Moro manda investigações das Operações Acarajé e Xepa para o STF

CLIQUE AQUI para ler artigo de Vinicius Torres Freire, "Tempo de Temer está acabando".


O juiz federal Sérgio Moro, responsável pelos processos da Lava Jato na primeira instância, decidiu enviar ao Supremo Tribunal Federal (STF) as investigações da 23ª e 26ª fases da Operação Lava Jato, batizadas de Acarajé e Xepa. O despacho com a decisão foi assinado por Moro na manhã desta segunda-feira. A 23ª fase da operação deu origem à 26ª.

Entre os documentos que foram colocados sob sigilo estão planilhas apreendidas na residência de Benedicto Barbosa da Silva Júnior, presidente da Construtora Norberto Odebrecht, e alvo da 23ª fase. Segundo Moro, os documentos identificam pagamentos a autoridades com foro privilegiado, mas ainda é prematura qualquer conclusão sobre a natureza ilícita, ou não, dos pagamentos que fazem parte da planilha.

"De todo modo, considerando a apreensão e identificação de tal planilha com Benedicto Barbosa da Silva Júnior, que retratam pagamentos do Grupo Odebrecht a autoridades com foro privilegiado, talvez lícitos, é o caso de remeter este processo", argumentou o juiz.

Ele disse ainda que "o ideal seria antes aprofundar as apurações para remeter os processos apenas diante de indícios mais concretos de que esses pagamentos seriam também ilícitos.

8 comentários:

Anônimo disse...

E,logicamente, VÃO PARA A LATA DO LIXO!!!! Não serão punidos no STF!!!!

SEMPRE ALERTA disse...

MILITARES ESTÃO EM EFERVESCÊNCIA

Claudio Humberto posta informações que os militares estão descontentes, conversam e conversam.

-não concordam com ESTADO DE DEFESA ,irão defender elementos como Dilma e Lula? Aqui não é Venezuela.

- se informam os militares, porque ainda o Judiciario não resolveu o que tinha que resolver, e que está claro como a luz do sol do meio dia.

SE DEPREENDE DAÍ QUE:

- ELES MILITARES, FORÇAS ARMADAS QUE DEFENDEM A CONSTITUIÇÃO,NÃO QUEREM ESCULHAMBAÇÃO

- NEM EXERCITO DE STÉDILE,

-ENTENDERAM O RECADO SOBERANO,SOBERANO,ESPONTANEO,PACIFICO E ORDEIRO DO POVO,DONOS VERDADEIROS DO BRASIL.

-SE PERCEBE QUE NÃO ESTARIAM DISPOSTOS E DEFENDER A BANDIDAGEM EM GOVERNO QUE PODEM INTERPRETAR DE UMA HORA PARA OUTRA QUE QUEM ESTÁ LÁ, HÁ MUITO JÁ DEVERIA TER SAÍDO...OS CRIMES SÃO EXPLICITOS,NADA MAIS É NECESSARIO PROVAR ,O QUE JÁ ESTÁ DOCUMENTADO JÁ OS COLOCA NA OBRIGAÇÃO DE TOMAR ATITUDES CONFORME CONSTA NA CONSTITUIÇÃO DO BRASIL...

-TODOS ESTAMOS OFENDIDOS,INDIGNADOS PELO QUE A QUADRILHA EM GOVERNO ESTÁ FAZENDO CONOSCO.

-A CONSTITUIÇÃO SANGRA,A BANDEIRA ESTA SENDO MANCHADA

-O POVO NÃO MERECE A OMISSÃO DAS FORÇAS ARMADAS QUE JÁ DERAM COLHER DE CHA DEMAIS PARA BANDIDOS.dEVEM AGIR CONFORME REZA A CONSTITUIÇÃO OU FICARÃO NA HISTÓRIA COMO OMISSOS, O POVO MOSTROU O QUE QUER E O QUE FARÁ SE A FORÇA CONSTITUCIONAL NÃO SE MOSTRAR OU SE ACOVARDAR O QUE NÃO ACREDITO.

VAI NESSA POLÍBIO,SEMPRE ESTÁS ALERTA E TENS MEIOS DE SABER MAIS...

AGUARDAMOS

OBS.: OS PETRALHAS JÁ ENTENDERAM, VÃO ACEITAR SEU DESTINO, NÃO TEM TAMANHO,NÃO TEM RAZÃO E TEM MUITA,MUITA CULPA.

A HORA É DE AGIR,OS OMISSOS SERÃO COBRADOS, E PODEM COMPROMETER O ANDAMENTO E A ORDEM NATURAL DAS COISAS.

SE AGIRMOS NESTAS CIRCUNSTÂNCIAS, O UNIVERSO HÁ DE CONSPIRAR A NOSSO FAVOR, QUE QUEREMOS UM PAIS LIMPO,ORDEM E PROGRESSO!

Anônimo disse...

Serra, Malan e Parente voltam a ser réus em ação por improbidade

28/03/2016

Jornal GGN - Novamente, os ministros do governo FHC - Pedro Malan, da Fazenda, José Serra, do Planejamento, e Pedro Parente, da Casa Civil - são réus em ações de reparação de danos por improbidade administrativa.

Os processos apuram ajudas financeiras no valor de R$ 2,9 bilhões que o Banco Central deu aos bancos Econômico e Bamerindus em 1994. Questionam também a forma pela qual o Conselho Monetário Nacional (CMN) autorizou a criação do Programa de Estímulo à Reestruturação e ao Fortalecimento do Sistema Financeiro Nacional (Proer).

A decisão de desarquivar as ações foi tomada pela 1ª Turma do Supremo Tribunal Federal, presidida pelo ministro Luis Roberto Barroso. Agora, as ações voltam a tramitar na 20ª e 22ª varas federais do Distrito Federal.

As ações foram ajuizadas pelo Ministério Público Federal (MPF), na gestão do procurador-­geral Antônio Fernando Souza. A da 22ª vara chegou a ter sentença parcialmente procedente contra os réus.

Em 2002, os ministros recorreram ao STF, com o argumento de que a Justiça Federal não era competente para julgá-los devido à prerrogativa de foro por função. Eles pediam o julgamento do mérito e uma liminar que suspendesse imediatamente a tramitação das ações.

No dia 3 de outubro de 2002, três meses depois de ser nomeado pelo presidente Fernando Henrique Cardoso e aprovado pelo Senado (por 57 votos a 15) para entrar no STF, o ministro Gilmar Mendes acabou tendo a relatoria do caso. Ele deferiu a liminar dos ministros. Argumentou em seu voto que atos de improbidade administrativa constituem crimes de responsabilidade e só podem ser julgados pelo STF.

Quase seis anos depois, em 22 de abril de 2008, às vésperas de assumir a presidência do Supremo, Gilmar Mendes, determinou o arquivamento das ações.

Agora, a 1ª Turma julgou um agravo regimental do procurador-geral Antônio Fernando Souza, segundo o qual atos de improbidade não podem ser confundidos com crime de responsabilidade e são de competência da Justiça Federal. Agora, as ações voltam às varas federais de origem.

Com informações do Estadão

Anônimo disse...

Agora sim vamos ter o sigilo para toda sociedade, exceto para os bandidos. Ou seja, a inversão do Estado democrático, que passa a ser contra o direito social

Anônimo disse...

Polícia federal orgulho nacional

Somos todo Moro

impeachment

Anônimo disse...

PIPOCOU
Quando na lista aparecem os amigos e correligionarios lava as mãos isto não é atitude de um juiz imparcial.

Anônimo disse...

Políbio, a respeito dessa reportagem quando se linka pra olhar a sua indicação da leitura da folha de são paulo, não abre a reportagem e aparece uma advertencia dizendo que deve ser assinante da folha.
Penso que deveria ser boicotado esse tipo de atitude da folha, pois ninguem pode ser "empurrado" a assinar uma porcaria de jornal com é a folha.

Anônimo disse...

Agora que caiu os coxinhas, ele para de investigar e manda para o STF. porque será???? será combate a corrupção??? ou apenas uma parcialidade.