Nos governos do PT, sumiram 4.564 bens da Presidência

As jóias de ouro ao lado foram encontradas pela Polícia Federal na posse de Lula, guardadas em cofres do Banco do Brasil de SP e em containeres mantidos em São Bernardo do Campo. 

O TCU diz que 4.564 bens vinculados à Presidência desapareceram nos últimos 13 anos e que 716 presentes recebidos por Lula e Dilma não foram incorporados ao patrimônio público, como prevê a lei.

A jornalista Débora Bergamasco foi atrás da história e das provas, produzindo esta reportagem para a Istoé desta semana:

Uma das características mais perniciosas da política brasileira é a deliberada confusão dos governantes entre o público e o privado. E se tem um partido político pródigo nesta cambulhada é o PT. Após um requerimento que partiu do senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), o Tribunal de Contas da União passou três meses fazendo uma auditoria para verificar o desvio e o desaparecimento de bens pertencentes à União nos Palácios do Planalto e da Alvorada durante os governos do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e da presidente afastada, Dilma Rousseff. A apuração, realizada entre 15 de abril e 15 de julho deste ano, também averiguou como vem sendo realizada a gestão dos presentes recebidos pelos dois chefes do Estado no exercício do cargo. A situação encontrada pelo órgão de controle, nos dois casos, foi alarmante: 716 presentes recebidos oficialmente por Lula e Dilma simplesmente deixaram de ser registrados como patrimônio da União. E 4.564 itens sumiram do espólio nacional.

A ISTOÉ teve acesso com exclusividade ao documento sigiloso preparado pelo Tribunal de Contas, no qual são apontadas dezenas de falhas entre 2003 e 2016. No texto, o TCU detalha que dos 731 regalos registrados neste período e destinados aos presidentes petistas, apenas 15 itens foram incorporados ao patrimônio público. Desse total, 568 mimos foram endereçados ao então presidente Lula, mas apenas nove deles tiveram o acervo público como destino, ou 1,58%. Outros 163 foram encaminhados aos cuidados de Dilma, porém somente seis viraram bens da União. Os auditores que assinam o relatório ficaram impressionados.

CLIQUE AQUI para saber mais.

16 comentários:

Anônimo disse...

Esse é o verdadeiro espírito PORCO COMUNISTA... E a pergunta é: e porque ainda não prenderam o Analfabeto ignorante Lularápio ???

Anônimo disse...

Ladrões!

Anônimo disse...

Só não roubaram os PRÉDIOS INTEIROS porque não acharam os meios de transporte
adequados!!!! Nem todo o ladrão é petista ou comunista, mais todo petista
e comunista são LADRÕES PENTEADOS!

Anônimo disse...

A esquerda brasileira tem como ídolo máximo um mão-leve, é chinelagem pura, realmente honoris causa!

Anônimo disse...

Perguntar não ofende: FHC, do PSDB de aécio, alkmin, serra, aluisio, Marquezan JR, Yeda, estc. foi Presidente do Brasil por 8 anos, viajou por todos os países, ganhou honrarias e presentes, o MPF e a PF fizeram um inventário do que FHC ganhou e onde estão os presentes? Ou FHC não tem nada a ver? Ele é santinho, merece uma "aureola" no entorno da cabeça?

Anônimo disse...

metam estes 2 vermes na cadeia- lurapio e dilmetralha

Anônimo disse...

A auditoria em curso no Tribunal de Contas da União, aberta a pedido do senador Ronaldo Caiado (DEM-GO), para tratar da “ausência de itens do patrimônio”....
O governo interino fez levantamento do patrimônio “deixado pelos governos Lula e Dilma, com a ajuda do TCU e do Itamaraty”. E relata: “O Itamaraty descobriu que pelo menos 700 presentes recebidos de governos estrangeiros deixaram de ser registrados, como manda lei, na lista de patrimônio da União”.

A primeira auditoria patrimonial completa dos bens integrantes da Presidência da Republica ocorreu em 2012, durante o mandato da Presidenta Dilma Rousseff.

A auditoria 011.591.2016-1, do Tribunal de Contas da União, ainda não foi concluída, como se comprova a partir de uma verificação no site do TCU. O relatório apresentado é sigiloso.

Tal auditoria contempla órgãos integrantes da Presidência da República e não se limita aos palácios do Planalto e da Alvorada. Integram-na as secretarias Especial de Políticas para as Mulheres, de Portos, de Aviação Civil e de Micro e Pequena Empresa.

Existe diferenciação entre os bens que integram o acervo privado do presidente da República. Nos termos do artigo 2º da Lei 8.394/91, tais bens são de propriedade particular do presidente da República, inclusive para fins de herança, doação ou venda. É situação diferente dos bens que NÃO integram o referido acervo, por força do artigo 3º do Decreto 4.344/2002, em especial os documentos bibliográficos e museológicos recebidos em cerimônias de troca de presentes, nas audiências com chefes de Estado e de Governo por ocasião das “Visitas Oficiais” ou “Viagens de Estado” do presidente da República ao exterior. Aplica-se, da mesma forma, quando das “Visitas Oficiais” ou “Viagens de Estado” de chefes de Estado e de Governo estrangeiros ao Brasil.

Esse entendimento vem sendo adotado pela Presidência da República desde 2002, quando da edição do decreto, de agosto daquele ano, pelo então presidente Fernando Henrique Cardoso, cabendo à Diretoria de Documentação Histórica da Presidência da República proceder a correta classificação dos bens que integram, respectivamente, os acervos privado e público da União.

Ou seja, os 716 presentes recebidos pelo presidente Luiz Inácio Lula da Silva e pela Presidenta Dilma Rousseff foram corretamente classificados com a estrita observância a legislação aplicável e ao processo de registro documental pelo setor competente.

Não gostaram? Mudem a Lei que foi editada e promulgada no governo FHC, do PSDB de aécio, alkmin, serra, aluisio, Marquezan JR, Yeda, etc.

Anônimo disse...

O Lula formou um bando de parentes ladrões natos. Além disso, atraiu ladrões de todo o Brasil, pois quem está com ele nada mais é do que ladrão e parte desta ralé, desta corja, ainda palpita aqui no blog.

Anônimo disse...

Bem ,meus amigos, uma mudanca presidencial de 11 , onze, caminhoes diz tudo. Esvaziou os Palacios , as pratarias, mobiliario e ate a faixa presidencial levou !!!

Anônimo disse...

O ESCANDALOSO LADRÃO do Brasil ficará impune? A CHINELOCRACIA PETISTA vai além, muito além daquilo que possamos imaginar. Mas que gentalha desqualificada.

Anônimo disse...

Essa enchadada no minhocário sairam muitas minhocas.

Anônimo disse...

Cadê a faixa presidencial?Cadê a dinheirama dos Fundos de Pensao heim preguntador das14:00 hs que quer defender o indefensável atirando nos outros.Depois de 14 anos é que vêm com essas perguntinhas?Por quê não as fizeram em 2003, ano que assumiram a bagaça?

Anônimo disse...

Nunca comeram melado, quando comeram se lambuzaram?

Tarciso disse...

Tá no DNA deles. Onde se metem, metem a mão.

Anônimo disse...

Essa ORCRIM petralha está nivelada com os nazistas que saquearam obras artísticas e de valor histórico-arqueológico, sempre que invadiam um país durante a 2ª Guerra Mundial.
Acho bom começar auditoria e investigação no Piratini, Prefeitura Municipal de P. Alegre entre outros, pois a ORCRIM teve bastante tempo para roubar.

Anônimo disse...

O decreto 4.081 de 11 de janeiro de 2002 é claro: objetos de valor acima de CEM REAIS pertencem a presidência da república, não ao mandatário. O ladrão disse em pleno sindicato dos metalúrgicos de SP no dia da sua condução coercitiva que recebeu entre outros presentes um trono numa de suas visitas a África. Se lá fosse como sindicalista teria recebido um trono? Claro que não! Esse foi um presente para o soberano visitante, não a pessoa lula, logo deve fazer parte do acervo da união.
Cada descendente de búlgaros que visita a Bulgária recebe um cervo de ouro? Então isso faz parte do acervo da união e deve ser devolvido.

E ACERVO MUSEOLÓGICO SÓ É CLASSIFICADO COMO TAL POR MUSEÓLOGOS CREDENCIADOS COM GRADUAÇÃO ESPECÍFICA.

NÃO É QUALQUER GAIATO QUE DECIDE O QUE É MUSEOLÓGICO DE CUNHO PARTICULAR (FUNDAMENTALMENTE BIOGRÁFICO, DOCUMENTAL) E O QUE É MUSEOLÓGICO PÚBLICO.