No JN, ao falar sobre o jatinho sujo que usou na campanha, Marina confessou: "Eu não sabia de nada"

Mais tarde, as 22h, Marina foi entrevistada por Renata Lo Prete na Globonews (foto ao lado). Sua entrevista foi evasiva. Perguntada sobre falta de quadros para governar, ela disse que procuraria os melhores nomes do PT e do PSDB para ajudar o PSB. 


Marina Silva (PSB) enfrentou seu mais duro momento nesta quarta-feira desde que entrou na disputa, após a morte de Eduardo Campos
num acidente aéreo, no dia 13 de agosto, porque entrevistada na bancada do Jornal Nacional, ela não conseguiu explicar o empréstimo do jato usado por Campos durante a campanha – a Polícia Federal investiga se a aeronave foi comprada com dinheiro de caixa dois empresarial ou do PSB.

. O que ela disse:

- O Comitê pagará as despesas. Sobre laranjas que seriam proprietários do jatinho, eu não sabia de nada.

. William Bonner não perdoou e lembrou que Lula também disse o mesmo quando estourou o escândalo do mensalão.

. As quatro primeiras perguntas foram dedicadas ao tema, o que deixou a candidata visivelmente incomodada. Pressionada, Marina tentou dar uma nova roupagem à nota vazia divulgada nesta semana pelo PSB, segundo a qual o avião foi emprestado por empresários para a campanha e o pagamento pelo uso seria feito mais tarde. "Nós tínhamos a informação de que era um empréstimo, cujo ressarcimento seria feito no prazo legal, o que, segundo a Justiça Eleitoral, pode ser feito até encerramento da campanha", disse a ex-senadora.

. Oficialmente, o jato Cessna Citation 560XL estava no nome do grupo AF Andrade, cujos proprietários negavam relação com Campos.

. Até uma peixaria desativada está registrada como uma das donas do avião.

. Marina minimizou o conflito de opiniões com seu vice, o deputado federal Beto Albuquerque, sobre temas como cultivo de transgênicos e células troncos embrionárias, temas sobre os quais seu companheiro de chapa votou favoravelmente na Câmara. Boner lembrou que Beto recebeu dinheiro até do fabricante de armas Taurus para sua campanha. Marina disse que ela e Beto são pessoas diversas. No caso dos transgênicos, ela avisou que não é contra este tipo de semente, mas quer que ela coexista com as sementes naturais. 

450 mil gaúchos viram o debate da Band TV

Ao fechar os números sobre o debate de ontem a noite, a Band TV constatou que bateu picos de 4% de audiência, mas na média apurou 3%, números altos para aquela hora da noite.

. Isto significa que 450 mil pessoas viram o duelo dos presidenciáveis no RS.


. No Brasil, foram 6,5 milhões de telespectadores. 

- Os números foram levantados pelo editor, esta noite, em SP e RS. 

Câmara de Porto Alegre muda nome da avenida Castelo Branco

Não se sabe se os vereadores Pedro Ruas e Fernanda Melchior, PSOL, irão propor, também, a implosão da escultura monumental de Carlos Tenius em homenagem ao marechal Castelo Branco, plantada no Parcão, Porto Alegre. 

Os vereadores de Porto Alegre aprovaram nesta quarta-feira o projeto de lei que prevê a troca de nome da Avenida Castelo Branco para Avenida da Legalidade e da Democracia. A proposta, apresentada pela bancada do PSol, foi aprovada por 21 votos a favor e cinco contra. A votação ocorreu menos de três anos de o mesmo projeto ter sido rechaçado no plenário da casa.

Dos 35 vereadores aptos, nove não votaram, confira abaixo:

Votaram Sim:

Bancada do PCdoB: Jussara Cony.
Bancada do PDT: Delegado Cleiton, Márcio Bins Ely e Mario Fraga.
Bancada do PMDB: Idenir Cecchim, Valter Nagelstein.
Bancada do PPS: Any Ortiz.
Bancada do PRB: Séfora Mota, Waldir Canal
Bancada do PSB: Paulinho Motorista.
Bancada do PSD: Tarciso Flecha Negra.
Bancada do PSOL: Fernanda Melchionna, Pedro Ruas.
Bancada do PT: Alberto Kopittke, Engº Comassetto, Marcelo Sgarbossa, Mauro Pinheiro e Sofia Cavedon.
Bancada do PTB: Cassio Trogildo, Elizandro Sabino e Paulo Brum.

Votaram não:

Bancada do DEM: Reginaldo Pujol.
Bancada do PP: Guilherme Socias Villela, João Carlos Nedel e Mônica Leal.
Bancada do PSDB: Mario Manfro.

Ausentes:

Bancada do PCdoB: João Derly.
Bancada do PDT: Nereu D’Avila.
Bancada do PMDB: Lourdes Sprenger.
Bancada do PP: Kevin Krieger.

Não votaram:

Bancada do PDT: Dr. Thiago.
Bancada do PMDB: Professor Garcia.
Bancada do PROS: Bernardino Vendruscolo.
Bancada do PSB: Airto Ferronato.
Bancada do PTB: Alceu Brasinha.

Bolsa entrou em alta com confirmação de avanço de Marina sobre Dilma

A euforia eleitoral toma conta da bolsa brasileira mais uma vez nesta semana. São informações do jornal Valor de hoje, que constatou o seguinte cenário para o caso:

. Depois de Ibope e CNT/MDA confirmarem as especulações de que Marina Silva daria um salto na corrida presidencial, tanto investidores locais quanto estrangeiros marcam presença na ponta compradora.
Os negócios estão concentrados nas ações do chamado “kit eleições” – os papéis de estatais, bancos e elétricas, que tendem a ser mais beneficiados com a troca de governo. Operadores chamam atenção para o forte volume financeiro, que deve atingir a casa dos R$ 10 bilhões, o equivalente a ao giro de dois pregões normais em um único dia.

CLIQUE AQUI para ler mais Valor.

Marina Silva hoje à noite no Jornal Nacional. Bonner e Poeta vão pedir explicações sobre o avião sujo de campanha.

Marina Silva será a entrevistada de hoje a noite no Jornal Nacional. William Boner e Patrícia Proeta vão recrudescer. Marina terá que se explicar sobre o avião sujo que o PSB usou na campanha para conduzi-la em campanha eleitoral. 

Aécio anuncia Armínio Fraga para o ministério da Fazenda

 Pouca gente notou, mas no final do debate de ontem a noite na Band TV, o senador Aécio Neves anunciou que nomearia para o Ministério da Fazenda o ex-presidente do Banco Central de FHC, Armínio Fraga, artífice do chamado "tripé econômico" – inflação, câmbio flutuante e responsabilidade fiscal.

. É o único dos candidatos que se atreveu a tanto até agora.

Vá esta noite com seus amigos, colegas e conhecidos.
Caso único em Porto Alegre.
5 vezes premiado por Veja.
Chopes e cervejas artesanais de todo mundo, cardápio, endereços:
www.biermarkt.com.br

Industriais confiam cada vez menos na economia.

O Índice de Confiança da Indústria (ICI) caiu 1,2% em agosto ante julho, passando de 84,4 para 83,4 pontos, informou nesta quarta-feira a Fundação Getulio Vargas (FGV). Com a oitava queda consecutiva, o índice permanece no menor nível desde abril de 2009. As avaliações de empresários sobre o momento atual pioraram. O Índice da Situação Atual (ISA), um dos itens avaliados pela FGV na composição do indicador, caiu 3,6%, para 82,7 pontos, o menor nível desde março de 2009. Já o Índice de Expectativas (IE) registrou a primeira melhora no ano, com alta de 1,4% para, 84,1 pontos.

. A percepção sobre o ambiente de negócios piorou: o indicador de situação atual recuou 7,1% entre julho e agosto. 

Taurus desmente venda para a CBC

A Taurus, Porto Alegre, desmentiu hoje notícias de que seu controle teria passado para a CBC, Companhia Brasileira de Cartuchos, da família Birmann.

Vá esta noite com seus amigos, colegas e conhecidos.
Caso único em Porto Alegre.
5 vezes premiado por Veja.
Chopes e cervejas artesanais de todo mundo, cardápio, endereços:
www.biermarkt.com.br

Oi aciona BTG para ajudá-la a comprar a TIM

A Oi informou que o banco BTG Pactual atuará como comissário "para, agindo em seu próprio nome e por conta e ordem da Oi, desenvolver alternativas para viabilizar proposta para a aquisição da participação detida indiretamente pela Telecom Italia na TIM Participações". A iniciativa acontece enquanto a espanhola Telefónica e a Telecom Italia travam uma batalha para adquirir a operadora brasileira de banda larga GVT, propriedade da francesa Vivendi

Lasier Martins conta o que viu pessoalmente no dia em que Olívio mandou embora a Ford

Recorte de jornal da época. Na Federasul, Lula cumprimenta o governador Olívio por ter mandado a Ford para a Bahia. 

O editor foi pesquisar nos arquivos da Rádio Guaíba o material completo da entrevista que o candidato ao Senado pelo PDT, Lasier Martins, concedeu ontem ao programa Esfera Pública, que teve o comando dos jornalistas Juremir Machado e Taline Oppitz.

. Os leitores interessaram-se especialmente pelo depoimento que Lasier concedeu como testemunha ocular dos atos praticados pelo então governador Olívio Dutra, PT, que resultaram na expulsão da Ford.

Resumo da última parte da entrevista:

Lasier responde perguntas de ouvintes defensores de Olívio Dutra; Lasier comenta sobre o contrato com a Ford; Taline pergunta como deve agir um parlamentar com opiniões tão críticas ao atual governo (PT) em caso de reeleição; Lasier comenta sobre o fim do fator previdenciário; Taline pergunta como é possível mudar as leis prometidas em campanha quando as questões não dependem apenas de si próprio; Taline pergunta se as manifestação pode ocorridas em junho do ano passado, pode beneficiar a campanha de Lasier.

CLIQUE AQUI para ouvir o áudio.

CLIQUE abaixo para ouvir o comentário diário do editor, intitulado O dia em que Olívio mandou a Ford embora.

Os três irmãos Marinho (Rede Globo) estão entre os 10 homens mais ricos do Brasil

Entre os 10 primeiros lugares da lista da Forbes Brasil de 2014, em reais, segundo edição que já circula:

1º Jorge Paulo Lemann - 49,85 bilhões
2° Joseph Safra - 35,98 bilhões
3° Marcel Herrmann Telles - 25,58 bilhões
4° Carlos Alberto Sicupira - 22,30 bilhões
5° Roberto Irineu Marinho - 15,93 bilhões
6° João Roberto Marinho - 15,86 bilhões
7° José Roberto Marinho - 15,86 bilhões
8° Marcelo Bahia Odebrecht & família - 14,00 bilhões
9° José Batista Sobrinho & família - 11,92 bilhões
10° Francisco Ivens de Sá Dias Branco - 10,99 bilhões

Nova pesquisa MDA/CNT confirma vitória de Marina no segundo turno

Ao lado, os números do Ibope, inclusive os últimos, desta semana. 
O ercentual se manteve estável desde abril, quando foi divulgada a última pesquisa CNT/MDA; 33,1% do total dos entrevistados avaliaram como positivo o governo da presidente Dilma Rousseff (PT), pouco a mais do que o de quatro meses atrás (32,9%); em detalhes, Dilma teve agora 6,8% de ótimo, 26,3% de bom, 37,4% de regular, 11,8% de ruim e 17% de péssimo

1o Turno (entre parênteses,números anteriores)

- Dilma, 34,2% (36,2%)
- Marina Silva, 28%
- Aécio Neves, 16% (22,1%)

Neste caso de primeiro turno, a pesquisa constatou que 32,9% (38%) ainda não sabem em quem vão votar, se vão votar e se votarão em branco. O número é muito alto.

Quando confrontados para definir o voto de qualquer modo, 28,7% optaram por Marina, 22% por Dilma e 20,7% por Aécio.

2o Turno

- Marina, 43,7%
- Dilma, 37,6%

- Dilma, 43%
- Aécio, 33,3%

CLIQUE AQUI para ler tudo.

Jornal Nacional desvenda escândalo no caso do jatinho usado por Marina e Eduardo Campos

Documentos apresentados ontem a noite pelo Jornal Nacional indicam empresas fantasmas na compra do avião em que morreu Eduardo Campos. O Jornal Nacional teve acesso com exclusividade aos extratos da conta AF Andrade – empresa que, para a Anac, é a dona da aeronave. Este caso poderá levar á cassação do registro de Marina Silva e é um escândalo que o PSB tenta acobertar e não consegue. 

. Leia o texto digitado da reportagem e veja também a gravação do programa de ontem a noite:

O Jornal Nacional obteve, com exclusividade, documentos importantes da operação de compra e venda do jato Cessna, que era usado pelo candidato do PSB à presidência, Eduardo Campos.

O dinheiro que teria sido usado para pagar o avião em que morreu o candidato Eduardo Campos passa por escritórios em Brasília e São Paulo, e por uma peixaria fantasma em uma favela do Recife.

“Eu estou até desnorteado. Como é que eu tenho uma empresa uma empresa sem eu saber?”, questiona um homem.

O Jornal Nacional teve acesso com exclusividade aos extratos da conta AF Andrade – empresa que, para a Anac, é a dona da aeronave. Mas a AF Andrade afirma que já tinha repassado a aeronave para outro empresário, que emprestou para a campanha de Campos.

Os extratos que já foram entregues à Polícia Federal mostram o recebimento de 16 transferências, de seis empresas ou pessoas diferentes. Num total de R$ 1.710.297,03.

CLIQUE AQUI para examinar a reportagem completa do JN, inclusive video.  

Calotes de empresas cresceram 12,9% em julho

O Indicador Serasa Experian de Inadimplência das Empresas registrou crescimento de 12,9% em julho deste ano, na comparação com junho. Foi o maior avanço mensal para um mês julho de toda a série histórica, iniciada em 2000. Na relação anual – julho de 2014 contra o mesmo mês de 2013 –, o indicador teve alta de 11,4%. No acumulado de janeiro a julho de 2014, na comparação com o mesmo período do ano anterior, o índice também subiu 6,9%.

Causa revolta decisão do governo de não prorrogar prazo do Refis da Copa

Acabou no último dia 25 de agosto o prazo final para adesão ao chamado Refis da Copa, com isso o que se observa por parte do empresariado é grande revolta. Os principais pontos questionados foram o prazo muito curto para adesão e dificuldades na consolidação de informações e problemas no atendimento na Receita Federal.

Sartori autografará seu livro "Andanças" neste sábado, Caxias

"Andanças"
A vida de José Ivo Sartori

 É um livro de 176 páginas, impresso na Editora São Miguel, que resgata as origens da imigração italiana, o ambiente social, econômico e cultural em que se criou José Ivo Sartori. Prefaciado pelo Senador Pedro Simon, a obra foi construída em quatro capítulos divididos em vários episódios. É didático quanto a chegada dos imigrantes em 1875, a formação do povoado e os principais ciclos econômicos de Caxias do Sul, hoje com 124 anos de emancipação política. Como dizem na apresentação do livro seus autores, os jornalistas Marcos Kirst, Paulo Cancian e Antonio Feldmann, a quem coube a tarefa de pesquisar, escrever, organizar e dar forma e conteúdo de Andanças, trata-se de uma obra escrita a muitas mãos e incompleta.

Sessão de autógrafos: Sábado / 10h30min / Livraria do Maneco / Caxias do Sul

Governo da Venezuela só autoriza cirurgias em situações de emergências

Esta é a situação da saúde na Venezuela, 
segundo relato de um leitor, enviado desde Caracas para o editor:


Así la define la ACADEMIA NACIONAL DE MEDICINA la situación de la SALUD en el pronunciamiento contenido en el remitido publicado en dos periódicos de la capital el día 21 de agosto. En sus considerandos sostiene: 

- Que es inadmisible desde el punto de ético y moral… el proceso de abandono…Ni en los peores momento de la historia republicana se había presenciado el efecto de la indiferencia e incompetencia gubernamental. Se ha llegado al hecho inverosímil e inédito en nuestro país de la suspensión de las intervenciones electivas… por  asignar las existencias solo para pacientes en situación de emergencia Y advierte Que existen cerca de seis mil pacientes que esperan ser operados de condiciones tales como cáncer, enfermedades coronarias y otras serias enfermedades.

Câmara de Porto Alegre poderá expurgar de avenida a homenagem a Castelo Branco

A Câmara de Vereadores de Porto Alegre terá reunião esta tarde para trocar o nome da avenida Castelo Branco, que liga a zona central à freeway.

. Em 2011, tentativa igual foi repelida por 16 x 11.

. A proposta é mudar o nome da avenida para Legalidade.

- Castelo Branco foi o primeiro ditador militar, 1964, enquanto que a Legalidade, 1961, foi o movimento liderado por Brizola para evitar a ditadura militar e garantir a posse do presidente João Goulart.Castelo Branco também foi homenageado por uma escultura gigantesca no Parcão. 

OPINIÃO DO LEITOR
a propósito de "reescrever a história", a exemplo de trocar nomes de ruas e avenidas, manifesto minha discordância.
São fatos históricos que correspondem a um período. Bom ou ruim, mas verdadeiro!
Independente de minha discordância ideologica acerca da intervenção militar, tratou-se de um expressivo movimento e de largo apoio popular e eleitoral(lembra as vitorias da Arena e seus blocos parlamentares?)
Essas revisões sabemos como começam e como terminam.
São movimentos fascistóides.

Astor Wartchow, Advogado.

Aécio e Marina, os melhoes no debate da Band TV. Os candidatos evitaram discutir escândalos dos governos do PT.

CLIQUE AQUI para examinar matéria da AD News. A publicação repercute piadas e nemes com alguns dos personagens do debate, com ênfase para Eduardo Jorge. 


A frase a seguir foi pronunciada por Marina Silva durante o debate de ontem a noite na Band TV, mas acabou encampada também por Aécio Neves:

- Esse Brasil colorido, quase cinematográfico que Dilma mostrou, não existe na vida das pessoas. A gente continua parado no trânsito, a reforma política virou troca de ministros em troca de apoio e tempo de televisão.

. O editor assistiu todo o debate.

. Sem a presença abusiva dos nanicos (Luciana, Eduardo Jorge e Levy Felix foram apenas divertidos), a promoção da Band abriu bem a temporada de debates na TV.

. Mas é só o começo.

. O debate foi de bom nível e esclarecedor sobre questões de economia e de gestão pública, mas pouco avançou sobre as grandes tensões políticas dos últimos anos. O caso do Mensalão foi ignorado do começo ao fim. Os candidatos, mesmo a nanica do PSOL, evitaram colocar na mesa os repetidos escândalos de corrupção ocorridos nos governos Lula e Dilma. As graves contradições ideológicas foram também evitadas. 

. Aécio, o melhor entre todos -  Até mesmo o eleitor mais intransigente em relação ao tucano Aécio Neves, terá que reconhecer que foi ele quem demonstrou maior preparo e desenvoltura, mas nem de longe esmagou seus adversários principais, Marina Silva e Dilma Roussef. Foi Aécio quem proporcionou o ponto mais alto de tensão da noite, ao exigir que Dilma Roussef pedisse perdão público pelas roubalheiras na Petrobrás. Dilma negou-se a fazer isto.

. Marina, a melhor entre as mulheres - O caso de Marina Silva é especial, porque ao contrário do que muita gente esperava, ela não se comportou como nenhuma diva psicodélica da floresta, foi bem articulada, demonstrou indignação quando isto foi necessário e esclareceu pontos controversos que os adversários quiseram explorar.

. Dilma saiu apenas chamuscada - A presidente acabou chamuscada por disparos de todos os lados e apesar disto, mesmo com a evidente dificuldade que tem para fechar frases inteiras inteligíveis, deu para o gasto.

El País diz que em debate Marina é poupada, enquanto Aécio e Dilma rivalizam

Ridicularizada nas redes sociais como representante do Partido da Solidão, Luciana Genro fez um papelão no debate. Faltou Papai Tarso Genro para consolá-la e tirá-la de cena à francesa. 


O material de análise do debate é do jornalista Afonso Benites, El País, edição brasileira para a internet. 
. A socialista e o tucano disseram que a gestão petista é cinematográfica.

Leia:

No dia em que uma pesquisa eleitoral apontou que Marina Silva venceria as eleições presidenciais no segundo turno, a candidata do PSB mirou os ataques ao Governo Dilma Rousseff (PT) durante o primeiro debate entre os concorrentes, na noite desta segunda-feira, na Rede Bandeirantes, em São Paulo. A socialista disse que o Brasil apresentado por Rousseff é “quase cinematográfico, não é o Brasil que existe”.

A petista, por sua vez, não entrou no embate contra Marina, só com Aécio. Ela se contentou em defender sua gestão de críticas econômicas e das acusações contra a administração da Petrobras. Rousseff quis vincular Aécio ao governo de seu correligionário Fernando Henrique Cardoso dizendo que em oito anos, ele quebrou financeiramente o Brasil três vezes. “O seu partido [PSDB] cortou salários e deu tarifaços”, disse a petista ao tucano a quem acusou que tomaria medidas impopulares como o corte de empregos.

CLIQUE AQUI para ler tudo. 

LBR: Um processo de vendas de ativos que desde o início, gerou polêmica

O processo de venda de ativos da LBR, dentro de seu plano de recuperação judicial, durou quase um mês e, desde o início gerou polêmica.

. O caso atinge unidades da LBR, da antiga Bom Gosto, Rio Grande do Sul. A Bom Gosto ajudou a formar a LBR.

. Poucos dias após a apresentação das propostas pelos ativos por 16 empresas, em julho, os questionamentos sobre a relação entre a LBR e uma delas - a ARC Medical Logística - levaram o juiz da recuperação judicial, Daniel Carnio Costa, a pedir esclarecimentos à empresa de lácteos, uma vez que a venda de ativos à ARC, que arrenda unidades da LBR, poderia supostamente prejudicar os credores. Isso porque haveria sinais de que a ARC seria "agente de um dos credores pós-concursais" da LBR, a BS Factoring.

. A proposta da ARC estava na combinação de ofertas considerada mais favorável pela LBR e recomendada aos credores para votação na sexta sessão da assembleia de credores reinstalada ontem.


CLIQUE AQUI para ler reportagem especial de MilkPoint sobre o caso. 

Livro Cabo de Guerra, 499 páginas, conta toda a epopéia do enfrentamento Yeda x Eixo do Mal

Clique na imagem ao lado para ampliar e examinar os ítens sobre os quais trata o livro. 


Existem apenas poucos exemplares à venda do livro Cabo de Guerra, 499 páginas, R$ 75,00, que conta em detalhes inéditos todo o enfrentamento que a ex-governadora Yeda Crusius manteve no RS com o Eixo do Mal.

. O livro foi levado pelo editor para o site de vendas (e-book) WWW.albuka.com.br, onde a versão digital pode ser adquirida por R$ 35,00.

. Cabo de Guerra resultou de pesquisas com dezenas de personagens envolvidos no caso da Operação Rodin, iniciada a mando da Polícia Federal ao tempo em que era ministro da Justiça o atual governador Tarso Genro.

. No livro, fica claro que Yeda Crusius foi atacada no oitavo mês do seu governo sobre acontecimentos que envolviam o Detran há quatro anos.

. O TRF-4, ontem, mais uma vez, decidiu que no caso foi atropelado o devido processo legal no caso da ex-governadora (leia nota abaixo).

. Não foi a única tropelia movida contra a ex-governadora, atacada de modo selvagem por inúmeras ações da Polícia Federal, MPF, RBS, PT, PSOL, DEM e governo federal do ex-presidente Lula da Silva.


. O livro do editor também conta os principais embates de Yeda para tirar o governo gaúcho do cadastro sujo em que se encontrava dentro e fora do País, estabelecendo o equilíbrio fiscal.

Livro para entrega imediata: polibio.braga@uol.com.br
Livro no formato digital, e-book: www.albuka.com.br

Advogado de Yeda diz que TRF-4 restabeleceu a ordem legal ao retirar Yeda de qualquer ação na Justiça

O advogado Fábio Medina Osório, foto ao lado, falou com o editor a respeito do agravo que protocolou no TRF-4 contra a decisão do juiz federal que resolveu acatar um dos novos pedidos de membros do MPF contra a ex-governadora Yeda Crusius.

. "Antes de mais nada, houve cerceamento de defesa, com ofensa ao devido processo lega", disse ao editor o advogado, que está no Rio nesta terça-feira.

. As outras razões que levaram o TF-4 a beneficiar Yeda e repelir os avanços do juiz Loraci Flores e membros do MPF e da Polícia Federal ao tempo do então ministro Tarso Genro, que há 6 anos atropelam a ordem legal para envolver a ex-governadora em processos sobre os quais não possuem prova alguma e sequer indícios:

- Carência de fundamentação da decisão atacada, por grave desconsideração ao contexto fático-jurídico e à prova dos autos, bem como aos argumentos apresentados pela defesa;
- Ausência de individualização da conduta pela decisão impugnada;
- Inexistência de indícios suficientes de participação em quaisquer dos ilícitos apontados, relacionados às fraudes licitatórias no DETRAN/RS;
- Inconsistência do despacho atacado com decisão da anterior Magistrada Titular da Vara Federal, que concluiu pela rejeição da ação em face de outros três réus, sob o argumento de grande fragilidade das gravações de Lair Ferst, agora tomadas como indício suficiente para o recebimento da ação contra Yeda Crusius;
- Desconsideração quanto a arquivamento de investigação criminal promovido pelo próprio MPF e homologado pelo Juiz Federal Titular da mesma 3ª Vara Federal de Santa Maria/RS, por ausência de justa causa para oferecer denúncia criminal contra Yeda Crusius, pois, naquela oportunidade, em março de 2014, com base no mesmo conjunto probatório, o parquet entendeu que “inexistem nos autos elementos de prova suficientes para demonstrar a participação delitiva das investigadas Yeda Rorato Crusius [...] nos fatos criminosos, envolvendo a possível fraude licitatória do DETRAN/RS”.

Justiça Federal repele tentativa do Eixo do Mal contra Yeda Crusius

A foto ao lado é de Diego Vara, Agência RBS. Ela está disponibilizada na Web.


O Tribunal Regional Federal da 4ª. Região, Porto Alegre, decidiu ontem que o juiz da 3ª. Vara Federal de Santa Maria jamais poderia ter reincluído a ex-governadora Yeda Crusius em qualquer dos processos movidos pelo MPF no âmbito da Operação Rodin.

. A ex-governadora não é ré em qualquer ação.

. “A decisão do juiz federal foi inopinada, desarrazoada e intempestiva”, disse ao editor o advogado Fábio Medina Osório. Ele recorreu ao TRF-4.

 A decisão, desta terça-feira, é do desembargador Luís Alberto D’Azevedo Aurvalle.

. O juiz do caso, Loraci Flores deu declarações despropositadas sobre a decisão do TRF-4, mas terá que cumprir a ordem superior. 

. Yeda Crusius, que amanhã inaugurará seu comitê central em Porto Alegre, é candidata a deputada Federal.

. Ela não responde a qualquer processo por decisões seguidas do STJ e do TRF-4, apesar da insistência de membros do MPF, que tentam envolvê-la em ações sobre as quais não conseguiram sequer indícios de sua participação.