João Santana não percebeu que má comunicação não é o problema do governo Tarso Genro. É que o problema atende pelo nome de Tarso Genro.

Nem mesmo os secretários mais chegados ao governador Tarso Genro sabiam que ele tinha convidado o publicitário João Santana para uma conversa em petit comitê, logo depois da reunião mais ampla que manteve com o secretariado no Palácio das Hortênsias, Gramado.

. O publicitário foi homem de Lula e é homem de Dilma e do PT.

. A ideia de Tarso Genro foi contar seus sucessos e fracassos, mas depois ouvir uma avaliação franca sobre a conversa e também sobre o resultado de uma pesquisa que o Piratini mandou fazer junto ao Instituto Foco.

. O governo estadual está paralisado desde que entregou seus postos chaves a quadros inexperientes, desconhecidos, desqualificados. Ele  ainda não disse ao que veio, procura uma marca, tenta sair do imobilismo, mas já começou a reta final do mandato, o que quer dizer que não tem muito tempo pela frente.

. O que falou João Santana:
Pesquisa – Apesar dos 72% de avaliação positiva, que incluiu os números sobre resultado “regular”, os maiores, justamente o item “regular” é o que mais deve preocupar.
Má percepção do governo – O governo acha que apesar do resultado da pesquisa, o fato é que a administração estadual é mal avaliada pelos gaúchos, o que é verdade. Tarso Genro imagina estar fazendo um grande governo, mas o povo não acha isto. João Santana acha que em todo o Brasil as pessoas custam a perceber avanços – e isto é um problema de comunicação. O Piratini foi aconselhado a dar mais ênfase à mídia TV.
Internet – O publicitário do PT despreza a importância dos conteúdos de Internet, que segundo ele não se prestam para uma política correta de comunicação.

. É claro que João Santana atribuiu todos os problemas de Tarso Genro a um problema de comunicação. Trata-se de uma leitura míope do que ocorre no governo do PT no RS, que realiza uma administração tão medíocre quanto foram as administrações do petista Olívio Dutra e do pedetista Alceu Collares.

- O editor torce para que Tarso Genro "compre" a ideia de João Santana a respeito da desimportância da Internet. Se fizer isto, é provável que seus esbirros limitem os ataques aos jornalistas que usam as redes sociais para mostrar o que a mídia diária de rádio, TV e jornais não mostra. 

Veja o data show do livro "Cabo de Guerra", Yeda x Eixo do Mal

Você compra Cabo de Guerra, Yeda x Eixo do Mal, 499 páginas, 39 capítulos, 5 cadernos com 70 fotos, R$ 75,00,nestes sábado, inclusive à noite, e domingo, na Livraria Cultura, Porto Alegre (Bourbon Country, ate 22h). Ou peça com entrega por Sedex para qualquer parte do País, e motoboy em Porto Alegre, sem custo adicional de envio e entrega. Acompanhe o conteúdo do livro neste link com data show no You Tube:

CLIQUE AQUI para ver o data show no You Tube.

Procurador Geral da República denuncia Calheiros e fere de morte sua candidatura no Senado. Aproxima-se a vez de Lula.

* Clipping www.congressoemfoco.com.br

- A denúncia fere de morte a candidatura do senador Renan Calheiros, PMDB, apoiado pelo PT, Dilma e Lula para a presidência do senado. A decisão de Roberto Gurgel é tão corajosa quando foi o processo que moveu contra os bandoleiros petistas do Mensalão, Zé Dirceu e seus capangas à frente. Agora, falta Lula. A reportagem é do site Congresso em Foco. Neste sábado, ninguém quis falar sobre a denúncia. 

O procurador Geral da República, Roberto Gurgel, denunciou o candidato favorito a tornar-se o próximo presidente do Senado, Renan Calheiros (PMDB-AL), no caso das notas dos “bois de Alagoas”, derivado das suspeitas de ter despesas particulares pagas por um lobista de empreiteira após o parlamentar ter um filho com a jornalista Mônica Veloso. A denúncia no inquérito 2593 foi apresentada na sexta-feira (25) ao relator do caso no Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski. A papelada já soma mais de 5.600 folhas.Em 2007, Renan foi acusado por Mônica Veloso, sua ex-amante, de usar dinheiro do lobista Cláudio Gontijo, da empreiteira Mendes Júnior, para pagar suas despesas com a pensão do filho e do aluguel da jornalista. Para comprovar que tinha condições de arcar com os gastos sozinho, o senador apresentou notas fiscais de vendas de bois. Mas a Polícia Federal apontou que aqueles documentos não garantiam recursos para quitar a pensão. Também afirmou que os papéis não comprovavam a venda de gado. Havia a suspeita que as notas eram frias. O caso levou o senador a deixar a presidência do Senado, cargo que agora volta a postula.

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

RS Menos - Folha denuncia sucessão de apagões no RS


* Clipping Folha de S. Paulo, matéria de Felipe Bachtold

Com estrutura deficiente e alvo corriqueiro de queixas, a companhia de energia do Rio Grande do Sul se tornou um dos pontos fracos da gestão do petista Tarso Genro.Nesta semana, a Folha mostrou que a estatal CEEE é a número um em atraso de obras para a Copa no setor elétrico nas 12 capitais que receberão os jogos em 2014, segundo relatório da Agência Nacional de Energia Elétrica.No mês passado, a empresa foi alvo do Procon e do Ministério Público devido a constantes cortes de abastecimento em dias de forte chuva. Ela atende a região metropolitana de Porto Alegre, o litoral e o sul do Estado.Nos últimos três meses, foram ao menos cinco apagões na área da CEEE, com mais de 20 mil clientes afetados, em que o restabelecimento total só ocorreu após mais de 12 horas. O mais recente, anteontem, foi no litoral.Outras partes do Estado são atendidas por duas empresas privadas, que também registram blecautes frequentes em casos de temporal.

Em dezembro, quando milhares de pessoas chegaram a ficar sem energia por mais de três dias em plena capital, houve até protestos de rua contra a companhia.Tarso, naquela ocasião, declarou que a empresa ainda sofria a consequência de privatizações feitas há 15 anos. Para ele, o processo deixou dívidas no Estado e reduziu a capacidade de investimento. No ano passado, a divisão de geração e transmissão publicou um relatório afirmando que a "tranquilidade" no sistema só seria atingida no fim de 2013, devido a "investimentos pendentes".

Já a divisão de distribuição fechou 2011 com prejuízo de R$ 203 milhões, valor ainda maior que o de 2010.
O presidente da companhia, Sérgio Souza Dias, não considera que as obras para a Copa estejam atrasadas.
Ele diz que, como a capital gaúcha não irá participar da Copa das Confederações, neste ano, os prazos de conclusão dos projetos passaram para o começo de 2014.Um dos motivos apontados para os cortes em dias de temporal é o fato de a rede de distribuição ser formada por postes em sua maioria de madeira, mais frágeis. A estatal diz que está promovendo gradualmente a troca

Segundo Dias, a situação financeira da CEEE está equacionada, e as verbas para investimento, garantidas.

Esvaziado, emasculado, abre hoje o Fórum Social Mundial

A tradicional Marcha dos Povos dará início oficial ao Fórum Social temático 2013 - Democracia, Cidades e Desenvolvimento Sustentável - neste sábado em Porto Alegre. O evento foi esvaziado pela CUT e pelos governos do PT. Faltou dinheiro público para o convescote esquerdista.  A caminhada pela avenida Borges de Medeiros começa às 17h no largo Glênio Peres. A concentração no local, no entanto, já inicia às 13h. Está prevista a participação de movimentos sociais, centrais sindicais, estudantes, ambientalistas, ativistas de comunidades alternativas e de gênero, professores, servidores públicos e políticos.

O Fórum Social segue até o dia 31. Próximo ao anfiteatro, no parque Maurício Sirotsky, fica o Acampamento da Juventude, que deve reunir milhares de pessoas alojadas em barracas. 

NESTA NOITE DE SÁBADO, VISITE O MELHOR DO RS, SEGUNDO VEJA
Bier Markt
Vá conhecer na Barão do Santo Ângelo 497, ao lado do Leopoldina.
Agora, 24 torneiras de chope artesanal de várias partes do mundo, com barris alojados em câmera fria, servidos diretamente nos copos, sem serpentina. Cardápio diferenciado.
- Vá também na Castro Alves 452, três vezes seguidas
"A Melhor Carta de Cervejas", segundo Veja (2010, 2011 e 2012).

Segurança Pública no RS - Em nome do pai

- O título desta reportagem do jornal Zero Hora desta sexta-feira está perfeito. A homenagem é justa, mas retirar brigadianos da rua em horário de trabalho não parece adequado no RS de 2012.

Uma das últimas Ordens de Serviço da gestão do coronel Sérgio Roberto de Abreu, comandante da Brigada Militar (BM), tem a seguinte finalidade: “Regular as atividades por ocasião da solenidade de inauguração da Rua em homenagem ao pai do Sr Comandante-Geral da BM”.Odocumento convoca mais de 10 oficiais, entre eles comandantes e diretores, para diferentes funções durante a cerimônia de troca de nome da Rua 41, no bairro Algarve, em Alvorada, na Região Metropolitana, para Ten. Noé dos Santos Abreu, realizada ontem.A solenidade conseguiu deslocar, por exemplo, o comandante do Policiamento Metropolitano, coronel Silanus Serenito de Oliveira Mello, às atividades de “planejar e executar ações de polícia ostensiva, e preservação da ordem pública no local do evento”.

O documento, emitido em 22 de janeiro pelo chefe do Estado-maior da BM, coronel Valmor Araujo de Mello, descreve o fardamento exigido e determina as missões. Também convoca cinco diretores e comandantes, além de um ajudante-geral e o corregedor-geral a comparecer ao evento.Coronel deixa o posto mais alto da corporação no dia 30

Com a farda de acordo com o requisitado na ordem de serviço 0133/PM-3/2013, todos viram a banda do Comando Regional de Policiamento Ostensivo do Vale do Sinos abrir com o Hino Nacional e se encerrar com o de Alvorada. A solenidade teve discursos de Abreu – que deixa o cargo dia 30 –, do prefeito de Alvorada, Professor Serginho, e da secretária da Administração e Recursos Humanos do Estado, Stela Farias. A prática não é novidade. Em novembro, em outra inauguração, oficiais de cargos semelhantes foram convocados.

Zamora, o gerentão do "Mão na Massa" do governo Tarso, escondeu os números das despesas de viagens de Tarso

Ricardo Zamora, o chefe de gabinete do governador Tarso Genro, escolhido agora para gerentão da "mão na massa" decidida nesta sexta em Canela (leia a seguir) ficou mais conhecido no início deste mês, ao explicar que as despesas de viagem do governador (uma viagem internacional a cada dois meses, no ano passado) não serão conhecidas por "questão de segurança". O governo do Rio Grande do Sul deixou de fora do Portal Transparência despesas referentes ao gabinete do governador de R$ 303.257,00 em 2012. Por meio de um artifício legal, sob a alegação de questões de segurança, o governo do Estado ocultou o gasto, que é quase três vezes maior que o do exercício de 2011.

. O portal foi criado para dar acesso aos dados administrativos e financeiros da administração pública a qualquer contribuinte.Segundo o chefe de gabinete do governador, Ricardo Zamora, o aumento nas despesas se refere à agenda de compromissos internacionais de Tarso no ano passado. em 2012, ele viajou para Inglaterra, Cuba e Argentina.Segundo informações do Globo, nessas despesas também não estão computadas as diárias recebidas pelo governador nos roteiros pela Alemanha, em março, e por Paris, em dezembro, a convite da presidente Dilma Rousseff, que somaram R$ 4.007,60.

Conheça o Instituto que deu 72% de "positivo" para o medíocre governo Tarso Genro

Uma fonte não identificada do governo Tarso Genro vazou para os jornalistas que cobriram a reunião do secretariado em Canela, sexta, números promissores (72% de positivo) levantados pelo Instituto Foco para o governo do RS. O Piratini não forneceu detalhes sobre o contrato. O Instituto Foco está instalado em Teixeira de Freitas, Bahia, desde abril de 2012. O governador da Bahia é Jacques Wagner, do PT.

. No ano passado, teve que explicar a pesquisa polêmica, veiculada às vésperas das eleições, que apontou Timóteo Brito (PSD) com quase 12% à frente de João Bosco (PT). Mesmo assim, o candidato petista acabou derrotando Timóteo com mais de 12 mil votos de frente.

Rosane Oliveira, Zero Hora, diz que o ocioso governo Tarso Genro, agora, sim, meterá a "mão na massa". Há controvérsia.

- O Instituto Foco, contratado pelo Piratini para avaliar o governo Tarso Genro, encontrou 72% de avaliação positiva. É o que revela o jornal Zero Hora deste sábado. O próprio jornal não contratou o Ibope para fazer este tipo de avaliação, serviço que pediu com regularidade suspeita durante todo o governo Yeda Crusius. O número não combina com a voz rouca das urnas. Na nota a seguir, que é da editora política de Zero Hora, apesar da louvação feita pela jornalista Rosane Oliveira ao fato de que o governo decidiu, sexta, em Canela, com dois anos de atraso, que chegou a hora do "capacete e da mão na massa", fica evidente que Tarso Genro e seu secretariado não fizeram nada até agora, além de inchar a máquina pública, fechar 2012 com um déficit descomunal de R$ 1,3 bilhão e conviver com apagões rodoviários, elétricos e de educação e saúde pública monumentais. Aliás, o governador já tem viagem internacional agendada para março. A nota também demonstra que um desconhecido, inexpressivo e inexperiente chefe de gabinete de Tarso, Ricardo Zamora, será o gerentão da nova fase, uma espécie de Dilma do Tarso. Leia a nota do jornal:

Capacete e mão na massa
Menos terno e gravata. E mais capacete de obra. É isso o que o governador Tarso Genro disse ontem aos secretários reunidos no Palácio das Hortênsias, em Canela, que quer usar na metade final do seu mandato. No encontro, Tarso discutiu com o primeiro escalão a forma de fazer andar as obras que ainda não deslancharam e que ele quer inaugurar até o final de 2014.Tudo o que o governador não quer é passar os próximos dois anos dentro do gabinete, engolfado por reuniões de planejamento e por polêmicas como a relação desgastante com o Cpers, que cobra o pagamento do piso nacional da categoria. Apagar a impressão de que o Piratini está engessado por entraves burocráticos, sem conseguir fazer andar projetos estratégicos, virou questão fundamental para as pretensões de reeleição de Tarso.Os secretários saíram da reunião com a missão de repassar ao chefe de Gabinete, Ricardo Zamora, a lista com os principais atos de 2013, com ênfase para inaugurações e início de obras. Zamora irá filtrar as informações e montar os roteiros de Tarso. A intenção é enfileirar atos e criar uma agenda positiva. Para se aproximar da população, o Piratini irá intensificar as interiorizações. Ao final do encontro, em entrevista ao repórter Mateus Schuch, da Rádio Gaúcha Serra, Tarso reconheceu que o grande desafio do governo é eliminar alguns gargalos que travam a execução de obras. Citou o Daer como exemplo de órgão público que ainda não está devidamente azeitado.Na mesma entrevista, o governador criticou reportagem de Zero Hora que mostrou as dificuldades que a Empresa Gaúcha de Rodovias (EGR) terá para manter as estradas estaduais e realizar obras estruturais. Disse que o cálculo é “arbitrário, desinformado e parcial” e que a reportagem é “preconceituosa e profundamente equivocada”, ignorando que a conta se baseia nos números fornecidos pela Dyanatest-SD, a consultoria que o governo contratou para fazer o diagnóstico das estradas.

NESTA NOITE DE SÁBADO, VISITE O MELHOR DO RS, SEGUNDO VEJA
Bier Markt
Vá conhecer na Barão do Santo Ângelo 497, ao lado do Leopoldina.
Agora, 24 torneiras de chope artesanal de várias partes do mundo, com barris alojados em câmera fria, servidos diretamente nos copos, sem serpentina. Cardápio diferenciado.
- Vá também na Castro Alves 452, três vezes seguidas
"A Melhor Carta de Cervejas", segundo Veja (2010, 2011 e 2012).

Dilma, hoje, no Chile de Sebastián Piñera. Conheça a programação.

Ao desembarcar em Santiago para participar da 1ª Cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac) – União Europeia (EU), a presidenta Dilma Rousseff deu início à sua primeira viagem internacional de 2013. Na capital chilena, a presidenta também terá reuniões bilaterais com alguns presidentes, como seu colega chileno Sebastián Piñera, a argentina Cristina Kirchner, o mexicano Enrique Peña Nieto, que tomou posse em dezembro passado, e a chanceler alemã Angela Merkel.

Às 8h30 deste sábado (26), durante café da manhã no Palácio de La Moneda, Dilma e Piñera fazem uma revisão da agenda bilateral entre Brasil e Chile e assinam acordos nas áreas de cultura, educação e cooperação científica na Antártica. As trocas comerciais entre os dois países cresceram quase 50% entre 2006 e 2011, passando de US$ 6,78 bilhões para US$ 9,98 bilhões. O Brasil é o segundo país com maior estoque de investimentos chilenos, na casa de US$ 12 bilhões. À tarde, a Celac discutirá com a União Europeia uma nova agenda de cooperação inter-regional. De acordo com o Ministério de Relações Exteriores, será adotado, durante a cúpula, o Plano de Ação Celac-UE para o biênio 2013-2014. Além da reunião entre chefes de estado, também serão realizados encontros de acadêmicos, empresários e parlamentares das duas regiões.

A data do retorno da presidenta ao Brasil ainda não está confirmada. De acordo com a Presidência, o embarque de volta poderá ser feito no sábado à noite ou no domingo pela manhã. Na segunda-feira, às 18h, Dilma abre o Encontro Nacional com Novos Prefeitos e Prefeitas – Municípios Fortes, Brasil Sustentável, que deve receber cerca de 20 mil gestores municipais e assessores em Brasília.

Presídio gaúcho "estourado" pela polícia (IPV) era usado como base para assaltos, clonagem de carros, ponto de drogas e prostíbulo

- O jornal Zero Hora deste sábado classifica apropriadamente a operação para prender presos que 700 agentes do governo gaúcho realizaram nesta sexta-feira no Instituto Penal de Viamão, o IPV: "Enxugando gelo". O governo tenta enganar a opinião pública para mascarar seu fracasso. A ação de sexta-feira foi apenas espetaculosa, porque tudo voltará ao que era, já que nenhuma medida estrutural de mudança foi ou será tomada. Há desordem evidente e quem paga o pato é a população, cada vez mais encurralada dentro de casa. Os bandidos, como ficou evidente no caso do IPV, usam a prisão e os recursos do próprio governo, como base para cometer novos crimes. Os números resultantes da ação dos agentes revelam o tamanho da desordem que impera na área da segurança pública no governo Tarso Genro:

- 303 celulares, 89 carregadores e 91 chips entre 450 presos.
- Seis mulheres em "visitas" sexuais.
- Quatro carros clonados no páteo, usados pasra assaltos.
- Cinco quilos de drogas, usados no ponto de venda externa no próprio IPV.
- 16 armas.

. LEIA a reportagem de Zero Hora

Operação para prender presos
Cerca de 700 policiais civis e militares desbarataram quadrilha que atuava dentro de uma cadeia na Região Metropolitana
Vinte e cinco de janeiro de 2013 vai entrar para a história gaúcha como o dia em que o Estado mobilizou 700 agentes para prender presos. A ação que mobilizou as polícias Civil e Militar, a Superintendência de Serviços Penitenciários (Susepe) e o Instituto-geral de Perícia (IGP) resultou em 33 prisões e revelou um dado alarmante: dois em cada três presos no Instituto Penal de Viamão (IPV) portavam celulares nos alojamentos.

Os cachorros da vizinhança foram os únicos a quebrar o sigilo da operação deflagrada na madrugada de ontem para prender detentos do IPV que seguiam praticando crimes na Região Metropolitana. Em uma cadeia que abriga cerca de 450 apenados, foram apreendidos 303 telefones. Os policiais também encontraram armas, drogas e até mulheres na prisão (veja quadro). Além dos 19 suspeitos presos que já estavam no IPV e serão encaminhados para o regime fechado, foram efetuadas duas prisões em Arroio dos Ratos e outras duas em Charqueadas. Dez foragidos também foram capturados.

A investigação da Polícia Civil começou há sete meses, após dois detentos serem flagrados transportando armas para dentro do albergue. Uma série de interceptações telefônicas confirmou que os presos tinham saída livre do prédio. A polícia montou um álbum com todos os apenados para que vítimas de roubo pudessem reconhecer os suspeitos. Como resultado, a Justiça expediu mandados de busca e apreensão e de prisão. Parte dos mandados foi cumprida na Capital e em Novo Hamburgo, Gravataí, Guaíba, São Leopoldo, Cachoeirinha e Canoas.

– Estamos habituados a prender pessoas na rua, hoje vamos prender dentro da cadeia – disse o chefe de Polícia, Ranolfo Vieira Junior, aos 350 policiais que se concentraram na Academia de Polícia, em Porto Alegre, por volta das 4h30min.

O Grupo de Ações Táticas Especiais já estava em Viamão para isolar o perímetro ao redor do IPV e cerca de 250 policiais se deslocavam em cinco ônibus até o local. As celas foram esvaziadas, os presos foram colocados em um dos anexos e cerca de 20 peritos do IGP, além de policiais civis, começaram a varredura nas galerias. Nenhum objeto foi tocado até a chegada da perícia, para não prejudicar as provas.

*Colaborou Bruno Felin