quinta-feira, 5 de maio de 2016

Justiça Federal fulmina Operação Cartola da Polícia de Tarso Genro. Ex-prefeito Carlos Brum, Alvorada, é inocentado de todas as acusações.

A Justiça Federal absolveu o ex-prefeito de Alvorada, João Carlos Brum, PTB, de todas as acusações feitas no âmbito da chamada Operação Cartola, desfechada quase ao final do governo Tarso Genro.

Na ocasião, a Polícia chegou a invadir várias prefeituras, sirenes ligadas e espalhafato feito.

Em mensagem que mandou para seu grupo de WhatsApp, que inclui o editor, o ex-prefeito Carlos Brum escreveu:

- Eu sempre disse que as acusações eram falsas e tinham o objetivo de golpear adversários do PT, ajudando-o a eleger meu sucessor, o que aconteceu. Pois o golpe foi descoberto e a farsa  acabou desfeita pela Justiça Federal. Fica a pergunta:
- Quem vai me indenizar dos pejuízos políticos, econômicos e financeiros que sofri, sem contar as humilhações pelas quais passei ?

A Justiça Federal acolheu parecer do MPF, que chegou a apontar excessos e viés político em investigação da Polícia Civil, deflagrada em julho de 2011 e que resultou na Operação Cartola. O procurador da República Celso Tres não só pediu o arquivamento da denúncia na Justiça Federal como colocou em xeque toda a apuração, inclusive a denúncia feita anteriormente por colegas seus. Em seu parecer, pede desculpas aos 18 réus — suspeitos de desvio de recursos da União destinados à Educação — "pela dolorosa persecução" que sofreram pelo poder público.


A perseguição aos réus, segundo o procurador, teria sido movida pelo então governo de Tarso Genro no intuito de desestabilizar adversários políticos. A Operação Cartola começou a partir de uma investigação contra a prefeitura de Alvorada (à época administrada por João Carlos Brum, do PTB) e se estendeu a mais sete municípios.

Fitch rebaixa de novo a nota de crédito do Brasil

A Agência Fitch rebaixou mais uma vez, em menos de seis meses, a nota de crédito do Brasil, de BB+ para BB.

Perseguição política atinge Eduardo Cunha do mesmo modo que atingiu Ibsen Pinheiro

Mutatis mutandis, o que acontece agora com o deputado Eduardo Cunha é o mesmo que ocorreu com o então deputado Ibsen Pinheiro.

Ambos foram perseguidos politicamente logo depois que franquearam pedidos de impeachment.

Eduardo Cunha denuncia ilegalidade do STF e avisa: "Não vou renunciar a nada !"

A decisão do STF de afastar Cunha da presidência da Câmara e do exercício do mandato foi abusiva e ilegal, contrariando texto claro da Constituição, já que esta só atribui aos deputados a prerrogativa de afastar qualquer dos seus membros - e a mais ninguém. 

O deputado Eduardo Cunha concedeu coletiva de imprensa há poucos minutos, declarou que não renuncia a nada e que vai recorrer.

Ele também reclamou que a liminar concedida pelo ministro Teori Zavascki só foi concedida agora por interesse político, já que não houve qualquer sentido de urgência, eis que isto só aconteceria no caso dela ter sido despachada no dia 16 de dezembro, quando a PGR ajuizou seu pedido.

O mais importante na fala de Eduardo Cunha foi sua reclamação de que não lhe foi concedido qualquer direito ao contraditório, porque a liminar saiu esta madrugada e as 14h o pleno do STF julgou o mérito.

- Eduardo Cunha também discutiu a mudança de atitude do STF, que no caso do senador Delcídio Amaral não interferiu no seu mandato, embora tenha até mesmo aprisionado o líder do governo.

MPF convoca entrevista coletiva de surpresa para esta sexta-feira.

O jornalista Claudio Tognolli, Rádio Jovem Pan, informou hoje que o os bandidos do Petrolão desviaram R$ 22 bilhões da Petrobrás, segundo contas de hoje do MPF de Curitiba.

Na mesma fala, Tognolli revelou que nesta sexta-feira o MPF concederá coletiva em hotel do centro de Curitiba para jornalistas de todo o Brasil, mas não quis dizer do que se trata. Os procuradores avisaram que não permitirão que TVs e rádios fazer transmissões ao vivo.

Será as 14h.

- Claudio é muito bem informado e possui ligações fortes no MPF e na PF, pelo menos desde que escreveu com Tuma Júnior os volumes I e II de "Assassinato de Reputação". CLIQUE AQUI para ver e ouvir. 

A Rede, Marina Silva, tentou no STF ajudar a manter o mandato de Dilma ?

Sem dinheiro, ANEEL cancela Serviço de Teleatendimento

Sem dinheiro, o Serviços da Central de Teleatendimento da ANEEL serão suspensos a partir de amanhã.

Dilma mandou cortar o suprimento de dinheiro para a agência.

Foi o que a ANEEL mandou dizer há pouco ao editor.

Acabaram os debates na Comissão do Impeachment. Votação sairá amanhã no Senado.

Acabou a última sessão da Comissão Especial do Impeachment, 17h47min. Agora é votar e votar. Amanhã será o dia da votação.

Serão 15 votos contra 5 pela admissibilidade do pedido de impeachment.

Depois da Comissão, quarta-feira será a vez do plenário, que referendará a posição da Comissão e afastará Dilma.

STF convalida Teori e afasta Cunha da presidência da Câmara

A maioria dos ministros do STF já votou pela aprovação da liminar do ministro Teori Zavascki que suspendeu o mandato do presidente da Câmara, Eduardo Cunha.

Líderes de seis Partidos criticam "intromissão" ilegal do STF nas prerrogativas da Câmara.

Líderes do PMDB, Solidariedade, PTB, PR, PSC e PTN assinaram nota nesta quinta-feira com críticas à decisão do ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, que afastou o presidente da Câmara, Eduardo Cunha (PMDB-RJ), do mandato parlamentar e da presidência da Casa.

Aliados de Cunha tentavam a adesão de partidos da oposição como DEM, PSDB e PPS para fazerem discursos na tribuna contrários à "intromissão do Supremo", mas eles sequer assinaram o comunicado. O texto afirma que os líderes "receberam com preocupação" a decisão monocrática de Zavascki tomada, para eles, "sem qualquer urgência aparente".

"Tal preocupação ganha maiores contornos diante da violação do mandato eletivo, sem a devida guarida constitucional, por se tratar de atribuição exclusiva da própria Câmara dos Deputados", dizem os líderes.

Segundo os parlamentares, a decisão mostra "desequilíbrio institucional entre os poderes da República, cuja manutenção pode acarretar consequências danosas e imprevisíveis para a preservação da higidez da democracia no Brasil"

Dia das Mâes e Efeito Temer superlota o novíssimo Iguatemi, Porto Alegre

Véspera do Dia das Mães, o novíssimo shopping Iguatemi, Porto Alegre, 16h01min, completamente lotado.

E todo mundo com pacotes de compras nas mãos.

Já é, também, o Efeito Temer.

Grupo gaúcho L&S passou a oferecer soluções 360 no mercado financeiro.

Com 13 aanos de atuação no mrcado frinanceiro, um patrimônio em custódia de R$ 300 milhões, a gaúcha Leandro & Stormer resolveu criar o grupo L&S, com unidades em Porto Alegre e Miami. O diretor do grupo, Alexandre Wolwacz, com quem o editor almoçou no restaurante Press Hilário, Porto Alegre, contou como se divide o empreendimento:

- L&S Capital, L&S Educação, L&S Quant, L&S Análise, L&S Análise, Liberta Global, LSM Inteligência e, daqui a pouco, a L&S Gestão.

Não é pouca coisa.

A idéia é oferecer todas as soluções voltadas para a necessidade dos investidores.

Durante uma década, Leandro & Stormer promoveram mais de 100 cursos para esteragtégias em oeprações de bolsa e renda fixa. Foram 40 mil traders capacitados no País.

O novo portfólio é muito mais ambicioso "É de 360 graus", disse Alexandre ao editor. Ele inclui a Liberta Global, com sede em Miami, destinada a abrir as portas do mercado financeiro internacional.

Artigo, Paulo Moura - Temer e suas circunstâncias. Ou a lua de mel de motel.

Na política, a expressão “lua de mel” caracteriza o período imediatamente após a eleição de um governante, momento em que as expectativas do eleitorado, mesmo da fatia que não votou no eleito, focam-se no desejo de que o governo dê certo, pois isso viria em benefício de todos. Assim, o eleito ganha um “crédito” para tomar as medidas sem ser cobrado por resultados imediatos, permanecendo um tempo em “estado de observação”.

A duração desse clima varia conforme a capacidade de o governante acertar, produzindo resultados positivos que correspondam à expectativa gerada. Se errar encurta ou interrompe a lua de mel e começa a sofrer adversidades políticas. No caso de Temer, fatais. Daí o título: Lua de Mel de Motel.
As circunstâncias que limitam de forma extrema a latitude e o tempo de Temer para agir sem espaço para errar são de natureza política e econômica.

Do ponto de vista político é inescapável constatar que o PMDB é sócio do desastre produzido pelo PT. Além disso, Temer, vice de Dilma, tem o nome citado em delações da lava jato e herda significativas desconfianças. Inevitável desconhecer, também, o processo que tramita no TSE contra a chapa Dilma/Temer, que, se prosperar, terá o poder de abreviar seu já breve mandato. Pobre Brasil.

CLIQUE AQUI para ler todas a análise do professor gaúcho.

Jornalista do Estadão diz que Lewandowski e Marco Aurélio queriam usar ação da Rede para melar impeachment contra Dilma

A decisão do ministro Teori Zavascki de afastar o deputado Eduardo Cunha foi amadurecida durante a madrugada e teve o objetivo de desativar uma bomba preparada pelos ministros Ricardo Lewandowski e Marco Aurélio Mello que, segundo análises de juristas, poderia implodir o processo de impeachment da presidente Dilma Rousseff e a posse do vice Michel Temer.

Isto é o que publica hoje a colunista Eliane Cantanhêde, Estadão.

Leia mais:

Lewandowski e Mello puseram em votação hoje à tarde a ADPF (Arguição de Descumprimento de Preceito Fundamental), de autoria da Rede de Sustentabilidade, que, além de pedir o afastamento de Eduardo Cunha, determinava simultaneamente, segundo interpretação de outros ministros, a anulação de todos os seus atos no cargo – e, por conseguinte, o acatamento do pedido de impeachment de Dilma.

Zavascki se irritou e outros ministros estranharam que Mello tenha aceitado relatar a ADPF da Rede, quando o natural seria que a enviasse para ele, que relata o caso Cunha desde dezembro. E as suspeitas pioraram quando Mello acertou com o presidente Lewandowski para suspender toda a pauta de hoje no plenário para se concentrar nessa ação.

IPVA Selvagem dobra calote aplicado no governo do RS

O governo Sartori foi com tanta sede ao pote que no caso do IPVA tomou 100% maior do que o constatado no ano passado

933 mil proprietários não quiseram ou não puderam pagar o imposto em abril.

O goferno esperava arrecadar R$ 2,5 bilhões e só levou R$ 1,9 bilhão.

Foi selvagem a decisão de concentrar os pagamentos num só mês, antecipando todos os pagamentos.

A gaúcha Agiplan confirmou a compra do Banco Gerador

Em nova sede em Porto Alegre, no moderno edifício onde funcionava a sede do Banco Matone, rua Mostardeiro, a Agiplan confirmou hoje a comrpa do Banco Gerador, que mudará de nome.

Michel Temer vai formando ministério de amigos

O vice Michel Temer quer botar seu médico pessoal, Raul Cutait, no ministério da Saúde, e enfiar seu advogado pessoal, Antonio Mariz de Oliveira, no ministério da Defesa.

Além disto, o vice quer nomear três ministros envolvidos na Lava Jato, todos porque são seus amigos.

Não é pouca coisa para quem nem começou a governar.

A formação do ministério do vice já é objeto de críticas que não são apenas da oposição.

Votorantim confirma investimento de R$ 300 milhões para produzir zinco, chumbo e cobre em Caçapava, RS

No final do século XIX, as minas foram muito exploradas.

A Votorantim confirmou hoje que quer investir pesadamente na mineração gaúcha, mais exatamente em Minas do Camaquã, Caçapava do Sul.

O investimento será de R$ 300 milhões e gerará 600 empregos.

A Votorantim fará tudo numa joint com a Iamgold.

O depósito na mina Santa Maria, nas Minas do Camaquã, segundo a empresa, “tem recurso mineral de 14 milhões de toneladas e está localizado em uma área fértil para zinco, chumbo e cobre, numa região com boa infraestrutura inicial para investimentos”.

A produção nas Minas do Camaquã é inicialmente estimada em 20 mil toneladas anuais de chumbo e 20 mil toneladas de zinco por ano, que será transportada por caminhões até Juiz de Fora (MG) ou por navio através do porto de Rio Grande. A empresa não divulgou data para início das operações.

Delcídio Amaral irá ao Senado para detonar Lula, Dilma e Renan Calheiros.

Delcídio se juntou à multidão sem tirar o capacete. Temia ser reconhecido e hostilizado. Com medo de ser obrigado pela polícia a remover o disfarce, ficou pouco tempo entre os manifestantes, o suficiente para perceber que tomara a decisão correta ao colaborar para as investigações.
Disse o senador:

- Errei, mas não roubei nem sou corrupto. Posso não ser santo, mas não sou bandido.

O senador Delcídio Amaral confirmou estas tarde que na segunda-feira comparecerá à Comissão de Ética do Senado, onde repetirá o que delatou na PGR.

Ele comprometerá Lula e Dilma na Lava Jato.

E mais gente.

Ao todo, Delcídio Amaral envolverá 74 pessoas, inclusive os senadores Renan Calheiros, presidente do Senado, e Aécio Neves, presidente do PSDB.

CLIQUE AQUI para examinar a delação premiada de Delcídio Amaral.

Ana Amélia não quer trocar o Senado pelo ministério da Agricultura

A senadora Ana Amélia foi de fato cogitada para ser a nova ministra da Agricultura, recebeu apoio generalizado, mas optou por prosseguir no Senado e na presidêbncia da Fundação Milton Campos, PP.

Ela quer aproveitar a alta visibilidade que adquiriu nos atuais debates sobre o impeachment para ficar na defesa do novo governo.

Ana Amélia também quer aproveitar seu momentum para apoiar os candidatos do PP no RS.

Situação financeira dos fundos do Banrisul e da CEEE é calamitosa

Banrisul e CEEE continuam injetando dinheiro bom na Fundação Banrisul de Seguridade Social e Eletrocee, cuja situação financeira é calamitosa e ameaça as aposentadorias complementares de milhares de bancários e eletricitários gaúchos.

Leia notícia abaixo sobre os protestos de hoje dos bancários do Banrisul.

A Assembléia Legislativa e o MPE não parecem atentos aos desastres anunciados.

Rombo de R$ 1,330 bilhão na Fundação Banrisul de Seguridade Social. Diretoria do banco é conivente com os desmandos.

O rombo de R$ 1,330 bilhão na Fundação Banrisul de Seguridade Social (FBSS) chegou a limites insuportáveis para ativos, aposentados e pensionistas do fundo de pensão. Por isso, a Associação dos Funcionários das Empresas do Grupo Banrisul (AGBAN) promoveu manifestação esta manhã,  a partir das 9 horas, na Rua Otávio Caruzo da Rocha, 600 – em frente ao prédio Justiça Federal em Porto Alegre.

Os manifestantes querem esclarecimentos do mau uso dos recursos do Fundo e solução para a grave situação. Querem também dar visibilidade pública ao caso (há inquérito civil no Ministério Público Federal), e, sobretudo, pedir a suspensão dos descontos, que somados à participação normal atinge, em alguns casos, média de 30% sobre proventos brutos individuais. Os descontos já determinaram contracheques zerados para aposentados e a desoladora perspectiva de quem espera usufruir futuramente da complementação da aposentadoria. A FBSS sinaliza aos participantes que os descontos se estenderão por mais de 20 anos – estima-se que a maioria não viverá para cumprir a exigência.

Os primeiros sinais da má gestão do Fundo apareceram em 2009 e em 2013 chegaram R$ 1,33 bilhão. Em nenhum momento, as causas do péssimo resultado foram esclarecidas. Entretanto, a partir de agosto de 2014, o prejuízo foi dividido entre os participantes em forma de desconto, além da contribuição normal.

Metade do número de conselheiros e metade da diretoria é escolhida por voto dos participantes da FBSS, mas são os patrocinadores (no caso o Banco) que fazem a designação dos respectivos presidentes, estes definem as premissas atuariais do Fundo e detêm voto de minerva nas decisões colegiadas.

CLIQUE AQUI para saber mais.

Movimento dos consumidores caiu 9,5% em abril, diz Serasa Experian

O Indicador Serasa Experian de Atividade do Comércio entregue hoje ao editor, demonstra que o movimento dos consumidores nas lojas de todo o país caiu 9,5% em abril/16 na comparação com mesmo mês do ano passado. 

No acumulado do primeiro quadrimestre de 2016, a atividade varejista recuou 8,8% na comparação com o primeiro quadrimestre de 2015. Por fim, feitos os devidos ajustes sazonais, a atividade varejista cresceu 2,1% em abril/16 em comparação ao mês de março/16.


Os economistas da Serasa Experian, a atividade varejista continua enfraquecida ao longo dos primeiros meses deste ano. Recuo da massa real de rendimentos, grau deprimido dos níveis de confiança dos consumidores e condições mais caras e restritivas para o crédito ao consumo continuam pesando sobre a evolução da atividade varejista no país.

71,8% dos eleitores desaprovam prefeito de São Paulo, Fernando Haddad, PT

A pesquisa que o Instituto Paraná Pesquisas disponibilizou ainda há pouco (11h36min) para o editor, mostra que 71,8% da população de São Paulo desaprova totalmente a gestão do prefeito Fernando Haddad, PT.

Eis os números:

Aprova, 23,9%
Desaprova, 71,8%
Não sabe ou não tem opinião, 4,2%

Os números são parecidos com os de junho do ano passado e que se mantiveram próximos nas pesquisas seguintes:

28,2%; 68.8%; não sabe, 3%.