Oposição começa a usar o Mensalão nas eleições. FHC sentencia: "Lula deixou uma crise moral sem precedentes no Brasil"

* Clipping El Pais, Montevidéu

El ex presidente Fernando Henrique Cardoso y otros referentes de la oposición brasileña se lanzaron hoy a rebatir al ex mandatario Luiz Lula da Silva y a colocar en la campaña para las elecciones municipales de octubre el escándalo de corrupción del Partido de los Trabajadores, que está siendo juzgado por la máxima corte del país.

"Lula dejó una herencia pesada", dijo Cardoso, del opositor Partido de la Social Democracia Brasileña que gobernó entre 1995 y 2002, en su columna en el diario O Estado de Sao Paulo.

Cardoso juzgó que Lula da Silva "dejó una crisis moral", al recordar que siete de los ocho ministros que dejaron el gobierno de Dilma Rousseff en 2011 fueron parte de esa "herencia pesada".

Lula da Silva, el viernes, volvió a los mitines desde que superó el cáncer de laringe para apoyar a su ex ministro de Desarrollo Social Patrus Ananias a la alcaldía de Belo Horizonte, ocasión en la que aprovechó para reivindicar al PT, y afirmó: "Les digo a mis enemigos que me verán por mucho tiempo".

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

Dilma busca substitutos para Peluso, Ayres Britto e Celso de Mello

O caldeirão jurídico ferve não só pelos primeiros resultados do julgamento do mensalão no Supremo Tribunal Federal (STF). Com a aposentadoria compulsória do ministro Cezar Peluso, a presidente Dilma Rousseff deslancha oficialmente amanhã as consultas para escolher três novos nomes para a Corte, onde terá maioria. Uma lista com 12 nomes já roda por gabinetes de Brasília. Além de Peluso, devem se afastar do STF até o fim do ano o presidente do Supremo, Carlos Ayres Britto, que se aposenta em 18 de novembro; e Celso de Mello, que já avisou que deverá antecipar sua saída de 2015 para 2012.

. O único consenso no Planalto e no mundo jurídico é que uma das vagas é do ministro chefe da Advocacia Geral da União (AGU), Luiz Inácio Adams. Mas não se sabe se na de Britto ou de Mello. Segundo interlocutores, é a hora e a vez dos advogados — criminalistas ou penais — uma carência no STF.

Bandidos explodem a 15ª agência bancária no RS em 2012

Uma quadrilha explodiu um caixa eletrônico do Banco do Brasil de Tio Hugo, na região Norte do Rio Grande do Sul, na madrugada deste domingo. Conforme a Brigada Militar, pelo menos seis homens participaram da ação na agência da rua Rio de Janeiro, no Centro da cidade.

. O grupo roubou uma quantia não divulgada e fugiu em três carros. A polícia ainda não tem informações sobre os suspeitos do crime.

. A polícia acredita que três bandos sejam os responsáveis pelas 15 explosões em 2012. São quadrilhas formadas por gaúchos, que aprenderam a manusear as bananas de C3, utilizado geralmente por mineradoras.

. O jornal Zero Hora ouviu delegados, oficiais da BM, representantes de bancos e seus funcionários. Das entrevistas, surge uma constatação, os ataques proliferam no estado de uma combinação de cinco falhas:
- Agências bancárias com pouca segurança
- Efetivo policial insuficiente
- Plano de ação desarticulado
- Sem alarme direto na BM
- Descontrole dos explosivos

* Foto: Divulgação/BM

Russomano é acusado pelo MP-SP de fraude eleitoral

Uma conta de luz pode complicar a vida do líder isolado nas pesquisas de intenção de voto na corrida pela Prefeitura de São Paulo. Celso Russomanno (PRB) é acusado pelo Ministério Público de mentir sobre seu domicílio eleitoral e simular o aluguel de um imóvel em Santo André com o objetivo de disputar a vaga de prefeito da cidade do Grande ABC em 2000. Uma série de testemunhas e, principalmente, a falta de consumo de energia do apartamento onde ele dizia morar naquela época põem em xeque a versão apresentada por ele no caso.

. As informações constam de uma ação penal na qual Russomanno é réu desde junho, quando o Supremo Tribunal Federal recebeu a denúncia contra ele. Após o recebimento, o processo voltou para a primeira instância porque o hoje candidato do PRB já não tinha mais foro privilegiado – ele deixou de ser deputado federal no ano passado. Russomanno tem depoimento marcado para dar explicações à Justiça no dia 29 de janeiro de 2013.

. Para o Ministério Público, embora tenha afirmado em documento que morava no apartamento da região central de Santo André, ele nunca residiu no imóvel. A legislação exige que o candidato more na cidade onde se vai disputar um cargo pelo menos três meses antes de pedir a transferência do domicílio eleitoral. Instado a se explicar nos autos, o candidato apresentou, via seus advogados, um contrato de locação e o recibo dos pagamentos dos aluguéis de julho, agosto e setembro de 1999, como forma de comprovar o domicílio.

Réus do mensalão tentaram silenciar testemunha de acusação

Réus do mensalão, em julgamento no Supremo Tribunal Federal, os ex-dirigentes do Banco Rural fizeram de tudo para encurralar a principal testemunha da acusação, Carlos Roberto Sanches Godinho, ex-superintendente da área de Compliance do Banco Rural. De ações de indenização a mandados de busca e ordem judicial para vetar entrevistas, o Rural recorreu aos mais variados instrumentos para evitar que Godinho pusesse ainda mais em risco a imagem da instituição.

. Segundo o jornal O Globo, desde que saiu do banco, em setembro de 2005, ele não conseguiu mais emprego na área financeira. Hoje, divide seu tempo entre temporadas nas casas da filha, em Belo Horizonte, e do filho Sérgio, em Natal, Rio Grande do Norte. — Você vê como são as coisas: meu pai resolveu ajudar e foi como se a moeda virasse para o outro lado. Ele só fez o que achava certo. O ex-ministro da Justiça precisava saber disso, né? — diz Sérgio, criticando Márcio Thomaz Bastos, defensor de José Roberto Salgado, ex-diretor do Rural.

. Na sustentação oral no STF, Bastos tratou Godinho como “um ex-funcionário posto para fora” e “um falsário”, mencionando perícia particular feita pelo próprio Rural em documento relacionado a um processo trabalhista de Godinho contra o banco, que nada tem a ver com o mensalão. Bastos já anunciava a estratégia que seria repetida pelos outros advogados dos réus do banco.

. Mas não era dessa forma que o Rural tratava o ex-funcionário quando ingressou com a ação para proibi-lo de dar entrevistas, ou ainda ao pedir um mandado de busca e apreensão na casa dele, em 2005. Na ação, a empresa o trata como “ocupante de um cargo de confiança”, um dos responsáveis por “assegurar a ética e detectar as inconformidades com a lei e a regulamentação” e, por isso, detentor de informações sigilosas.

Wal-Mart testa iPhone como caixa nos EUA


Nem os supermercados ficam de fora da alta tecnologia e dos aplicativos para smartphones. O Walmart está testando, no Arkansas, um novo aplicativo que poderia vir a eliminar o uso de caixas no futuro. Basta escanear o código dos produtos no carrinho. Esta é apenas uma das iniciativas que o Walmart tomou em relação a uma possível substituição de seus caixas. Saiu no Business Insider.

. O teste foi realizado pelo Walmart Labs. O aplicativo permitiu que funcionários escaneassem itens em seus iPhones, mas sem efetuar pagamento pelo dispositivo. O aplicativo transferia os itens escaneados para um quiosque de verificação.

. As lojas do Walmart nos EUA gastam cerca de 12 milhões de dólares em salários de caixas todos os meses. Portanto, um aplicativo como este poderia poupar muita grana da empresa.