Itália suspende extradição do líder petista Henrique Pizzolato para o Brasil

O líder petista, ex-candidato do PT ao governo do Paraná, disse que prefere morrer do que cumprir pena no Brasil. 

A extradição de Henrique Pizzolato, ex-diretor do Banco do Brasil e petista condenado por envolvimento no mensalão, foi adiada para junho. Nesta quarta-feira, seus advogados entraram com um pedido de liminar para tentar impedir sua extradição da Itália para o Brasil. Uma audiência foi marcada para junho para considerar o caso e só então as autoridades brasileiras poderão eventualmente transferi-lo ao país. A medida frustra os planos do Brasil que eram de extraditá-lo a partir do dia 11 de maio.

O recurso foi entregue ao Tribunal Administrativo de Roma.

2 comentários:

Anônimo disse...

E os milhões que ele roubou e tem depositado no exterior, ninguém mais quer saber? Não vão bloquear? Todos safados. Corruptos.

Anônimo disse...

A ITÁLIA SEMPRE FOI UM LIXO.
É MANDADA PELA MÁFIA, DESTE O TEMPO DE MUSSOLINI.
É UM PAÍS DE MER...