Mais da metade dos deputados indicados para a CPI da Petrobras receberam doações de empreiteiras

Os 15 deputados já indicados para apurar na Câmara Federal o esquema de corrupção na Petrobras receberam em 2014 R$ 1,9 milhão em doações eleitorais de empresas citadas na Operação Lava Jato.

O número de beneficiados com doações das empreiteiras, entretanto, pode aumentar, pois ainda faltam ser escolhidos 12 dos 27 membros da CPI que será instalada na quinta-feira. O PP, PMDB e PT têm de apresentar seus representantes.

Confronto entre índios no noroeste gaúcho resulta em morte

Um funcionário da Funai foi assassinado na tarde deste sábado na Reserva de Ventarra, em Erebango, região noroeste do Estado. Outras quatro pessoas ficaram feridas durante disputa pelo controle da área.

Servidores estaduais prometem reagir duramente caso os salários atrasem

A Federação Sindical dos Servidores Públicos do Estado promete uma resposta dura ao governador José Ivo Sartori caso se confirme a previsão de que o pagamento dos salários do funcionalismo pode atrasar.

A possibilidade de haver atraso nos próximos três meses foi levantada na manhã de ontem, por Sartori, durante entrevista coletiva no Palácio Piratini, e ratificada mais tarde pela Secretaria da Fazenda.

De acordo com o secretário Giovani Feltes, se o cenário financeiro do Estado não melhorar em 90 dias, o atraso dos salários é uma hipótese a se considerar.

Bloqueios dos caminhoneiros adquire caráter nacional. Protestos ameaçam o governo Dilma.

Os bloqueios de caminhoneiros, que começaram há um mês pelo Mato Grosso do Sul e esta semana chegaram ao Oeste de Santa Catarina, acabam de desembarcar no RS. Ontem foi a vez do município de Tio Hugo, mas hoje as informações são de que novos bloqueios ocorreram nas rodovias que cortam municípios como Erechim e Ijuí.

O editor conversou há pouco com o secretário dos Transportes, Pedro Westphalen, que está acompanhando os bloqueios, que são "inesperados" e representam protestos contra o aumento do preço do diesel, consequentemente por aumento dos preços dos fretes.

O movimento já adquiriu caráter nacional e ameaça o governo Dilma.

Desfiliação coletiva do PP pode favorecer Claudio Diaz

A se confirmarem as especulações de que parte significativa do PP gaúcho pode estar planejando desfiliar-se, tendo como destino provável o PSDB, a situação pode favorecer o ex-deputado federal Claudio Diaz, que fez justamente o caminho inverso, em 2011, a convite da senadora Ana Amélia Lemos.

Com a saída de expoentes do PP, se abriria para Diaz um espaço que ele ainda não conseguiu conquistar, já que, na última eleição, em que disputou novamente uma vaga à Câmara Federal, obteve apenas 32 mil votos.

Cardozo sugeriu que empreiteiro não fizesse acordo de delação premiada

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, pediu a advogados contratados pela UTC que o dono da empreiteira, Ricardo Pessoa, não fizesse acordo de delação premiada com o juiz federal Sérgio Moro. É o que garante a revista Veja, na edição que circula a partir deste final de semana.

Pessoa cumpre prisão preventiva em Curitiba desde a deflagração da sétima fase da Operação Lava Jato. Segundo a reportagem, a UTC teria R$ 600 milhões a receber por serviços prestados à Petrobras e vem pressionando interlocutores do PT para conseguir a liberação do dinheiro.

Ainda de acordo com a revista, os procuradores federais desconfiam que o que Pessoa ainda não confessou coloca o Palácio do Planalto no centro do escândalo, por isso o empenho do governo em fazê-lo se calar.

O que Ricardo Pessoa já disse até o momento:

- O esquema organizado de cobrança de propina na Petrobras começou a funcionar em 2003, no governo Lula, organizado pelo então tesoureiro do PT Delúbio Soares

- A UTC financiou clandestinamente as campanhas do ministro Jaques Wagner ao governo da Bahia em 2006 e 2010

- A empreiteira ajudou o ex-ministro José Dirceu a pagar despesas pessoais a partir de simulação de contratos de consultoria

- Em 2014, a campanha de Dilma Rousseff e o PT receberam da empreiteira R$ 30 milhões desviados da Petrobras

Aécio para Ana Amélia: “venha para o ninho tucano”

A possibilidade de progressistas gaúchos deixarem a sigla chegou aos ouvidos do senador tucano Aécio Neves, que não perdeu tempo e já convidou a senadora Ana Amélia Lemos para filiar-se ao PSDB.

Segundo uma fonte próxima, Ana Amélia disse que seguirá o movimento de seus colegas de partido.

Disposição, portanto, parece haver.

O editor não é assessor do deputado Onyx Lorenzoni. Nunca foi, não é e não será CC de nenhum deputado do Brasil.

NOTA DO EDITOR

É falsa a notícia que circula nas redes sociais segundo as quais o editor é assessor do deputado Onyx Lorenzoni, DEM. Não foi, não é e não será CC de nenhum deputado ou governo. O que acontece é identidade muito grande entre as causas que o editor e o deputado defendem, comuns, aliás, a quase toda a bancada federal gaúcha, extraídos os representantes do PT e do PCdoB.

PP gaúcho se reúne segunda. A pauta: desfiliação em massa

Deputados, prefeitos e vereadores do PP gaúcho se reúnem nesta segunda-feira, em Porto Alegre, para decidir o que fazer diante da lista de políticos do partido envolvidos na Operação Lava-Jato.

Um deles confidenciou ao editor que uma das teses que serão defendidas no encontro é consultar o Tribunal Superior Eleitoral a respeito da legitimidade jurídica de uma desfiliação coletiva.

Filha de Paulo Roberto Costa também enriqueceu com o Petrolão

Em um dos depoimentos dados à Polícia Federal, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa, revelou que, por sua influência junto à construtora Confidere, ajudou sua filha Arianna Bachmann a fornecer todo o mobiliário das novas unidades do centro de pesquisas da estatal, erguidas pela empreiteira.

A PF apurou que Arianna faturou R$ 5 milhões com o negócio.

Ainda sem os números da CEEE, economia no RS chegou a 0,5%

A AES-Sul e a RGE, concessionárias de energia que abastecem três quartos do Rio Grande do Sul, divulgaram esta tarde o balanço do consumo economizado durante o horário de verão, que teve redução de 0,5%.

Na área da AES Sul, a economia no período alcançou o equivalente ao consumo de uma cidade de 40 mil habitantes. Já na da RGE, correspondeu à energia suficiente para abastecer um município do tamanho de Caxias do Sul por quatro dias.

A CEEE ainda não divulgou seu balanço.

MPF ataca manobra da AGU junto ao TCU para livrar os empreiteiros, políticos e empregados que roubaram R$ 88 bilhões da Petrobrás

O governo Dilma, o PT e seus  aliados, inclusive os corruptos empreiteiros e ex-dirigentes da Petrobrás, passaram a enfrentar forte reação do Ministério Público Federal, Polícia Federal e Justiça Federal, tudo porque tentam politizar o escândalo do Petrolão e apresentá-lo como uma iniciativa do PSDB, o que evidentemente provoca reações das instituições republicanas que não se sujeitam a este tipo de jogo e preservam o devido processo legal, sobretudo ocontraditório jurisdicional. Ao investir contra MPF, PF e JF, Dilma e sua tropa, inclusive o ministro José Eduardo Cardozo e o AGU, Luís Adams, compraram uma briga indigesta com as instituições da República. 

No desespero de impedir que as investigações cheguem a Dilma, a Lula e ao PT, o governo lançou-se perigosamente a uma série de manobras para livrar as empreiteiras. É como se deve entender a movimentação da AGU junto ao TCU sobre acordos de leniência (leia mais a seguir) e as reuniões de Cardozo com advogados da Odebrecht, que buscaram invalidar provas conseguidas pelo MPF na Suiça, manobra desmoralizada pela reportagem de ontem a noite pelo JN (leia nota a seguir).

Nesse conjunto de manobras solertes e sórdidas, inclui-se a fala hipócrita, mentirosa e criminosa, produzida ontem pela presidente Dilma. 

É neste contexto que é preciso entender o ato do Ministério Público junto ao Tribunal de Contas da União, que  entrou ontem (20.fev.2015) à noite com um pedido de ação cautelar contra a celebração de acordos de leniência entre o governo federal e as empreiteiras acusadas de corrupção no âmbito da Operação Lava Jato.

A informação, que é novidade completa neste sábado, é do jornalista Fernando Rodrigues, site UOL, que vai a seguir na íntegra. 

[GLOSSÁRIO: Ação cautelara é uma medida que busca a assegurar um direito de maneira preventiva quando há risco de que algum ato possa prejudicar o processo principal. Acordo de leniência é um acerto entre uma empresa e órgãos reguladores: a firma aceita a culpa, paga uma multa, promete ajustar sua conduta e sai livre de outras punições].
O receio do Ministério Público é que um acordo de leniência agora entre empreiteiras acusadas de corrupção e o governo federal (por meio da Controladoria Geral da União) possa atrapalhar o processo de investigação em curso, conduzido pela Justiça Federal no Paraná, com o apoio de procuradores e da Polícia Federal.
Haveria risco de o governo federal “atravessar” o atual processo de investigação, como escreveu o procurador Júlio Marcelo de Oliveira no pedido de ação cautelar ao presidente do TCU, Aroldo Cedraz:

“Fere a lógica da divisão harmônica de poderes e competências entre os diversos órgãos da República que, estando uma operação em curso, conduzida pelo Ministério Público Federal, com suporte da Polícia Federal, com amplas repercussões cíveis e penais, possa um órgão do Poder Executivo, com esfera de atuação muito mais limitada, atravessar a operação para celebrar acordos de leniência que tenham por substrato fático o mesmo conjunto de fatos já investigados pelo Ministério Público Federal”.

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

Taxistas não aprovaram o binário Borges-Praia de Belas

Taxistas que trabalham em pontos nas proximidades do Shopping Praia de Belas estão descontentes com a implantação do binário, pela prefeitura, ontem.

Em um ponto de táxi da avenida Praia de Belas, que agora tem sentido único, da zona sul para o centro, os motoristas reclamam que perderam espaço, pois antes podiam estacionar 42 carros e, com a reforma, o número caiu para 20.

Eles também estão receosos de que o sentido único diminua o volume de passageiros.

Okamoto tem explicação para o assalto à Petrobras

Em entrevista a O Estado de São Paulo, o presidente do Instituto Lula, Paulo Okamoto, cometeu um ato falho ao falar sobre a Operação Lava Jato: “No Brasil, todo mundo corrompe um pouquinho. Nego atravessa pelo acostamento; nego fala no telefone celular; dá um dinheirinho ali para o guarda. A gente tem uma cultura de comprar facilidade, que é ruim”.

Em outras palavras, transferiu a culpa pelo saque à Petrobras à índole do brasileiro em querer levar alguma vantagem em tudo. Tenta, assim, justificar o porquê de pessoas ligadas ao governo Dilma terem sucumbido à tentação de meter a mão nos cofres da estatal.

Análise, Ricardo Noblat - Dilma reaparece zombando da inteligência alheia

De que adiantou a presidente Dilma ter ficado quase dois meses sem responder a perguntas de jornalistas para ao fim e ao cabo romper seu silêncio dizendo um monte de sandices? Perdeu uma oportunidade de ouro de permanecer calada.

A maioria dos brasileiros não a perdoa por ela ter mentido tanto durante a campanha que a reelegeu. Tudo o que ela disser daqui para frente será recebido com desconfiança. Pois bem: assim que pôde, Dilma voltou a zombar da inteligência alheia.

O que resta demonstrado depois de tantos meses de investigação sobre a roubalheira na Petrobras? Que diretores e gerentes, alguns nomeados ainda por Lula, montaram uma formidável máquina de arrancar dinheiro de empreiteiras para financiar partidos.

Quando tudo isso começou? No primeiro governo Lula. Pedro Barusco, ex-gerente da Petrobras, confessou ter sido subornado por uma empresa holandesa ainda no período de Fernando Henrique Cardoso na presidência. Mas esse foi um fato isolado como ele mesmo reconheceu.

A corrupção organizada e envolvendo funcionários e empreiteiras a serviço da Petrobras só deu sinal de vida na Era  PT. Daí... Daí como é possível que Dilma cometa o descaramento de atropelar a verdade para tentar repartir a culpa do PT com o PSDB de FHC?

Isso só tem um nome: desonestidade intelectual.


Como na campanha, Dilma imagina sair no lucro repetindo mentiras até que elas acabem aceitas como verdades. Não é por que o truque deu certo antes que dará certo outra vez.

Artigo, Percival Puggina: PT E CNBB, 35 ANOS DE UNIÃO ESTÁVEL

A escolha da ilustração ao lado é do editor e representa a mancebia, que não é exatamente o que descreve Puggina, que elegantemente prefere classificar as relações entre PT e CNBB como atos de união estável -  Existem partidos políticos que se especializam em xingamentos. Chutam adversários sem dó nem piedade da canela para cima e da canela para baixo. São indulgentes apenas consigo mesmos. Afagam seus malfeitores e não há culpas que os leve a pedir desculpas. Na maioria, são pequenos partidos radicais, com militantes e dirigentes mal educados, rancorosos, socialmente desajustados. Há, no entanto, um grande partido que corresponde perfeitamente a essa descrição. Com tais métodos, chegou ao poder e governa o país há 12 anos (isso se não contarmos os últimos quatro de FHC durante os quais o PT influenciou fortemente decisões do governo).

 Pois bem, observe as pautas petistas, suas reivindicações e as postulações dos grupos sociais que o partido comanda no estalar dos dedos e ao megafone. Examine a essência da ideologia da legenda nos textos que produz, no conteúdo de seus sites e nas resoluções de seus congressos. Procure identificar o rumo perseguido pelas proposições legislativas dos parlamentares do partido. Vejam com que tipo de governos e regimes se relacionam. Siga por essas trilhas e perceberá que o PT mantém com a Igreja Católica (que não se confunde com a CNBB) e com sua doutrina religiosa e moral uma relação de irredutível divergência e animosidade. A distância que separa o petismo da Igreja é intransponível.


No entanto... no entanto..., o Partido dos Trabalhadores e a Conferência Nacional dos Bispos do Brasil, há 35 anos, vivem em união estável, garantidora não apenas de direitos, mas de afetos, regalias e privilégios.

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

Preço das passagens de ônibus da tarifa de integração com Trensurb sobe de R$ 4,19 para R$ 4,45

Na esteira do aumento das passagens de ônibus de Porto Alegre o valor da tarifa da integração entre os coletivos da Capital e o metrô passa de R$  4,19 para R$ 4.45 aos que possuem o Cartão TRI ou o SIM. Quem não possui esse benefício vai pagar R$ 4,95 . Já em Canoas, a integração entre Metrô e coletivos da empresa Vicasa aumenta para R$ 4,20  neste domingo.

Telefones e internet da Claro entraram em colapso na sexta-feira em Santa Catarina

Desde ontem, sexta-feira, os serviços de celular e internet da Claro não funcionam em franjas enormes do território de Santa Catarina, inclcusive Florianópolis. Em balneários como Jurerê, o colapso persiste até este momento (13h50min). Os serviços foram precariamente restabelecidos ontem a noite, 22h30min, mas não se mantiveram.

O editor procurou a Claro em Porto Alegre, mas depois de 40 minutos de espera, as informações foram de que os serviços tinham mesmo entrado em colapso.

O Procon do RS, que mobilizou equipes inteiras para multar postos de combustíveis, sem intervir na Petrobrás, origem dos aumentos de preços, nada sabe sobre o que acontece com os serviços da Claro.

Saiba como o Jornal Nacional desmontou, passo a passo, as manobras da Odebrecht para contaminar as provas obtidas na Suiça

Ao lado, o procurador Vladimir Aras, demonstra de que modo o governo sabia de tudo. CLIQUE AQUI para ver e ouvir toda a reportagem - O Jornal Nacional desta sexta-feira a noite, desmontou por completo a manobra montada pelos advogados da Odebrecht e pelo ministro da Justiça, que tentam demonstrar que os procuradores do Paraná obtiveram de forma ilegal as provas que buscaram contra a companhia na Suiça. O governo passou a semana toda manobrando para livrar os empreiteiros e com isto livrar Lula e Dilma, o objetivo final. O caso a AGU e o TCU (leia notas abaixo) faz parte das manobras.  O ministro disse que não quer falar sobre o caso Odebrecht, porque tudo corre em segredo de justiça, o que é mentira. José Eduardo Cardozo foi quem revelou os termos da reunião que teve com os advogados, detalhando a queixa e o pedido dos advogados, mas não quis dizer se eles tinham ou não razão, embora soubesse perfeitamente. A  idéia do grupo é contaminar toda a Operação Petrolão. A reportagem do JN mostra passo a passo as providências tomadas pela PGR junto ao governo, visando a obtenção de dados do governo da Suiça. Aliás, atuações semelhantes já foram realizadas até mesmo com os Estados Unidos, sem levantar polêmica. Leia tudo:

A Procuradoria Geral da República afirmou que foram corretos os procedimentos para reunir, no exterior, documentos sobre empresas envolvidas na Operação Lava Jato. A ação dos procuradores foi motivo de uma reunião de advogados da construtora Odebrecht com o ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, no começo do mês. Um encontro que provocou muita polêmica.
Os documentos sobre a movimentação financeira da construtora Odebrecht em bancos da Suíça foram pedidos pela força-tarefa da Operação Lava Jato. Em acordo de delação premiada com o Ministério Público, o ex-diretor de Abastecimento da Petrobras Paulo Roberto Costa disse que recebeu US$ 31,5 milhões em propina da empresa. Segundo Costa, o dinheiro pago pela Odebrecht era depositado em contas na Suíça. A empresa negou as acusações.
Nesta sexta-feira (20), em nota, a Odebrecht confirmou que pediu ao Ministério da Justiça informações para saber se houve o controle da legalidade da cooperação jurídica entre Brasil e Suíça. Ou seja, a construtora quer saber se a força-tarefa só teve acesso aos documentos depois de eles serem enviados oficialmente ao Brasil. O assunto foi levado ao ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, numa audiência no dia 5 deste mês.
A Procuradoria Geral da República esclareceu ao Jornal Nacional o procedimento adotado. O pedido de informações partiu do Ministério Público Federal do Paraná. Foi enviado à Secretaria de Cooperação Jurídica Internacional da Procuradoria-Geral da República. Dali, seguiu para o Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional do Ministério da Justiça, que fez a solicitação às autoridades suíças.
Segundo a Procuradoria Geral da República, o procedimento obedece às regras do Tratado de Cooperação Internacional entre Brasil e Suíça, regulamentado por um decreto presidencial de 2009. A Procuradoria informou também que antes do caso Odebrecht adotou procedimento semelhante em outros oito pedidos feitos a diferentes países.
O procurador Vladimir Aras disse que não há ilegalidade no fato de autoridades brasileiras fazerem contatos preliminares com órgãos internacionais. E afirma que os documentos vindos do exterior são provas legais, porque chegam ao país por fontes oficiais. O procurador considera a representação dos advogados da Odebrecht parte da estratégia de defesa da empresa para tentar anular as investigações.

“Imagino que seja uma tentativa de encontrar uma nulidade onde não há. Nós temos certeza absoluta, convicção, de que todo o procedimento foi observado de acordo com as leis e os tratados”, afirma o procurador Vladimir Aras.



Florianópolis cria taxa para espantar turistas. "Turistas, go home", diz vereador do PSB que quer criar a TPA.

O vereador socialista Roberto Katumi, confirmou neste sábado que protocolará na segunda-feira o projeto que cria a Taxa de Preservação Ambiental, destinada a cobrar pedágio de todos os turistas que entrarem em Florianópolis. O pedágio valerá por 15 dias. Carros pagariam R$ 10,00 e ônibus o equivalente a R$ 30,00.

A TPA dividiu as opiniões, mas todos querem discutir a proposta de criação da TPA.
O prefeito Cesar Souza não quer falar, mas a secretária do Turismo, Maria Claudia Evangelista, disse que vê tudo com bons olhos.

A proposta ganhou força depois que Bombinhas, Norte de SC, começou a cobrar pedágio no dia 6 de janeiro.


Em Florianópolis, há bastante tempo existem fortes movimentos que pedem que os turistas sejam mandados embora. 

Indonésia reage à grosseria de Dilma e retira embaixador no Brasil

Ao lado, Márcio Archer, o traficante e drogado brasileiro preso, julgado, condenado e executado na Indonésia, pivô de crise absurda, grosseira, desnecessária, produzida por Dilma entre Brasília e Jacarta - A Indonésia retirou seu novo embaixador em Brasília depois de o Brasil ter adiado a cerimônia de sua indicação quando o diplomata já estava no Palácio do Planalto, tudo por ordem de Dilma,  disse Jacarta neste sábado, em meio a estremecimentos das relações após a execução de um brasileiro acusado de tráfico de drogas. Brasil e Holanda retiraram seus embaixadores da Indonésia, que tem uma das leis antidrogas mais estritas do mundo, depois que dois de seus cidadãos estiveram entre seis pessoas executadas por tráfico de drogas no mês passado.

Toto Riyanto, que foi escolhido para ser o novo embaixador da Indonésia no Brasil em outubro, foi convidado para apresentar suas credenciais em Brasília na sexta-feira, mas recebeu pouco antes a informação de que a cerimônia havia sido adiada, disse o Ministério das Relações Exteriores indonésio em comunicado.

"A maneira com a qual a chancelaria do Brasil repentinamente nos informou do adiamento... quando o embaixador designado já estava no palácio, é inaceitável para a Indonésia", disse o ministério. "Como um Estado soberano democrático com sua própria soberania, sistema judiciário independente e imparcial, nenhum país estrangeiro ou parte pode ou deve interferir na implementação das leis da Indonésia em sua jurisdição, incluindo na aplicação das leis para combater o tráfego de drogas", disse o comunicado.


- O presidente da Indonésia, Joko Widodo, usando sua legislação, aliás bem conhecida de todos, negou clemência a traficantes de drogas, apesar dos pedidos formais de União Europeia, Brasil, Austrália e Anistia Internacional. A reação brasileira, sobretudo a desta sexta-feira, tem sido grosseira, extemporânea e inaceitável. 

Protesto dos caminhoneiros tem a ver com o estúpido aumento do preço do diesel

O LEITOR É O REPÓRTER

Estou em férias no Oeste do Paraná. Aqui, comenta-ser  que o movimento irá se ampliar a outros 
Estados. Mato Grosso, antes, e SC, agora, são apenas o começo. Com o preço do diesel, é impossível rodar. Por exemplo: para quem transporta soja e milho para o porto de Paranaguá, o frete de volta é R$ 40,00 a tonelada, para rodar mais de 1.000 km. Isso dá de frete R$ 1.200,00 e para encher o tanque do caminhão custa R$ 1.700,00. Carlos Beschorner, Cascavel, PR.

Advogados Públicos Federais tiram nota desautorizando intervenção da AGU, em defesa dos empreiteiros do Petrolão

O editor recebeu e publica a nota a seguir:

(Ao lado, Luis Adams, Advogado Geral da União). A UNAFE – União dos Advogados Públicos Federais do Brasil vem a público se pronunciar sobre a reportagem da Revista Veja que veiculou uma suposta atuação do Advogado-Geral da União junto ao Tribunal de Contas da União (TCU),  bem como sua repercussão no meio social.
Segundo consta da referida reportagem, o Advogado-Geral da União teria minutado uma instrução normativa e articulado sua aprovação junto ao TCU (o que ocorreu em curto espaço de tempo). Segundo se apurou da reportagem, a Instrução Normativa aprovada pelo TCU (74 de 11 de fevereiro de 2015) teria como escopo impedir a atuação do tribunal na verificação da legalidade dos acordos formalizados pelas empresas envolvidas na operação “Lava Jato”, da Polícia Federal.
A reportagem afirma ainda que a “turma da AGU” estaria agindo de forma a esvaziar a eficácia e a amplitude da referida operação.
Diante da relevância dos fatos, a UNAFE vem à presença da sociedade brasileira e das autoridades constituídas informar que, com a dedicação que o tema merece, irá analisar a instrução normativa citada na reportagem e, diante de qualquer ilegalidade, irá adotar as medidas judiciais cabíveis.
Sem prejuízo da referida análise, o momento é oportuno para informar à sociedade brasileira que não há que se falar em “turma da AGU”.
Desde sua nomeação e posse, o atual Advogado-Geral da União optou por agir de forma isolada e autoritária. Optou, deliberadamente, por uma advocacia de governo em detrimento de uma advocacia de estado.
Os fatos relatados na citada reportagem apenas destacam que, desde sua nomeação, o Advogado-Geral da União não conta com apoio da carreiraASG

Termina à zero hora deste domingo o horário de verão

O horário de verão termina a zero hora deste domingo.  Nos dez estados e no Distrito Federal, onde vigorou o horário, os relógios devem ser atrasados em uma hora.  Nesta edição, foram 126 dias, cinco a mais do que a média dos últimos 15 anos e uma semana a mais do que na edição anterior. O governo ainda não concluiu o balanço do quanto foi economizado. Em 2014 foram poupados  R$ 405 milhões no consumo de energia. 

Mesmo com retração da economia, empresas de TI apostam no crescimento do mercado

A Associação das Empresas Brasileiras de Tecnologia da Informação Regional RS (Assespro-RS), mesmo com a retração da economia,  aposta  no crescimento do setor. A presidente da Assespro-RS, Letícia Batistela, é otimista e acredita que é o  momento do mercado de TI crescer, porque as empresas precisam aumentar a produtividade e otimizar os processos.


O ex presidente da Assespro Nacional e diretor da Sidicom Software, o gaúcho Ricardo Kurtz,  diz que as características do mercado gaúcho tornam as negociações mais lentas e muitas das empresas locais preferem adquirir softwares de desenvolvedoras de fora do estado, especialmente das empresas de São Paulo. Ele analisa deste modo o que acontece:
]
-  O mercado do Sul difere por hoje ter matriz produtiva mais plural, além do agronegócio, tem inúmeros setores industriais e de serviços, que, apesar da falta de planejamento e incentivo governamental, prosperam devido ao alto espírito empreendedor e desbravador do empresariado.

IPVA já rendeu R$ 1 bilhão aos cofres do Tesouro do RS. Em janeiro foram R$ 300 milhões.

O sistema de pagamentos antecipados do IPVA 2015 levou o mês de janeiro a terminar com um recorde de arrecadação, num total de R$ 310 milhões para os cofres públicos do Rio Grande do Sul. Já foram R$ 1 bilhão só em IVA. A possibilidade de parcelar em até três vezes e descontos de até 23% para pagamentos à vista foi um dos fatores para chegar a esse valor. A frota estimada de veículos no Rio Grande do Sul é de aproximadamente 6,5 milhões de automóveis. E destes, 3,6 milhões estão tributados

Quem ainda não pagou o tributo pode fazer em até duas parcelas, com um desconto de 2% no mês de fevereiro e de 1% no final de março, podendo usufruir da dedução para bons motoristas, que varia entre 10% e 15%, e os descontos com o uso dos créditos da Nota Fiscal Gaúcha, entre 2% e 5%. Para  pagar após os prazos do pagamento antecipado, os vencimentos serão  entre abril e junho de 2015, de acordo com a numeração da placa do veículo. 

Agora, bloqueios de protesto em rodovias atinge o oeste de Santa Catarina

Depois de protestos dos caminhoneiros no Mato Grosso do Sul, mês passado, passou a ganhar corpo outro movimento de bloqueio de rodovias, desta vez em Santa Catasrina.Os caminhoneiros avisaram ontem que só desbloquearão as estradas no caso de receberem apoio dos agricultores. Isto aconteceu ontem mesmo. 

A paralisação dos caminhoneiros em Santa Catarina ganhou força na sexta-feira e a estimativa é que o número de caminhões já supere 500 em São Miguel do Oeste, no trevo da BR-282 com a SC-163, e 100 em Maravilha, próximo ao posto da Coocatrans, nas margens da BR-282. Os dados foram repassados pela coordenação do movimento e confirmados pela Polícia Rodoviária Federal.

Os motoristas protestam contra o aumento dos combustíveis e más condições das estradas, entre vários outros itens. Na quinta-feira o movimento começou a bloquear também cargas de leite e ração.

— Só vamos liberar quando os agricultores se incorporarem ao nosso movimento — disse ao jorfnal Diário Catarinense, neste sábado, o motorista Vilmar Bonora, de São Miguel do Oeste, um dos líderes do movimento, que iniciou na quarta-feira.

No final da tarde a Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Estado de Santa Catarina (Fetaesc), anunciou o apoio ao motoristas e, na manhã deste sábado, agricultores devem engrossar o protesto.

Reveja, aqui, a reportagem de ontem do "Globo Repórter" sobre as belas terras do RS

Para quem não assistiu na TV Globo, ontem, sexta feira, o programa Globo Repórter, a reportagem sobre regiões do Rio Grande do Sul, com belíssimas imagens, vão aí três links para ver em tela cheia do computador ou transferir para a TV:

As terras altas do Rio Grande d Sul.
CLIQUE AQUI para a Parte I.
CLIQUE AQUI para a Parte II

O Litoral, banhado pelo Oceano Atlântico.
CLIQUE AQUI para ver.

Empreiteiro da UTC abre a boca. Ele conta que propina irrigou campanha à reeleição de Dilma.

Com a capa 'Os segredos do empreiteiro', Veja antecipa o que o empresário Ricardo Pessoa, dono da UTC Engenharia pretende falar aos investigadores da Operação Lava Jato. A revista já tinha adiantado trechos do depoimento que ele já adiantou. Preso preventivamente há mais de 90 dias, tudo porque interferia nas investigações, Pessoa vem sendo pressionado a fechar um acordo de delação premiada. Sua pena pode variar de 90 a 180 anos de prisão, mas com a delação, poderá ser solto. 

Nos contatos iniciais com os procuradores do MPF, o dono da UTC, o chefe do cartel de empreiteiras,  poderá implicar o ex-presidente Lula, a presidente Dilma Rousseff, os ministros Jaques Wagner e José Eduardo Cardozo, o governador baiano Rui Costa e, ainda, o ex-ministro José Dirceu.

. É isto que tem levado o PT e o governo Lula a promover ações desesperadas como as que conduziram o ministro da Justiça a reuniões inaceitáveis com advogados dos réus da Lava Jato. 

 As revelações são as seguintes: (1) os R$ 30 milhões registrados como doação de campanha da UTC em 2014 foram propina, corroborando a tese de que partidos políticos, como o PT, não passam der  lavanderias de recursos; (2) o ministro José Eduardo Cardozo tentou interferir na Lava Jato, tentando evitar sua delação premiada; (3) nas últimas três campanhas vencidas pelo PT na Bahia, com Jaques Wagner e Rui Costa, contou-se com apoio da UTC; (4) o empreiteiro pagou despesas pessoas de José Dirceu, ex-chefe da Casa Civil, contratando-o como consultor.

Intelectuais petistas defendem a moribunda Petrobrás. Eles também denunciam urdidura de golpe contra Dilma.

Documento assinado por nomes de peso da intelectualidade brasileira, como João Pedro Stédile, o chefão perpétuo do MST, e Celso Amorim, ex-ministro da Defesa, além de Fabio Konder Comparato, Marilena Chauí, Cândido Mendes, Leonardo Boff, Luiz Pinguelli Rosa e Maria da Conceição Tavares, denuncia a urdidura de um golpe de Estado contra Dilma e a tentativa de destruição da Petrobras e de seus fornecedores, inclusive das empreiteiras cujos donos estão presos na cadeia porque roubaram R$ 88 bilhões no âmbito da Operação Lava Jato, numa quiadrilha da qual fizeram parte justamente com a Petrobrás e os principais líderes do PT e dos governos Lula e Dilma. "Com efeito, há uma campanha para esvaziar a Petrobras, a única das grandes empresas de petróleo a ter reservas e produção continuamente aumentadas", diz o texto;

. Debilitada a Petrobras, âncora do nosso desenvolvimento científico, tecnológico e industrial, serão dizimadas empresas aqui instaladas, responsáveis por mais de 500.000 empregos qualificados, remetendo-nos uma vez mais a uma condição subalterna e colonial"; documento propõe pacto pela democracia.

. Não se sabe por que razão outros intelectuais conhecidos e ligados ao PT, Lula e Dilma, não assinaram o texto. É gritante a ausência dos nomes de Luiz Fernando Veríssimo, Chico Buarque, Tarso Genro e Vicentinho.