PDT e PSB serão os maiores problemas da base aliada de Sartori

O governador José Ivo Sartori enfrentará problemas com a base aliada para aprovar o pacote de reformas que protocolará hoje na Assembléia.

As resistências mais importantes estão localizadas nas bancadas do PDT e PSB, que são nitidamente de esquerda - moderada, mas de esquerda.

8 comentários:

Anônimo disse...

Se todos os deputados fossem "marias vai com as outras" não precisaria de assembléia.

Lá é o ponto para discussão.

Mas o executivo do PMDB acostumou-se a comprar votos.

Anônimo disse...

do PDT tem 3 comunistas fortemente contra a Brizola, o Bacci e o Sossela, o resto acho que vota com o gringo e o PTB agora com o Mauricio deve apoiar em parte o pacote, no final da contas ele será aprovado em boa parte pelo bem dos gaúchos que não aguentam mais pagar a conta das castas abastadas e privilegiadas.

Anônimo disse...

Esses dois partidos são signatários do Foro de São Paulo. Só poderemos esperar Apoio a medidas populistas e ações que mantenham o estado no buraco. É o estilo comunista de governar.

Anônimo disse...

O PSB é esquerda moderada, com alguma sensatez. O PDT porém..... bem, o que dizer do PDT, difícil. Basta ver a qualidade de seu presidente nacional. Um pulha.

Unknown disse...

Novidade???
Corja de politiqueiros irresponsáveis!!!

elias disse...

O pdt é tão moderado, mas tão moderado,,que é cosignatário do foro de são paulo!!!!!

O editor gosta de piadas.....

Anônimo disse...

Te informa melhor. Estuda o que necessário para cada aprovação e depois sim posta alguma coisa decente

Anônimo disse...

O governo pifiamente com suas medidas quer economizar 139 milhões por mês com o pacote, ou seja, 1,5 bilhão por ano, se combatesse metade do que é sonegado de ICMS no estado, ganharia 3,5 bilhões, por ano, eu disse se pegar somente 50% desse bolo.
Quem sabe ao invés de demitir pessoas das fundações, não faz uma força tarefa com elas, para ajudar neste serviço e em dois anos a divida de 5 bilhões prevista pelo governador, se transformaria em superavit, mais os investimentos, que que foi buscar no exterior, chegaríamos a quase 2 bilhões de superavit em dois anos.
Porque não fazer isso????