Após sugestão popular, proibição do limite para internet pode virar lei

Bastaram seis dias para que a ideia de pôr fim ao limite ou corte de velocidade à internet residencial alcançasse o apoio de mais de 20 mil pessoas. Por meio do Portal e-Cidadania, do Senado, a população reuniu as assinaturas onlines necessárias para transformar a ideia em uma Sugestão Legislativa que vai tramitar no Senado.

A Sugestão Legislativa é uma contribuição popular. Ela precisa ser avaliada em comissões do Senado para, depois, se tornar um projeto de lei. A Sugestão Legislativa que proíbe o corte de acesso à internet será examinada pela Comissão de Direitos Humanos.


O assunto da limitação da internet banda larga gerou grande mobilização nas redes sociais após algumas operadoras anunciarem que passarão, a partir de 2017, a cortar o acesso dos usuários que atingirem o limite de sua franquia de dados e oferecerão pacotes com franquias diferenciadas. O serviço seria semelhante ao que já é oferecido pela internet móvel, usado em aparelhos de celular, por exemplo.

6 comentários:

Anônimo disse...

só 20 mil???

tem certeza?

pensei que veria um numero de milhões de insatisfeitos, afinal, a internet esta em quase todos os lares ou nos telefones das pessoas...

ô povinho que demora a engatar a marcha....

Anônimo disse...

Não pode passar, isso é avançar no bolso do consumidor, e mais, quem já tem internet, não pode ser prejudicado, pois existe um CONTRATO ENTRE AS PARTES, que, não pode ser modificado sem anuência expressa de uma das PARTES. O que as operadoras querem é limitar o acesso a internet, e fazer o usuário pagar mais.Isso só poderia ter validade para novos planos, sem atingir o DIREITO ADQUIRIDO DO CONSUMIDOR ATUAL.

Seria o caso de ANATEL permitir o ingresso de outras operadoras americanas no serviço, com melhor qualidade, e baixo custo, quanto mais vende nos pacotes mensais baixos, mais arrecada.

Façanha, o advogado do povo disse...

Quem vai pagar a liberalidade, para as moçoilas que ficam colocando o tempo todo, fotos bobas, desnecessárias, fruto de um narcisismo doentio, em seus faces? Ora, quem usar que pague pelo que usar!

Anônimo disse...

Não vejo nenhuma coincidência na simultaneidade de um processo de impeachment da Presidente da República e dessa redução de tempo na internet. O Governo Federal sabe muito bem que esse assunto deixaria muita gente preocupada e atrapalharia sua concentração no "Fora Dilma".

Anônimo disse...



OU seja, prepare-se para mais um "tunga" no bolso. Fiquei impressionado com a declaração do chefão da anatel ao dizer que as operadoras "educaram mal os usuários". Pensei que as tais agências reguladores existissem para proteger os cidadãos. De outro lado 20000 usuários deram ok para o assunto, sugerindo avaliação do legislativo?? É inacreditável ou não entenderam bem "os propósitos"...

Anônimo disse...

NÃO TEMOS LIBERDADE no Brasil. Está aí mais uma prova.

LIBERDADE, LIBERDADE, JÁ!