Com o governo Sartori, assassinatos dobraram em Porto Alegre

A Brigada sumiu das ruas, a Polícia Civil pouco atua e a Guarda Municipal do prefeito José Fortunati nunca é vista em lugar algum. Os contribuintes gaúchos, no entanto, nunca pagaram tanto imposto ao governo, tudo para garantir-lhes serviços públicos de qualidade que são negados sistematicamente.

Durante o governo Ivo Sartori, nunca tantos foram assassinados em tão pouco tempo, o que confirma o desregramento já conhecido sobre o péssimo desempenho da área da segurança pública do RS.

No primeiro semestre, encerrado no domingo, foram moros 833 gaúchos na região metropolitana, sendo 407 apenas em Porto Alegre.

Acompanhe estes números dos primeiros semestres, entre 2011 e 2016, conforme dados da secretaria estadual da Segurança Pública:

Região Metropolitana: 559, 619, 605, 726, 807, 833
Porto Alegre: 202, 231, 213, 251, 303, 407.

Os números de Porto Alegre demonstram que o governo Tarso Genro pegou seu primeiro semestre com cenário estabilizado em 201 assassinados e entregou com 251 em 2014. A partir daí, com Sartori, a situação degringolou completamente. O número do primeiro semestre do primeiro ano de governo de Tarso mais do que dobrou, pulando de 202 para 407.

Não existe uma só medida do atual governo estadual que permita supor que tudo será alterado a curto prazo - até pelo contrário.

6 comentários:

Mordaz disse...

Isto aí. O Sul é o meu país. É mole ou quer mais?

Unknown disse...

E o aumento das mulheres grávidas no período, então... este Sartori...!!!???

Anônimo disse...


ONDE FICA PASÁRGADA?

Interessante é que até alguns meses atrás, era possível encontrar algumas pessoas que acreditavam que bastava tirar Tarso ou Dilma (PT) do poder, para que tudo se resolvesse.

Com a chegada ao poder do PMDB (em Brasília, com Temer e no RS com Sartori), seus seguidores trataram de arranjar um arsenal de desculpas.

Sartori tratou de repetir mil vezes: "é uma herança da gestão passada!". Sempre tem quem acredite e trate de repetir duas mil vezes.

Porém a situação de Temer é a pior de todas. Esse não poderá falar em "herança maldita", pois o PMDB está no poder desde 1985!

Drummond faz muito sucesso...





Anônimo disse...

É uma conclusao obvia: esse rascunho de italiano é um vagabundo omisso, e deve ser expulso a pontapes do governo.
Nao só nao toma providência como nao se manofesta sobre nada.
A impressão é de que se esse verme fosse pros quintos dos infernos, levariamos anos para perceber sua ausência.

Anônimo disse...

Deveria postar assim: Com os votos dos Anti PT, homicídios crescem em Porto Alegre!

Anônimo disse...

VOLTA TARSO, POR FAVOR