Dilma perdoa dívida de US$ 1 bilhão da África. Veja como eles gastam o nosso dinheiro.

Sobre a diferença com que trata as dívidas dos Estados e como beneficia a África, o deputado Gilberto Capoani, PMDB do RS, escreveu neste sábado no seu Facebook:
Está no Jornal Estadão. Dilma perdoará ou renegociará dívida de 12 países africanos. Aqui no Brasil, Ministro Mantega afirmou ontem que a revisão do valor da dívida dos Estados com o Governo Federal está fora de qualquer discussão. O RS devia em 1996 para a União 26 12 bilhões, pagou 16 bilhões e deve 46 bilhões. O RS paga 2,5 bilhões por ano da dívida com o Governo Federal.

Em viagem que resolveu fazer à África e que ninguém conseguiu explicar o real objetivo de começar tudo pela Etiópia, a presidente Dilma Roussef anunciou neste sábado que resolveu perdoar a dívida de US1 bilhão que os governos africanos beneficiados por Lula e por ela mesma bnão conseguem ou não querem pagar.

. O Congo é um dos Países beneficiados. Ele devia US$ 350 milhões.

. No link a seguir, você perceberá de que modo as autoridades congolesas gastaram o suado dinheiro que falta para os miseráveis e pobres brasileiros. A festa descrita na reportagem com fotos é da primeira-dama do Congo, madame Antoinette Sassou-Nguesso. O regabofe foi em Saint-Tropez;


Uma festa de l  milhão de euros.

CLIQUE AQUI para ver.

Saiba por que os que defendem a liberação da maconha merecem ser investigados

A leitora que o jornal Zero Hora chama de Márcia, escreveu o texto a seguir, publicado na íntegra no miolo do editorial que o jornal publicou na sua edição deste sábado. Trata-se de um libelo contra os defensores do uso da maconha e de outras drogas mais pesadas. Ela conta o dramático caso da sua família, que prdeu tudo, inclusive casa, carro, dinheiro e convivência familiar, tudo por causa de uma filha drogada. Afinal, pergunta Márcia, a quem interessa liberar as drogas ? Ora, só a quem ganha com isto.

Diante da manifestação do deputado federal Osmar Terra, percebi a validade de meu voto. Acredito que a repressão ao tráfico de drogas, bem como ao seu consumo, é medida urgente que deve ser aplicada de forma rigorosa e com apoio unificado da sociedade e do Estado.

Qualquer membro dos três poderes que seja a favor da “liberação da maconha” merece ser investigado. Não é possível, frente à epidemia em questão, que alguém possa achar que a liberação é apropriada, ainda mais neste momento de caos. Talvez pense assim quem ganha dinheiro com isso, o que não é o caso da minha família. Meus pais possuem uma renda familiar de aproximadamente 30 salários mínimos. Somos três filhos e uma das minhas irmãs teve diagnóstico de bipolaridade e transtorno de personalidade aos 21 anos, em sua primeira internação em uma clínica psiquiátrica por 170 dias, após descobrirmos que era usuária de cocaína injetável. Antes, desde os 15 anos, por rejeição social em função da doença, já frequentava consultórios de psicólogos e psiquiatras. Começou com a maconha e o álcool aos 15 anos; aos 18 passou a cheirar cocaína; aos 19 passou a injetá-la, sempre com o acompanhamento médico e da família. Hoje, aos 34, é usuária de crack. Meus pais devem aproximadamente R$ 400 mil, entre dívidas bancárias e médicas para cobrir os prejuízos causados por ela. E já não possuem mais casa própria nem carro. Não convivem socialmente, porque se sentem consternados, envergonhados, enfraquecidos, endividados e impotentes. Não sonegam impostos, seus descontos são feitos diretamente em folha. Não passamos Natal e final de ano juntos há 15 anos porque não é possível colocar a tia em contato com os sobrinhos. Não viajamos juntos porque não há dinheiro para isso. Tivemos que gastar com internações, ritalina, psiquiatras, etc. Não tivemos festa de formatura, nem de 15 anos, pelos mesmos motivos. Também não houve confraternização no nascimento dos novos e pequenos membros da família, pelo mesmo motivo. As drogas impõem muitas perdas à família e à sociedade, principalmente afetivas e sociais. Mas ainda temos esperança em ver a população unida a um Estado com bom senso. É o que nos resta.”

Com contas bloqueadas, Paulo Henrique avisa: "Agora, vivo como traficante: só com dinheiro vivo"

- O jornalista Paulo Henrique Amorim, dono do blog Conversa Afiada e homem da Record, teve bloqueadas suas contas nos bancos. "Agora vivo com dinheiro vivo, como traficante", avisou PHA. Na nota a seguir, ele acusa o banqueiro Daniel Dantas, que foi quem conseguiu bloquear suas contas, já que livrou êxito em processo judicial que move contra o jornalista. Paulo Henrique não é o único e nem será o último jornalista vitimado por personagens que se incomodam com denúncias feitas por jornalistas em todo o Brasil. Leia a nota dele:

Nesta semana, também, o imaculado banqueiro conseguiu decisão judicial para interditar as contas bancárias do ansioso blogueiro.

O fato, como sempre, foi imediatamente noticiado por um bajulador jurídico que presta serviços de natureza “Double” ao imaculado banqueiro, fato que se registrou no “Sistema Dantas de Comunicação”.

Na verdade, a Justiça do Rio deu ganho de causa ao imaculado banqueiro para sequestrar das contas do ansioso blogueiro R$ 100 mil duas vezes, e R$ 250 mil uma vez.

No caso dos R$ 250 mil, o excelente advogado Cesar Marcos Klouri obteve histórica decisão do Ministro Celso de Mello, que se inscreve nabatalha pela liberdade de expressão no país.

(Amigo comum diz que o novo ministro do Supremo, o Dr Barroso, que talvez tenha que responder a algumas perguntas do senador Suplicy na sabatina,também é infatigável defensor da liberdade de expressão.)

A decisão de Celso de Mello, breve, se comunicará com as outras duas e as contas do ansioso blogueiro se reabrirão.

Por ora, ele é obrigado a viver como traficante de cocaína e doleiro: funciona a dinheiro vivo.

Cinquenta e quatro anos de jornalismo profissional e não pode ir ao banco.

Paciência.

Viva o Brasil !

Dilma admite falha da Caixa nos boatos sobre Bolsa Família e puxa orelha de Maria do Rosário


Maria do Rosário mentiu e levou puxão de orelha de Dilma. 



Depois de acusar a oposição de espalhar boatos sobre o fim do Bolsa Família, no início desta semana, o governo iniciou um recuo em seu discurso sobre o assunto. Neste sábado, durante visita a Etiópia, na África, a presidente Dilma Rousseff afirmou que a apuração em curso sobre o episódio avalia a possibilidade de ter ocorrido uma "falha" no pagamento dos benefícios pela Caixa Econômica Federal.

. A Caixa, que não admitiu falha sua ao antecipar os pagamentos sem aviso prévio, volta atrás e admite antecipação de pagamentos. "Usamos a tecnologia da informação mais sofisticada possível com o Bolsa Família. Nós somos humanos; pode ter tido falhas. A Polícia Federal e a segurança da Caixa vão procurar todos os motivos e elencá-los", disse Dilma. "O que fazemos é garantir que seja o menos possível de ser objeto de falha interna."

. Na mesma entrevista, a presidente desautorizou membros do governo a fazer acusações sobre a autoria dos rumores sobre o fim do programa federal. "Jamais faria manifestação nesse sentido", disse. E acrescentou: "Ninguém no governo está autorizado a dizer qualquer coisa sobre esse processo."

. É uma guinada no discurso oficial. Na segunda-feira, a ministra-chefe da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, Maria do Rosário, acusou a oposição de espalhar rumores sobre o fim do Bolsa Família. 

Suplicy, patético, rasteja diante de Lula para garantir sua vaga de candidato ao Senado por SP


Com medo de levar cartão vermelho do PT, Suplicy rasteja diante de Lula.



É patética e vergonhosa a carta enviada pelo senador Eduardo Suplicy ao ex-presidente Lula, o verdadeiro chefe do Mensalão, porque o parlamentar paulista do PT ajoelha-se diante do seu líder para pedir perdão pelo que acha que Lula pode não ter gostado, e suplica pela confirmação do seu nome como candidato à reeleição para a vaga de senador por São Paulo.É a este nível de degradação que políticos são reduzidos quando não são capazes de enfrentar corajosamente a adversidade, manter a integridade e dar adeus ao líder que desonrou sua história e irá inevitavelmente para o lixo da história como escroque sem escrúpulos. Leia a carta:

 Caro presidente Luiz Inácio Lula da Silva,

Sempre teríamos na transparência de nossos atos e na ética da vida pública os valores fundamentais do PT, foi o que muitas vezes ouvi de você. Nesses 33 anos de militância honrei esses valores e objetivos.Quero lhe transmitir pessoalmente a minha disposição de ser candidato ao Senado em 2014 e naquela casa continuar a honrar o PT. Tenho procurado marcar um encontro pessoal, há meses, mas por alguma razão tem sido sempre adiado.Gostaria de relembrar que, em 2011, quando éramos cinco os pré-candidatos a prefeito de São Paulo, você convocou os demais para dialogarem com você no Instituto Lula para que desistissem em favor de Fernando Haddad. Imagino que tenha avaliado que não precisava conversar comigo.Há cerca de duas semanas, conforme soube pela imprensa, houve reunião no Instituto Lula, em que estiveram presentes os presidentes nacional e estadual, Rui Falcão e Edinho Silva, outros importantes dirigentes e pelo menos oito prefeitos do PT. Não fui convidado, embora ali se tenha discutido a campanha de 2014, os procedimentos para a escolha do nosso candidato ao governo de São Paulo, ao Senado e possíveis coligações. Segundo o divulgado, os presentes teriam solicitado à direção organizar uma pesquisa de opinião para saber qual o candidato a governador mais viável. Ademais, cogitou-se a possibilidade de que eu pudesse ser candidato a deputado federal para fortalecer a legenda do PT, com a informação de que caberia a você convencer-me desta alternativa.Considero justo que o PT me aponte como candidato ao Senado. Por uma questão de respeito à minha contribuição para o PT desde a sua fundação e também por ter sido eleito por votações cada vez maiores para o Senado, em 1990 com 4.229.706 votos, 30%; em 1998 com 6.718.463, 43,07%; em 2006, com 8.986.803 votos, 47,82%.Poderemos fazer uma prévia aberta a todos os filiados e eleitores interessados em participar como mais e mais se faz em todos os países democráticos. Lembro que José Dirceu certa vez defendeu que nossas prévias deveriam ser abertas a todos os eleitores.Há apenas uma hipótese de eu abrir mão de disputar o Senado em 2014: caso você queira disputar. Por respeito aos seus oito anos como Presidente da República, por já ter disputado uma prévia com você em 2002 e você ter ganho por larga margem.Sempre observei que você acompanhou com grande interesse tudo o que se passa ali, pois sempre comentou conosco que costumava assistir à TV Senado. Acredito que considere algo positivo tornar-se Senador".

Eduardo Matarazzo Suplicy

Marina Silva busca apoio no RS para criar seu novo Partido. Segunda a noite ela falará na Ufrgs.

A candidata a presidente Marina Silva, está desde as 10h concedendo entrevista coletiva no Blue Three Millenium, Porto Alegre. Amanhã, ela coletará assinaturas para ciar seu próprio Partido, o Rede Sustentabilidade, no Parque da Redenção, também as 10h. Esta tarde, 15h, ela terá plenária com apoiadores na Câmara de Vereadores. Marina Silva permanecerá até terça-feira no RS, porque na segunda a noite falará num dos eventos da programação Fronteiras do pensamento, na Ufrgs, junto com Fernando Gabeira.

. Marina Silva precisa 500 mil assinaturas para criar seu Partido. Ela já conseguiu 400 mil.,

O governo Dilma virou um grande negócio para Zé Dirceu e Erenice. Eles, agora, fazem lobby juntos.

Reportagem de VEJA desta semana revela que os dois ex-ministros, afastados da Casal Civil após escândalos, atendem juntos empresas e empresários interessados nos mais variados negócios com o governo

Rodrigo Rangel e Hugo Marques

JOINT VENTURE - Condenado por corrupção, o ex-ministro José Dirceu está diversificando as parcerias      (Marlene Bergamo/Folhapress - Fabio Rodrigues Pozzebom/ABR). Até junho de 2005, quando chefiava a Casa Civil da Presidência da República, o então ministro José Dirceu centralizava praticamente todas as ações do governo. Poderoso, nada acontecia em Brasília sem antes passar pelo seu gabinete. Flagrado no comando do mensalão, o maior esquema de corrupção política da história, ele deixou o governo, abriu um escritório de advocacia, arregimentou clientes na iniciativa privada e ganhou muito dinheiro vendendo uma mercadoria das mais valorizadas na praça: a influência no poder. A ex-ministra Erenice Guerra chefiou a mesma Casa Civil até setembro de 2010. Pilhada no comando de um esquema familiar que assessorava clandestinamente empresas privadas interessadas em fazer negócios com o governo, ela foi demitida. Assim como Dirceu, montou um escritório de advocacia, reuniu uma carteira de clientes na iniciativa privada e também lucra oferecendo acesso ao poder. A novidade é que os dois ex-ministros agora estão operando juntos. Montaram em Brasília uma joint venture do lobby - uma parceria que atende empresas e empresários interessados nos mais variados negócios com o governo.

* A revista com a reportagem completa já está nas bancas. 

Juiz cassou o mandato do prefeito do PMDB de Cruz Alta. Ele aguardará no cargo julgamento do recurso.

A Justiça Eleitoral de Cruz Alta, na Região Noroeste do Rio Grande do Sul, cassou os mandados do prefeito Juliano da Silva, do vice Moacir Marchesan e do vereador Rafael Braga, todos do PMDB. A decisão, em primeira instância, foi divulgada na tarde desta sexta-feira (24) pelo juiz Ricardo Tjader. Cabe recurso da decisão.

. Segundo a Justiça Eleitoral, eles foram condenados pela compra de votos nas eleições de outubro do ano passado. O prefeito também vai responde a processo porque não teria se desvinculado totalmente do cargo de administrador do hospital São Vicente de Paulo, que ocupava antes da eleição. Os envolvidos também terão que pagar multas que variam entre R$ 1,5 mil e R$ 40 mil.Prefeito e vice podem recorrer da decisão sem deixar os cargos. Já o vereador Rafael Braga será afastado imediatamente do Legislativo. Na segunda-feira (27) devem ser feitos os cálculos da anulação dos votos dele pra saber se o partido, o PMDB, mantém a vaga na Câmara de Vereadores ou passa para outro partido.

Ministério Público denuncia ex-prefeito do PT de Bento. Seus bens estão indisponíveis. Ele não foi preso.

O ex-prefeito Roberto Lunelli, o ex-secretário de Finanças, Olívio Barcelos de Menezes, ambos do PT, além de Raymundo Theodoro Carvalho de Oliveira, da Fundação Universitária José Bonifácio, do Rio de Janeiro, foram denunciados nesta quinta-feira pelo Ministério Público, porque cometeram   crimes de dispensa de licitação, emissão de declaração falsa em documento público w desvio de verba pública em proveito próprio ou alheio.

. O MP também ajuizou ação civil pública por improbidade administrativa com pedido liminar para a indisponibilidade de bens. 

. As investigações foram realizadas em conjunto pela Promotoria de Justiça Criminal de Bento Gonçalves e a Promotoria de Justiça Cível , com base em auditoria do Tribunal de Contas do Estado (TCE). O então prefeito, com apoio de Menezes, que à época era diretor de compras da Secretaria Municipal de Finanças, contratou com dispensa ilegal de licitação a Fundação,  para uma consultoria para a venda da folha de pagamento da prefeitura em 2010. Olívio Barcelo de Menezes assinou documentos como se fosse Secretário de Finanças, sendo que foi empossado no cargo depois da data da assinatura. 

. Além de ter contrato para mais um ano e meio junto ao Banco Santander, o serviço sequer foi realizado, conforme resultado da auditoria do TCE. Mesmo assim, foi feito o pagamento de R$ 870 mil em julho do ano passado, sendo que o contrato havia sido suspenso ainda em dezembro de 2011.  A ação civil pública pede o ressarcimento integral dos valores aos cofres públicos, além de multa de dez vezes o salário recebido à época dos fatos.