Ministério Público do Trabalho autua Hospital Mãe de Deus, Porto Alegre

Hospital Mãe de Deus (em Porto Alegre) recebe notificação do MPT-RS para adequar aspectos de segurança e saúde do Trabalho. Os setores que mais precisam de atenção são os de nutrição, governança, os CTIS adulto e neonatal e a central de materiais esterilizados, que concentram 2/3 dos afastamentos do hospital

O Ministério Público do Trabalho no Rio Grande do Sul (MPT-RS) entregou nesta sexta-feira notificação recomendatória ao Hospital Mãe de Deus (HMD), destacando aspectos urgentes de insegurança no trabalho, que precisam de correção dentro de prazos que vão até 90 dias. 

Os setores que mais precisam de atenção são os de nutrição, governança, os CTIS adulto e neonatal e a central de materiais esterilizados, que concentram 2/3 dos afastamentos do hospital. Cálculo da força-tarefa estima em R$ 8 milhões as perdas do hospital, apenas com o afastamento de trabalhadores por motivo de doença em 2015. Com cerca de 10% deste valor, é possível evitar os acidentes.

Será instaurado inquérito civil para acompanhar o cumprimento da recomendação, que inclui 44 aspectos a se corrigir. O

Hospital

     
O site da empresa informa que o Sistema de Saúde Mãe de Deus foi fundado em 1979. Atualmente, possui duas unidades hospitalares na Capital: o Hospital Mãe de Deus e o Hospital Giovanni Battista. O SSMD congrega outras sete unidades hospitalares no Interior. O HMD conta com área de aproximadamente 40 mil m² construídos e equipe médica e assistencial formada por mais de 4 mil médicos credenciados. Possui Emergência, Hospital Dia (preparado para procedimentos ambulatoriais), Centro de Terapia Intensiva CTI), Centro de Diálise, Maternidade, CTI Neonatal, Centro Obstétrico, Bloco Cirúrgico, Banco de Sangue e mais de 370 leitos de internação. Os registros do HMD apontam 2.500 funcionários.

3 comentários:

Anônimo disse...

Ñão dá para entender porque o MP não vai na FDRH, lá que tem que ir, não vão.

Roberto disse...

HMD, MHV, HIV - é difícil saber o que é o mais perigoso. Os sacrificados enfermeiros (melhor INFERNEIROS) e os heróis conhecidos como auxiliares de enfermagem, são a melhor fonte de informações para se ter uma ideia do que se passa nesses lugares. DEUS, TENDE PIEDADE DE NÓS.

Anônimo disse...

Realizaram a vistoria com os funcionarios sendo supervisionados pelas chefias, ai fica dificil tem que melhorar.