Petrobrás revê e até cancela obras no Comperj e na Refinaria Abreu Lima

A Petrobrás acaba de anunciar que decidiu reavaliar os projetos e as obras do Comperj e da Refinaria Abreu Lima Ia foto ao lado é da Abreu Lima).

Só serão completadas obras absolutamente indispensáveis.

Na Refinaria Abreu Lima, ficou garantido o que a estatal chama de Trem 1, permitindo plena operação, mas a decisão final sobre a melhor estratégia para implantação do Trem 2 da RNEST se dará no âmbito da aprovação do próximo Plano de Negócios e Gestão (PNG), fundamentada na análise integrada do portfólio de projetos da Petrobras e de acordo com as projeções de mercado e os limites de financiabilidade da companhia.

No caso do Comperj, a Petrobrás avisou ao editor que o Conselho de Administração da companhia aprovou a postergação dos investimentos e a preservação dos equipamentos das demais unidades da Refinaria Trem 1 até dezembro de 2020 e orientou que continuem os esforços em busca de parceiros para dar continuidade aos investimentos. Os projetos da Refinaria Trem 2 e da Unidade de Lubrificantes do Comperj foram cancelados.

Vendida Petrobrás Chile
A Petrobras informou ao editor, também esta noite, que assinou hoje, com a Southern Cross Group, o contrato de compra e venda (Sale and Purchase Agreement – SPA) de 100% da Petrobras Chile Distribuición Ltda (PCD), detida através da Petrobras Caribe Ltda. O valor estimado da entrada de caixa é de US$ 464 milhões, divididos da seguinte maneira: US$ 88 milhões oriundos da distribuição do excedente de caixa, anteriormente ao encerramento da transação (closing); US$ 367 milhões a serem pagos pela Southern Cross, no dia do fechamento do negócio; e US$ 9 milhões, a título de ajuste de preço, a serem desembolsados em até 65 dias úteis após o closing.

Um comentário:

Anônimo disse...


Carta Capital: Cunha pode ter grampeado Temer:


Reportagem da revista Carta Capital deste fim de semana revela que o interino Michel Temer pode ter sido grampeado pelo deputado afastado Eduardo Cunha (PMDB-RJ) na reunião fora da agenda que ambos tiveram no Palácio do Jaburu; no encontro, Cunha teria lembrado Temer sobre "antigas parcerias", citando a Lei dos Portos, votada em 2013 depois que o deputado conseguiu incluir um trecho que favoreceria o grupo Libra, que atua em Santos; depois disso, a Libra doou R$ 1 milhão para Temer – "dinheiro recebido pelo peemedebista em uma empresa aberta por ele para gerenciar recursos que repassaria a candidatos amigos"; na conversa, Temer teria percebido a arapuca de Cunha e reagido aos gritos com o parlamentar ....

PELO JEITO CUNHA que não é bobo, não vai sozinho, vai levar o cumpanheiro TEMER "nunca mais".