quinta-feira, 18 de setembro de 2014

Argentina aprova lei que aumenta controle do Estado sobre empresas

O Congresso argentino aprovou, nesta madrugada, a reforma da Lei de Abastecimento, rejeitada fortemente pela oposição e pelo setor produtivo por considerar que aumenta o controle do Estado sobre a atividade empresarial. O projeto de lei, que já havia passado pelo Senado, foi aprovado pela Câmara dos Deputados, por 130 a favor e 105 contra.

. A lei permite a fixação de limites de preços e de lucro de empresas, além do controle de cotas de produção, que ficará a cargo da Secretaria de Comércio do Ministério da Economia. 

. O projeto ainda compreende a aplicação de multas, fechamento de empresas por até 90 dias e suspensão de registro por até cinco anos. A medida, portanto, aumenta ainda mais o poder de intervenção da presidente Cristina Kirchner na frágil economia argentina.

Exportações recuam em agosto no Rio Grande do Sul

As exportações alcançaram o valor de US$ 1,8 bilhão em agosto no Rio Grande do Sul, representado uma redução de US$ 617,6 milhões em relação ao mesmo período do ano anterior.

. Esse resultado representou, em termos relativos, uma queda de 26,1% no valor exportado pelo Rio Grande do Sul, enquanto as exportações brasileiras recuaram 4,5%. Em termos do volume físico exportado, ocorreu um decréscimo de 40,5% no Estado, valor bem menor que o observado no País (-6,4%).

. No Brasil também houve, para o mesmo período, um decréscimo de US$ 960,7 milhões.

Mais de 100 mil pessoas estão sem água em Porto Alegre

Aproximadamente 100 mil moradores dos bairros Lomba do Pinheiro e Restinga, em Porto Alegre, estão sem água nesta quinta  em função de vazamento na Estrada João de Oliveira Remião.

. O conserto emergencial do Departamento Municipal de Água e Esgotos (Dmae) começou no início da manhã e deve durar todo dia. Conforme o Dmae, o abastecimento deve ser normalizado hoje à noite.

Ibovespa opera em leve alta à espera de pesquisa eleitoral

O Ibovespa opera em leve alta na manhã desta quinta-feira, com os investidores avaliando a decisão da política monetária do Federal Reserve (Fed, o banco central norte-americano) e à espera da nova pesquisa do Datafolha, que deve ser divulgada ainda hoje. Por volta das 13h, o principal índice da Bovespa subia 0,06%, aos 59.142 pontos.

. Na quarta-feira, o Fed sinalizou que pretende manter a taxa básica de juro perto de zero por um “período considerável”. Entretanto, a presidente da autoridade monetária, Janet Yellen, reforçou a mensagem que não há um compromisso fixo com o calendário. Ou seja, o mercado ainda se divide quanto à expectativa de os empréstimos ficarem mais caros no primeiro ou no segundo semestre de 2015.

Brasil: em 2013, desemprego teve a 1ª alta desde 2009

A taxa de desemprego nacional, medida anualmente pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), ficou em 6,5% em 2013, acima dos 6,1% registrados em 2012 e a primeira alta desde 2009, quando a economia ainda sofria os piores efeitos da crise mundial de 2008. O dado foi revelado nesta quinta-feira, com a divulgação da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (Pnad).

. Embora a taxa do ano passado ainda esteja abaixo da de 2011 (6,7%), foi quebrada a sequência de recordes de baixas, ainda mantida na taxa mensal de desemprego, calculada apenas nas seis principais regiões metropolitanas do País, mas cuja divulgação foi afetada pela greve no Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

. A última taxa mensal conhecida se refere a abril e foi de 4,9%, abaixo dos 5,8% de igual mês de 2013 e a mais baixa para meses de abril de toda a série histórica. Tradicionalmente, a taxa mensal fica abaixo da taxa anual medida pela Pnad. São duas as principais diferenças: a abrangência da taxa anual é muito maior e a taxa mensal é medida mês a mês, enquanto na Pnad a pesquisa é feita apenas em uma semana.

Aécio irá dia 25 a Caxias do Sul

Aécio Neves fará dia 25 sua última visita ao RS antes das eleições do primeiro turno. Ele irá a Caxias do Sul.

Artigo, Fernando Rodrigues - O PT está despreparado para deixar o governo. Serão 50 mil desamparados quando Dilma sair do Planalto.

BRASÍLIA - Ouvi uma frase sobre a corrida presidencial que me pareceu perfeita: "Em 2002, achei que o PT estava despreparado para assumir o governo. Mas eu não sabia que o PT estaria agora tão despreparado para deixar o governo".

É uma avaliação tão cruel quanto verdadeira. Revela também o grau de subdesenvolvimento institucional do país. É claro que não há risco de disrupção, mas parece um pouco incompatível com a regra democrática que um partido entre em desespero frenético apenas porque existe a possibilidade de sair do poder a partir de 1º de janeiro de 2015. A aparição do ex-presidente Lula, suado e descabelado, fazendo uma manifestação em frente à Petrobras é a síntese do clima atual no PT. E nem está claro que Dilma Rousseff perderá a disputa contra Marina Silva (aliás, a presidente está à frente nas pesquisas). Mas em Brasília é possível respirar um certo pânico no ar.

Só na capital da República há mais de 20 mil cargos de confiança, todos ocupados pelo petismo e adjacências. Uma derrota de Dilma Rousseff obrigará essas pessoas e suas famílias a deixarem a cidade. Por baixo, serão de 40 a 50 mil desamparados. Voltarão a seus Estados para pedir trabalho na iniciativa privada ou em algum governo, prefeitura ou sindicato sob o comando do PT. Serão milhares de dramas pessoais. Em Harvard, nos EUA, a universidade oferece um serviço gratuito de atendimento psicológico a estudantes estrangeiros que passam um tempo por lá e depois têm de retornar para seus países. Dilma poderia pensar no assunto. Uma "bolsa psicólogo" ajudaria a manter mais calmas as pessoas ao seu lado.

Como o problema é estrutural, uma vitória dilmista só atrasará a crise existencial dos petistas. Até porque, em 2018, 2022 ou em outro momento, o partido sairá do poder. Quando esse dia chegar, as farmácias de Brasília terão de reforçar os estoques de Prozac em suas prateleiras. 

Ministra de Dilma, mulher do deputado gaúcho Paulo Ferreira, dá 'faniquito' no TCU e ministros fazem nota de repúdio

A ministra do Desenvolvimento Social, Tereza Campello, reclamou pessoalmente com o presidente do Tribunal de Contas da União (TCU), ministro Augusto Nardes, do relatório do órgão sobre os programas sociais do governo votado na semana passada. Integrantes da reunião consideraram a abordagem da ministra "agressiva" e "descortês". O tribunal elogiou as conquistas dos programas sociais alcançadas pelo governo, como a redução da miséria. Mas mostrou que há uma defasagem no valor das linhas que separam miseráveis e pobres da classe média, devido ao aumento da inflação e do dólar nos últimos anos; e também criticou a falta de critérios do governo para medir como as famílias deixam o programa Bolsa-Família, a chamada porta de saída.

. A reportagem é da Folha de S. Paulo, publicada também pela Gazeta do Povo. Leia tudo:

. Após a divulgação do relatório, o Ministério do Desenvolvimento Social divulgou uma nota classificando o trabalho do tribunal como "político", "errado" e "preconceituoso". Em audiência nesta terça-feira com o presidente do TCU e técnicos do órgão, a ministra Campello usou pessoalmente os mesmos termos que já havia utilizado numa nota da semana passada para desqualificar o trabalho. Segundo relato de dois integrantes da reunião ouvidos pela Folha, a ministra estava com voz alterada e falava em tom agressivo. Na definição de ambos, a ministra deu "um faniquito".

. O advogado-geral da União, ministro Luis Inácio Adams, acompanhou o encontro. Segundo os participantes, ele tentou em vários momentos contemporizar as ações da ministra, mas em vão.

. Durante a audiência com o presidente do TCU, Tereza pediu duas vezes para atender o telefone. Na primeira, disse que era um telefonema da presidente Dilma Rousseff. Na segunda, informou ser uma chamada do ex-presidente Lula.

. A ação da ministra acabou criando uma reação dura do Tribunal. Na semana passada, após a nota do Ministério do Desenvolvimento Social, o presidente do TCU evitou o confronto com o MDS fazendo uma nota em tom técnico para responder às acusações do ministério contra a auditoria.

Mas ontem, por causa da visita da ministra, todos os integrantes do TCU decidiram fazer desagravos aos técnicos e ao relator do processo, ministro Augusto Sherman, condenando a atitude do ministério do Desenvolvimento Social.

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

Artigo, Merval Pereira - Aécio Neves, de volta ao jogo

A campanha do candidato do PSDB, Aécio Neves, vive momento de euforia contida, “muito pé no chão, muito focada”, na definição de um assessor próximo ao candidato.

De volta ao jogo, com planos de atacar a candidata do PSB para recuperar o lugar no segundo turno, a avaliação é que, quando começou o fenômeno Marina, houve uma demora de duas semanas para ele parar de cair, que era a primeira providência para reverter o quadro.

Esse intervalo deu margem a diversos boatos, todos indicando que Aécio poderia até desistir de concorrer.

Em seguida, era preciso diminuir a diferença para Marina, o que aconteceu agora, segundo a pesquisa Ibope divulgada na terça-feira.

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

Quem vencerá as eleições de outubro no RS e no Brasil ? É o que o editor contará na reunião-almoço da ADCE, 12h.

Ao meio dia, o editor falará no almoço da Associação dos Dirigentes Cristãos de Empresa, ADCE, na igreja Pompéia, Porto Alegre.

. O tema escolhido pelos organizadores do evento está ligado às eleições de outubro.

. De posse de gráficos e estudos analíticos, o editor dirá quem vencerá as eleições no RS e no Brasil. 

JBS já doou R$ 350 mil para Marco Maia e R$ 95 mil para Mainardi, ambos do PT do RS

No RS, o grupo JBS, que está sendo investigado pelo Tribunal de Contas da União (leia matéria a seguir) é forte doador de campanhas milionárias de candidatos do PT à Câmara dos Deputados.

. Aí vão dois nomes:

Marco Maia, o líder de gastos da atual campanha (R$ 1,6 milhão, recebeu R$ 95 mil.
Luiz Fernando Mainardi, ex-secretário da Agricultura de Tarso, recebeu R$ 350 mil (Mainardi já gastou R$ 450 mil, o que quer dizer que JBS financiou 70% da sua campanha).

. No RS, apenas três candidatos à Câmara gastaram até agora mais de R$ 1 milhão cada um:

Marco Maia, PT, R$ 1,6
José Otávio Germano, R$ 1,2
Onyx Lorenzoni, R$ 1,1

BNDES obstrui auditoria sobre empréstimos de R$ 8 bi ao JBS/Friboi, diz TCU

O jornal Folha de S. Paulo de hoje publica ampla reportagem, informando que o BNDES obstrui investigações do Tribunal de Contas da União. O JBS/Friboi foi uma das companhias escolhidas durante a gestão do ex-presidente Lula dentro de uma política de "campeãs nacionais" para receber volumosos empréstimos públicos. Este grupo é um dos maiores doadores das campanhas do PT em todo o País. Existem denúncias graves sobre sua verdadeira composição acionária.

. Leia a reportagem de hoje da Folha:

O BNDES foi obrigado a disponibilizar todas as informações referentes aos empréstimos feitos ao grupo JBS/Friboi, da área de frigoríficos, que montam mais de R$ 8 bilhões, para uma auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) sobre esses contratos. É o que determina uma decisão tomada nesta quarta-feira (17) pelo órgão que apontou que o banco federal de fomento está obstruindo desde julho uma investigação do Tribunal de Contas à pedido da Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara dos Deputados sobre os empréstimos do banco a essa empresa.

. Nas últimas duas eleições o JBS/Friboi tem sido uma grande doadora de campanhas eleitorais sendo que, na atual disputa, constava como a maior doadora de campanha no primeiro balanço de doadores da eleição.

. Segundo o relatório do TCU, o banco público vinha se negando a dar as informações pedidas pelos técnicos do órgão e, quando o fazia, entregava documentos praticamente todos tarjados alegando sigilo bancário para esse tipo de transação.

"O banco ainda alega não poder fornecer à equipe os dados referentes ao rating de crédito, saldo devedor das operações de crédito e situação cadastral no BNDES do Grupo JBS/Friboi, sob alegação de sigilo bancário", informaram os técnicos.

Onyx diz que Dilma já tem seu Engavetador Geral de CPIs

A presidente Dilma Roussef já tem o seu próprio Engavetador Geral da República. Trata-se de Vital do Rêgo, engavetador das CPIs do Cachoeira e da Petrobrás.

. Quem cunhou a novidade foi o deputado gaúcho Ônyx Lorenzoni, que na sessão de ontem que tentou ouvir o delator do Petrolão, Paulo Roberto Costa, roubou a cena ao ligar Dilma Roussef ao Petrolão.

CLIQUE AQUI para ouvir a fala de Ônyx.

Conheça os 13 trechos onde funcionarão os pardais faturadores de Tarso

Pelo menos 13 trechos terão pardais no RS a partir de outubro. É decisão do governo estadual. Há quatro anos os motoristas gaúchos estavam livres da vigilância arrecadatória.

. Os trechos que contarão com o malfeito:

- Osório-Tramandaí, Viamão-Pinhal, Rincão do Cascalho-Caxias, Passo Fundo-Erechim, Novo Hamburgo-Rolante, Vila Sharlau-Montenegro, Passo Fundo-Nova Prata, Ijuí-Cruz Alta, Osório-Torres, Passo Fundo-Tio Hugo, Montenegro-Santa Maria, Venâncio Aires-Tainhas, Nova Prata-Bento.

. O trecho que liga Porto Alegre a Gramado não foi contemplado, mas em pelo menos um ponto, km 39, ligando Novo Hamburgo a Parobé, há um pardal em pleno funcionamento – e multando.

Dólar paralelo já vale 15 pesos na Argentina

O dólar paralelo na Argentina, chamado de blue, chegou ontem ao recorde de 15 pesos. E prossegue sumido e em alta.

Dólar fechou na maior cotação dos últimos sete meses

O dólar fechou ontem em R$ 2,35. Foi a maior cotação em sete meses. Até o final do segundo turno, a moeda deverá apresentar oscilações bruscas.

Lula irá amanhã a Caxias para ato público de apoio a Tarso

Lula confirmou a presença no ato público em recinto fechado que a campanha de Tarso Genro fará amanhã em Caxias do Sul.

Sartori busca apoio de Marina, Dilma e Aécio

A campanha de José Ivo Sartori ao governo do RS passou a usar áudios de Marina, Dilma e Aécio nos seus programas de rádio, todos com elogios ao candidato do PMDB.

. A legislação eleitoral veda o uso de imagens e áudios de candidatos que não sejam do Partido.

. Sartori resolveu arriscar.

. No RS, o PMDB apoia Marina, que nacionalmente acompanha Dilma, mas Aécio está do outro lado do muro.

Fundador da Paquetá, Remy Strassburger, será sepultado daqui a pouco em Sapiranga

Será sepultado esta manhã, 9h30min, um dos fundadores da Paquetá, maior indústria de calçados do RS, dona também de rede de lojas espalhadas por todo País. Remy Strassburger morreu ontem aos 83 anos. Ele será enterradono cemitério do bairro Amaral Ribeiro, Sapiranga.

quarta-feira, 17 de setembro de 2014

Ana Amélia, Tarso, Sartori e Vieira debatem em Santa Cruz. Acompanhe tudo, aqui.

Começou as 20h, o mais novo debate entre os candidatos ao governo do RS. O editor falou com o pessoal do diário A Gazeta, no anfiteatro da Unisc, Santa Cruz do Sul.

. O evento é promoção da Associação dos Diários do Interior, ADI.

. É mediador o jornalista Leonardo Siqueira.

. Os leitores podem acompanhar tudo pelo portal WWW.gaz.com.br, porque não haverá transmissão por TV. 

Na CPMI da Petrobrás, oposição denuncia que o Petrolão é o Mensalão de Dilma

Neste momento, (17h40min) a CPMI da Petrobrás encerrou a sessão de hoje. Embora o delator do Petrolão, Paulo Roberto Costa, nada tivesse declarado, a oposição fustigou o governo Dilma e o PT, vinculando o novo escândalo na estatal ao mar de lama do Mensalão. Deputados e senadores também convocaram novos depoimentos, desta vez de personalidades que falarão de verdade.

. Os ataques ao governo Dilma e ao PT foram ferozes e reveladores.

"O que eu quero dizer publicamente é que o governo de Lula, Dilma e do PT não aprendeu com o mensalão. O esquema é o mesmo. Lamento que não tenhamos conseguido levar para uma sessão o uso das informações que temos aqui. Estamos diante da continuidade do braço indicado por Roberto Jefferson no mensalão", afirmou o deputado Onyx Lorenzoni (DEM-RS), em referência ao delator do mensalão. Para o parlamentar, Costa é "bandido". Segundo o deputado, todas as testemunhas convocadas por CPIs no Congresso que se recusaram a falar são bandidos. "Não é minha primeira CPI e sempre que bandido veio usou do expediente de não falar. Eu quero dizer que estamos diante de um bandido", completou. O líder do Solidariedade na Câmara, deputado Fernando Francischini (PR), também associou o ex-diretor da Petrobras ao mensalão.

. "Não tenho dúvida que é o mesmo mensalão. Agora mais longe, pagando ministros e senadores. Antes o operador era Marcos Valério e agora é Paulo Roberto Costa. Acho que ele poderia contribuir muito com nosso país corrigindo erros do passado. É o maior escândalo de corrupção em nosso país", disse Francischini.

. O líder do PPS, deputado Rubens Bueno (PR) também tentou associar os escândalos envolvendo a Petrobras a presidente Dilma Rousseff e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e o PT.  "Estamos vendo que nestes doze anos aqueles que foram nomeados e que se tornaram uma verdadeira quadrilha tiveram o aval da presidente Dilma e do ex-presidente Lula. Nada mais grave que um presidente da República nomear um diretor da Petrobras e depois dizer que não sabia de nada. Eles não aprenderam e continuam com o mesmo sistema", disse Bueno.

. Mesmo após as acusações dos deputados, Costa permaneceu calado e não respondeu a nenhum questionamento.

CLIQUE AQUI para ver a fala de Onyx.

Tarso expulsa prefeitos do assento que tinham no Conselho Estadual da Cultura

O governador Tarso Genro resolveu expulsar do Conselho Estadual da Cultura a representação dos prefeitos gaúchos. A Famurs, que representa os 497 prefeitos do Estado, informou esta tarde que apesar de todas as reclamações que tem protocolado no Palácio Piratini, nada foi feito.

. O assento foi uma conquista histórica da Famurs.

. Os prefeitos aguardam há quase um ano a retomada de um assento no Conselho Estadual de Cultura (CEC). A reivindicação chegou a ser entregue pessoalmente ao governador Tarso Genro na 3ª Marcha Gaúcha, realizada no dia 31 de outubro do ano passado. Como resposta, Tarso disse que encaminharia o pedido ao secretário de Cultura. Mas o CEC já teve a renovação dos seus integrantes, eleição da nova diretoria e os municípios ficaram de fora.

. Nada aconteceu.