Lava Jato - TRF4 mantém indisponíveis R$ 241 milhões em bens de diretores da Camargo Corrêa


A Operação Lava Jato, que o lulopetismo e a esquerda brasileira insiste em dizer que só existe para perseguir o líder da corrupção Lula da Silva, conseguiu nova vitória no TRF$, Porto Alegre: o ex-presidente da Camargo Corrêa segue com bens indisponíveis. O editor soube do caso ainda há pouco.

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF4) manteve a medida cautelar de indisponibilidade de bens e valores do ex-presidente do Conselho de Administração da empreiteira Camargo Corrêa S/A, João Ricardo Auler, em uma ação civil pública em que ele é réu por improbidade administrativa no âmbito da Operação Lava Jato. A 3ª Turma, por unanimidade, negou o recurso interposto por Auler e decidiu que o arresto deve permanecer, pois é uma garantia de ressarcimento do dano causado pela possível fraude praticada contra o Poder Público. A decisão foi proferida em julgamento realizado no dia 4 de junho.

Os réus usaram propina para obter contratos fraudados com o diretor Paulo R. Costa, Petrobrás..

A 5ª Vara Federal de Curitiba (PR) concedeu a medida e decretou a indisponibilidade de bens dos réus até o valor de R$ 241.541.922,12. A defesa de Auler recorreu ao tribunal alegando que o bloqueio seria excessivo e desnecessário, tendo em vista que ele firmou acordo de leniência com a União.

CLIQUE AQUI para conhecer mais detalhes.

Um comentário:

Anônimo disse...

Pelo jeito, é outra empresa que daqui um tempo será candidata a anunciar uma recuperação judicial Bilionária, dai esse valorzinho ai não tapará nem o buraco do dente. Aliás, já virou normal tudo ser negociado em Brasília na casa dos Bilhões. Os milhões de pouco tempo atrás, virou troco e centavos insignificantes na mentalidade dos políticos brasileiros, uma realidade infinitamente distante da vida modesta do trabalhador assalariado comum.