendida pela PF na casa de Maria Lúcia Tavares, ex-funcionária da empresa, informa pagamento de R$ 1 milhão a 'Angorá', no dia 18 de agosto de 2014", diz o texto.

Padilha foi chamado de "Angorá", apelido de Moreira Franco, porque, segundo a Odebrecht, os dois se confundiriam nos mesmos papéis.

O chefe da Casa Civil, no entanto, negou ter recebido os valores. “Não fui candidato em 2014. Nunca tratei de arrecadação para deputados ou para quem quer que seja”, disse ele, para quem a acusação “é uma mentira".

Dia de ontem foi tomado por rumores sobre a demissão de Padilha, mas ele afirmou que não deixaria Michel Temer na mão.

Anônimo disse...

JORNALISTAS DA GLOBO PROTESTAM POR REAJUSTE EM FRENTE À EMISSORA EM SP:

Profissionais da TV Globo São Paulo estão sem reajuste salarial desde o ano passado; eles reclamam que a emissora quer conceder aumento de 6% referente a 2015, ano em que a inflação ficou acima de 10%, e 6,5% para 2016; verbas publicitárias aumentaram significativamente para a emissora após a posse de Michel Temer e o golpe contra Dilma apoiado pela empresa.

14 DE DEZEMBRO DE 2016

Do Comunique-se - Os jornalistas da TV Globo São Paulo estão sem reajuste salarial desde o ano passado. Os profissionais reclamam que a emissora quer conceder aumento de 6% referente a 2015, ano em que a inflação ficou acima de 10%, e 6,5% para 2016.

Um abaixo assinado foi feito e está circulando com aderência dos trabalhadores do canal, que se reuniram em frente à emissora na tarde desta quarta-feira, 14, para protestar em prol da campanha salarial.

Segundo fontes da reportagem do Portal Comunique-se, em dezembro de 2015 não houve acordo entre empregados e emissora. A Globo começou as propostas oferecendo 5% de reajuste – depois subiu para 6% –, enquanto o Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado de São Paulo (SJSP) começou as negociações pedindo 15% e baixou o valor conforme a inflação do ano.

A campanha salarial foi a dissídio. Assim, os profissionais entraram com ação no Tribunal Regional do Trabalho (TRT), que decidiu em favor dos jornalistas, com reajuste de 10,94%. Porém, os patrões pretendem recorrer. Agora, o SJSP defende que se devem somar as inflações dos dois anos (2015 e 2016), mais 2% de aumento real. A contra proposta da Globo pretende conceder o valor da inflação deste ano, mais 7% referentes ao ano passado.

Na tarde desta quarta-feira, 14, cerca de 50 profissionais deram as mãos em volta da emissora, em protesto a favor da campanha. "Queremos respeito, reajuste salarial já", escreveram no banner exibido durante o ato. O SJSP falou sobre o assunto em sua fanpage, afirmando que a manifestação é um "abraço solidário" dos trabalhadores na empresa.

"Apesar dos lucros bilionários, as emissoras de TV não reajustam nem salários, nem os benefícios da categoria há dois anos e as perdas por conta da inflação somam quase 20%. A campanha salarial do ano passado foi a dissídio e segue na Justiça do Trabalho. Neste ano, o sindicato patronal, presidido pela Globo, iniciou a campanha 2016-2017 com truculência, com proposta abaixo da inflação e se recusando a alterar ou incluir novas cláusulas na Convenção Coletiva", declarou a entidade.

Procurada pela reportagem do Portal Comunique-se, a TV Globo São Paulo informou por meio de sua comunicação que "não se manifesta publicamente sobre suas relações trabalhistas com seus funcionários".

Anônimo disse...

Moro perdeu o controle das delações:

15/12/2016 - Janio de Freitas

Jornal GGN – Ao pedir que não deixemos que os vazamentos ou Lava Jato paralisem o país, Michel Temer esqueceu de que só estamos paralisados porque o país se move veloz para trás e para baixo. Os vazamentos arrefeceram bastante, já que sua função primordial era cumprir um papel sujo no afastamento de Dilma. Quem o alerta é Janio de Freitas, em sua coluna de hoje na Folha, falando sobre o cenário atual. E ele é contundente: o país desmorona porque em sete meses o governo Temer não produziu uma só medida em contrário.

E Janio vai em cima do governo com o pacote anunciado, que é tão farsesco quanto o pacote da Previdência. E nenhuma medida salva este governo, pois não sabem sua função, mas que entendem (o governo) que o que os atrapalha é o fator vazamento, algo “ilegítimo” e cobrado do PGR para que resolva.

Janot até se adiantou para dizer que estava investigando, daí vem Gilmar Mendes e, ao contrário do que dizia de certos vazamentos contra Lula e Dilma, que o vazamento é criminoso. E o teatro não termina. Da Alemanha, onde foi escrachado em uma palestra sobre a Mani Pulitti brasileira, Sergio Moro fala dos vazamentos, avisando que atinge a todos, e não somente o PT, coisa séria.

Mas e aí? Quantos nomes do PSDB já foram citados em delações em dois anos e continuam sem uma investigação? Mas o que vale é que Moro e promotores perderam o controle das delações e a de Leo Pinheiro, da OAS, que vem por aí, pode ser o canto da sereia. Leia a coluna a seguir.

da Folha ...por Janio de Freitas

"Não podemos deixar que isso paralise o país" –eis uma frase interessante de Michel Temer. Não por ser contra os "vazamentos". Ou Lava Jato, isso não ficou claro. O país só não está paralisado porque se move, veloz, para trás e para baixo.

E, nos últimos sete meses, não "por interferência" da Lava Jato ou dos "vazamentos", arrefecidos desde que cumprido o seu papel no afastamento de Dilma.

Nem se pode dizer que haja crise política, propriamente, com a Câmara e o Senado em seus estados habituais, e os novos "vazamentos" produzindo efeitos pessoais, não parlamentares ou partidários. O país desmorona porque em sete meses o governo Temer não produziu uma só medida em contrário.

Fruto da reunião de apavorados, convocada por Temer no fim de semana, o pacote anunciado para esta quinta-feira (15) é uma farsa. Sua finalidade é criar "manchetes positivas". Feito às carreiras por pressão ansiosa de Temer sobre Henrique Meirelles, repete a leviandade na divulgação do projeto da Previdência, depois de queixas paulistas no encontro de Temer com o Conselhão privado.

Na agenda de Eliseu Padilha, esse projeto estaria pronto no próximo ano. Incapaz para o governo, Temer só se ocupa do seu interesse. Não estamos distantes da simples vigarice administrativa.

Temer considerou que os novos "vazamentos", além do mais, "são ilegítimos", reclamando ao procurador-geral que acelere os processos. Por conta própria, Rodrigo Janot já informara de uma investigação a respeito.

Gilmar Mendes, claro, atacou logo de "criminosos", para fundamentar sua ideia de que as respectivas delações sejam invalidadas. Nada disso lhes ocorreu quando os ocupantes de manchetes eram outros, e não as eminências peessedebistas e peemedebistas que circundam a superestrela do "vazamento" (não é qualquer um que pode ser acusado de negociar suborno nos luxos recônditos de um palácio, e não em mesa visível de restaurante). (...)

Geraldo Alckmim, José Serra, Geddel Vieira Lima, José Agripino e outros do time só apareceram porque citados espontaneamente em delações preliminares do pessoal da Odebrecht. Por dois anos e meio, a Lava Jato deixava passar quando citado um daqueles nomes. Referências à corrupção na Petrobras do governo FHC estão há dois anos em vã gravação na Lava Jato.(...)

Anônimo disse...

Estamos querendo limpar os porões em meio à uma tempestade. Não vai dar boa coisa. A crise institucional é enorme, e os poderes já batem cabeça. A hipocrisia sempre permeou a política, e a verdade sempre foi do conhecimento de quem possui meio neurônio. Não tivesse o PT se lambuzado tanto, e desejado perpetuar-se, tudo se manteria como dantes no quartel de abrantes. Despertou a ira e a inveja, por excesso de locupletação. Só isso. Neste cenário, não existem anjos, e o macartismo está aí, subvertendo o devido processo legal, e ouvindo o clamor das ruas. Muito ruim isso.

Anônimo disse...

E os que defendem o Sonegômetro o que tem a dizer??????????? Que imposto é obrigatório????????

Sim somos obrigados a manter ladrões VIA IMPOSTOS E QUEREM CONTROLAR NOSSAS COMPRAS EM SUPERMERCADOS!!!!!!


SONEGUEM

Anônimo disse...

Moro não tem de controlar nada. Tem de botar todos os corruptos na cadeia. Não esquecendo o mais honesto.

Anônimo disse...

Finalmente um esquerdista falou a verdade, isto é incrível, nas agora corre sério risco de ser assassinado, Celso Daniel que o diga!

Anônimo disse...


E o Felts que começou a dizer que caixa 2 é normal igual ao jogo do bicho. A real intenção do PMDB privatista esta oculta, mas alguns de nós sabemos quem vai sair rico quando toda esta reforma acabar.

Anônimo disse...

Muito muito mais

Anônimo disse...

CONSIDERANDO que POLIBIO quer que leiamos os textos acima, poderia então passar direto mediante um link no seu blog.

Né Polibio?

Luiz Francisco Schmidt disse...

Não concordo e não compactuo com eufemismos: chamar caixa 2 de dinheiro não contabilizado é enfeitar o crime.

Anônimo disse...

Será que é o Sgarbi...? esse anônimo dos textos longos...??? Palhaço...!!! podes postar um jornal inteiro no blog do Políbio, que tu não conseguirás mudar a opinião vigente, de que o PT é o partido mais corruPTo da história da humanidade. Todos os partidos no Brasil, são corruptos, não escapa um se quer.

Uma pergunta...: qdo o Ali Babá será preso...??? pq os 40 ladrões, a maioria já está em cana.

Anônimo disse...

Eu não leio esses textos longos, já deduzo que são asneiras escritas contra adversários politicos da esquerda bolivariana escarlates.

Anônimo disse...

CORREIO DO POVO

15/12/2016

Feltes faz declarações polêmicas durante palestra a empresários
Secretário da Fazenda do governo Sartori disse frases como "jogou no bicho, então eles podem eleger vocês"

Secretário da Fazenda do governo Sartori disse frases como
Secretário da Fazenda do governo Sartori disse frases como "jogou no bicho, então eles podem eleger vocês"

O secretário da Fazenda, Giovani Feltes, deputado federal do PMDB licenciado, se envolveu em uma polêmica ao participar, na noite da última segunda-feira, de uma palestra para empresários na Associação Comercial e Industrial, de Carlos Barbosa, na Serra gaúcha. Segundo informações divulgadas pelo jornal semanal “Contexto”, de Carlos Barbosa, ao abordar o uso de caixa 2 em campanha, Feltes teria feito declarações controversas. “Vou depor contra mim: quem é que tem dinheiro de caixa 2 e não contabiliza nunca?”, disse o secretário, citando o “jogo do bicho” como possíveis fontes de arrecadação eleitoral. ”Jogou no bicho, então eles podem eleger vocês”, afirmou.

Prosseguindo a seguir: “Em Novo Hamburgo elegeram um traficante na Câmara de Vereadores e também conheço outras cidades que elegeram”, completou. Em determinado momento, Feltes solicitou aos jornalistas que não gravassem nada, destacando que falava em “off”. Durante a palestra, Feltes ainda chamou de “hipocrisia” a proibição de doação de empresas privadas. “Me dá uma mão para a campanha? Sim. Aqui tenho R$ 5 mil, R$ 10 mil, R$ 50 mil, sei lá quanto. Mas não bota meu nome aí na tua prestação de contas... Quem diria que não? Tinha que acabar um pouco com essa hipocrisia”, avaliou.

OPS, PAULO FERREIRA PODE chamar o FELTES como testemunha, alias, não precisa, é só a defesa do Paulo Fereira requisitar o "audio" da RBS, eles disseram a mesma coisa.

Anônimo disse...

ACREDITO QUE ESTES TEXTOS LONGOS É MATÉRIA PAGA DE ALGUM PROXENETA QUE FICOU MUITO ABONADO E AGORA DIVIDE COM O POBRE EDITOR SUA FORTUNA QUE BREVEMENTE A RECEITA VAI CASSAR. Se assim não fosse o Garboso Editor não liberaria sua coluna pra depoimentos de duvidosas opiniões e de fontes estranhas ao assunto discutido. UMA ESPÉCIE DE DECIMO TERCEIRO PRO BLOGUEIRO MAL REMUNERADO. O QUE ACHAM?

Anônimo disse...

Como bom petista, não presta! Se prestasse, petista não seria...

Anônimo disse...

BLOG DO POLIBIO BRAGA

Feltes escandaliza empresários com defesa do caixa 2 em campanhas eleitorais:

O secretário gaúcho da Fazenda, Giovani Feltes, que ontem passou o dia em Brasília com o governador Sartori, tudo para tratar da ajuda federal aos Estados, enfrenta verdadeira tempestade política desde terça-feira. É que na terça-feira começaram a repercutir as declarações que ele fez durante palestra na Associação Comercial e Industrial de Carlos Barbosa. Ele escandalizou os empresários que o ouviram. Giovani Feltes, que se elegeu deputado federal com forte votação, falou livremente sobre o uso de caixa 2 nas eleições:

- Vou depor contra mim: quem é que tem dinheiro de caixa 2 e não contabiliza nunca? Jogou no bicho, então eles podem eleger vocês.

Em seguida ele contou casos pouco edificantes de campanhas eleitorais no RS:

- Em Novo Hamburgo elegeram um traficante na Câmara de Vereadores e também conheço outras cidades que elegeram.

Em determinado momento, Feltes solicitou aos jornalistas que não gravassem nada, destacando que falava em “off”.

O secretário acha que é “hipocrisia” a proibição de doação de empresas privadas:

- Me dá uma mão para a campanha? Sim. Aqui tenho R$ 5 mil, R$ 10 mil, R$ 50 mil, sei lá quanto. Mas não bota meu nome aí na tua prestação de contas... Quem diria que não? Tinha que acabar um pouco com essa hipocrisia.

Postado por Polibio Braga

Alguns Conmetários dos blogueiros do blog:

1) Unknown disse...
É proibido dizer a verdade, no Brasil!!!

2) Anônimo disse...
PARABÉNS PELA OUSADIA, FALOU VERDADES....A MAIORIA NÃO GOSTA OU NÃO ACEITA OUVIR A VERDADE, SÓ SE FOR DITA MEIO DISFARÇADO LA NO CHURRASCO, NA PRAIA, ETC...

3) Parabéns ao Feltes só disse verdades.

4)Anônimo Anônimo disse...
só o polibio não sabia que o pessoal (anjinhos) do PMDBosta fazia uso de caixa dois e outras maracutais, o polibio acha que é só o pessoal do pt....má fé ou idiotice da terceira idade???

Anônimo disse...

O problema nunca foi simples caixa 2!! O que o Jararaca patrocinou com o seu PT foi ROUBO DE DINHEIRO DOS POBRES DESTE PAÍS e é disso que a Lava Jato trata!! Os petistas vem aqui tentar escamotear os ROUBOS do PT e asseclas, como se fosse caixa 2!! Aliás, Jararaca e o PT INOVARAM: passaram a declarar as propinas recebidas, isto é, caixa 1, tentando enganar a PF!!! Parece que não deu certo!!!

Anônimo disse...

Exatamente. Concordo. Com a desculpa de implantar uma ideologia pros Pobres estes proxenetas, ignorando todas as regras cíveis e contábeis popularizaram a sacanagem civil com a desobediência dos contadores e advogados que eram contratados apenas pra sonegar e fazer Caixa 2. Grandes Prédios foram construídos nas Praias com dinheiro de Caixa 2. Milhares de frotas de Caminhões foram adquiridas com o Caixa 2. Enquanto o Governo abria mão de Receita para a Saúde e a Educação, enganando o pobre miserável, festejava com os sonegadores o aparente Enriquecimento ilícito da Nação. Enquanto o Governo cavava um buraco enchia de terra os bolsos dos gananciosos que pensavam que era ouro. Hoje o dinheiro não vale nada. E VEM AGORA UMA CHUSMA DE IMBECIS DIZER QUE CAIXA DOIS NÃO É CRIME. É CRIME SIM IMBECIS PORQUE DESTRÓI A RIQUEZA E O FUTURO DA NAÇÃO.