Governo pode rever de novo a meta fiscal do ano

Apesar dos sinais de melhora da economia emitidos pela indústria e pelo varejo nos últimos meses, parte da equipe econômica do governo admite que pode rever novamente a meta fiscal deste ano, segundo informações do jornal O Globo. 

O "rombo" das contas públicas para 2017 passou de R$ 139 bilhões para R$ 159 bilhões

7 comentários:

Anônimo disse...

O tal dream team do Meireles Friboi Original não consegue acertar uma conta !
E querem que eu aceite reforma da previdência feita por eles !

Anônimo disse...

Ah se fosse nos tempos da Dilma...Mas como é o temer e o meireles aí passa batido como se fosse a coisa mais corriqueira do mundo...

Anônimo disse...

Fechem o ministério do planejamento e chamem o Manoel da padaria. Pra que gastar milhões com salários desses barnabés incompetentes??

Anônimo disse...

Não há melhora nenhuma. São todos dados falsos.

Anônimo disse...

alguma novidade???

Anônimo disse...

Do Meinl Bank da Odebrecht para o Quadrilhão do PMDB

Brasil 19.09.17 14:22 - O Antagonistas

José Casado, em O Globo, reforça que, na denúncia da PGR contra o Quadrilhão do PMDB na Câmara, Michel Temer, Eduardo Cunha e Henrique Eduardo Alves aparecem como “beneficiários de pagamentos de US$ 8,2 milhões (ou R$ 26,2 milhões) realizados pelo grupo Odebrecht fora do Brasil”.

“O dinheiro para os ‘pagamentos a Eduardo Cunha, Michel Temer e Henrique Eduardo Alves’, como definem o Ministério Público e a Polícia Federal, saiu das contas (nº 244006, 244001, 244035, 244003) no Meinl Bank Antigua, no Caribe, mantidas pelas empresas Klienfeld, Trident, Innovation e Magna.”

As empresas são offshores criadas pela Odebrecht, para esconder os destinatários finais de propina, e o Meinl Bank Antigua é aquela portinha que a empreiteira comprou para repassar bola a meio mundo.

Do Meinl Bank, o dinheiro da propina seguiu em nove remessas para contas bancárias da GVTEL Corp, em Pontevedra, na Espanha, uma empresa laranja, e de lá para a conta de outra empresa laranja, no banco Pictet & Cie, em Cingapura.

Tudo foi registrado pela Odebrecht, como diz José Casado.

A denúncia da PGR é realmente muito inepta.

Anônimo disse...

Isto não são pedaladas?