Revista Época desmascara mentiras de Lula sobre o sítio. Ele foi 111 vezes a Atibaia.

O segurança Rogério Carlos, de jaqueta, recebeu 120 diárias para ficar em Atibaia.


Nesta reportagem exclusiva assinada por Filipe Coutinho, intitulada  "Documentos revelam que Lula e família viajaram 111 vezes a sítio de Atibaia", a revista Época revela que só os seguranças que atendem o ex-prfesidente receberam quase mil diárias do Planalto para ficar 283 dias em imóvel que ex-presidente afirma ser de "amigos" - embora a Odebrecht, empreiteira do petrolão próxima do petista, tenha custeado R$ 700 mil em reformas no local

A competente reportagem escrutina todas as mentiras de Lula e mostra documentos e evidências irretorquíveis sobre o escândalo.

Leia tudo:
Relatórios de viagem produzidos pelo Palácio do Planalto revelam que o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contou com sua segurança pessoal por 111 vezes em Atibaia, entre 2012 e 11 de janeiro deste ano. É nas matas de Atibaia, no interior de São Paulo, que fica o sítio Santa Bárbara, no qual a Odebrecht gastou R$ 700 mil em reformas. No papel, o sítio está em nome de um amigo de Lula e do sócio de um dos filhos dele - Fábio Luís, aquele que enriqueceu graças à parceria empresarial com a telefônica Oi. Lula nega ser dono do sítio e disse, por meio de assessoria, frequentar o local somente em “dias de descanso”. As evidências obtidas por ÉPOCA, porém, confrontam fortemente a versão do ex-presidente. A cada cinco dias, um segurança de Lula era deslocado para Atibaia. Quem visita sítio de amigos com tamanha frequência?

ÉPOCA mapeou os dados a partir das diárias dos sete servidores que fizeram parte da equipe de segurança do ex-presidente. No total, eles receberam 968 diárias da presidência, custando R$ 189 mil. Os dados mostram que, em muitos casos, os seguranças tiveram de alternar turnos em Atibaia, como forma de garantir que assim sempre estivesse alguém na cidade num determinado período. Se, por exemplo, um segurança ficou de segunda-feira a quinta-feira, e outro chegou na quarta-feira e ficou até sábado, ÉPOCA contabilizou apenas uma viagem, de segunda a sábado. O itinerário é quase sempre o mesmo: São Bernardo do Campo (onde Lula mora), Atibaia e retorno para a mesma cidade.
A versão de Lula para o caso do sítio é clara. Segundo a assessoria de imprensa de Lula, "o ex-presidente Lula e também Dona Marisa, frequentam em dias de descanso um sítio de propriedade de amigos da família na cidade de Atibaia". ÉPOCA questionou o Instituto Lula sobre as viagens dos seguranças a Atibaia, mas a assessoria não fez comentários. Disse que "tentativa de associá-lo a supostos atos ilícitos tem o objetivo mal disfarçado de macular a imagem do ex-presidente".
Para fazer essas 111 viagens, os seguranças de Lula pernoitaram um total de 283 vezes em Atibaia. O período total dos documentos é de cerca de 1400 dias _ as datas na cidade representam cerca de 20%.  Em junho e julho de 2014, por exemplo, os seguranças de Lula passaram seis finais de semanas seguidos na cidade do sítio. há casos em que as idas a Atibaia representam quase a metade de todas as viagens feitas por um segurança de Lula.
Fora do país

Como todo ex-presidente, Lula tem por direito contar com segurança e assessores. A lei, contudo, não estende esse benefício a familiares. ÉPOCA cruzou as viagens dos segurança a Atibaia com dados produzidos pela Polícia Federal sobre entradas e saídas do país por Lula, material que integra a investigação do Ministério Público Federal sobre tráfico de influência internacional.

CLIQUE AQUI para ler tudo.

19 comentários:

Anônimo disse...

CADEIA, CADEIA, CADEIA, PARA ESSE LADRÃO VAGABUNDO E MENTIROSO! E LEVEM A DILMA JUNTO!

Anônimo disse...

E agora Jose ? A festa acabou? Brahma viajou 111 , cento e onze, vezes ao sitio dele, que nao eh dele, desde 2012 . E o barco comprado por dona Marisa, para brahma pescar ? E as milhares de garrafas de vinhos franceses que foram para a adega refrigerada do sitio dele que nao eh dele? Eu creio que a solucao para o impasse, jah que Brahma e a familia gostam tanto de Atibaia e do sitio , seria Brahma procurar os laranjas e comprar o sitio dele que nao eh dele !!! Esta eh " veramente" uma estoria fantastica , nem Bunuel , Godard ou Pasolini seriam capazes de escrever um roteiro tao surreal !!!

Anônimo disse...

Cem diárias em 4 anos, são 25 diárias por ano, cerca de 12 dias por ano (duas diárias por viagem). Uma viagem por mês, até o sítio de um empresário amigo dele... Um findi por mês...Qual é o problema? O FHC também usava um imóvel de um empresário amigo em Paris... qual é o problema? Quando jovem, eu frequentava a zona, no interior, uma vez por mês (ou mais...). Nunca fui proprietário da casa de tolerância... Qual é o problema? Que noticia idiota! Vão eleger o barbudo em 2018...

Anônimo disse...

Grampos revelam que ordens da máfia da merenda saíram do Palácio dos Bandeirantes

01/02/2016

Da esq. para a dir.: A secretária Elaine Vogel, o prefeito Jamil Ono, Luiz Roberto dos Santos e o vereador Cristiano durante reunião no Palácio dos Bandeirantes em dezembro de 2015.

Jornal GGN - De acordo com as investigações da Operação Alba Branca, Luiz Roberto dos Santos - conhecida como "Moita" - então braço direito do secretário-chefe da Casa Civil do governo Alckmin, operava para a máfia da merenda de sua sal no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista,

Segundo relatório policial, o 'Moita' mantinha contatos, de seu próprio gabinete, com suspeitos de fraudar licitações e superfaturar produtos agrícolas destinados à merenda escolar. Um dia antes da deflagração da operação, Luiz Roberto foi demitido do cargo de confiança e voltou para sua função de origem, na Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM).

Os grampos mostram Luiz Roberto dos Santos orientando o lobista Marcelo Ferreira Júlio, que é apontado como operador das propinas da organização que fraudava as licitações.

Do Estadão

Grampos mostram que ‘Moita’, do PSDB, operava ‘do Palácio’ para quadrilha da merenda

POR FAUSTO MACEDO E PEDRO VENCESLAU

Luiz Roberto dos Santos, ex-chefe de gabinete da Casa Civil de Alckmin, caiu na interceptação telefônica da Operação Alba Branca orientando parceiros sobre contratos
A Operação Alba Branca revela que Luiz Roberto dos Santos, o “Moita”, então braço direito do secretário-chefe da Casa Civil do governo Geraldo Alckmin, operava para a quadrilha da merenda escolar de sua sala no Palácio dos Bandeirantes, sede do governo paulista. “Moita” caiu no grampo da Polícia Civil várias vezes dizendo a interlocutores “tô no Palácio”....
Xi, editor e tias do jô estaria a Revista Época acochambrando o escandalo da merenda do Governo Alkmin, do PSDB, do aécio, serra, Yeda, Marquesan Jr? Perguntar não ofende: O tal sítio é ou não é do lula? É crime visitar sitio de conhecido, quantas vezez quizer?

justiniano disse...


Esse sítio é onde o santo Lula fazia seus retiros espirituais.

Certamente que sua santa ceia era regada com bons vinhos importados.

O papa não tem um castelo Gandolfo para passar retiros, porque o papa Lula 51 não poder ter um sítio em Atibaia.

Até barco a papisa Marisa comprou para o seu amado papa andar no sítio.

Anônimo disse...

O MPF podia convocar esses seguranças para prestar maiores esclarecimentos sobre as posses do Lularapio.

Anônimo disse...

Qual é o crime visitar um sitio onde pessoas próximas são proprietárias? Nenhum. Nao estão mais investigando fatos, mas sim a vida de lula,uma perseguição de filme se ação,nunca antes vista no Brasil.

Anônimo disse...

Delator de Aécio: em Brasília, delação; em Curitiba, dispensado

01/02/2016 - Rede Brasil Atual

Tem um buraco mal explicado na operação Lava Jato. Trata-se de Carlos Alexandre de Souza Rocha, apelidado de Ceará, amigo do doleiro Alberto Youssef há 20 anos. Foi preso em Balneário Camboriú (SC) na primeira fase da Operação Lava Jato, em 17 de março de 2014, acusado de ser doleiro pelas conversas telefônicas grampeadas legalmente.

No mês seguinte, em 22 de abril de 2014, o Ministério Público Federal do Paraná apresentou denúncia contra Ceará por apenas um crime: operar, sem a devida autorização, instituição financeira de câmbio, com pena prevista de um a quatro anos de reclusão. Não houve denúncia por formação de quadrilha ou organização criminosa, nem por lavagem de dinheiro.

O MPF-PR pediu ainda na denúncia o pagamento mínimo de multa de R$ 5 milhões por danos causados ao sistema financeiro e econômico. No dia seguinte, a denúncia foi aceita pelo juiz Sérgio Moro. Em seu despacho, o magistrado soltou Ceará da prisão preventiva, colocando-o em liberdade com medidas restritivas, tais como retenção do passaporte, proibição de contato com Alberto Youssef, ter de avisar ao juízo em caso de mudança de endereço etc.

Entre abril e agosto de 2014, em vez dos já rotineiros acordos de delação premiada, a defesa de Ceará negociou com o MPF-PR e conseguiu acordo para suspensão condicional do processo, ou seja, em vez de ir a julgamento, cumpriria medidas alternativas em liberdade. Isso sem ter de delatar nada. O juiz Sérgio Moro homologou o acordo em audiência do dia 4 de setembro de 2014. Em vez dos R$ 5 milhões pedidos inicialmente pelo MPF-PR, o valor ficou reduzido para R$ 100 mil, pagos em cinco parcelas mensais de R$ 20 mil, após cinco meses de carência. O acordo incluiu a liberação de bens apreendidos, sendo dois carros e quatro relógios de luxo da marca Hublot, que chegam a custar US$ 20 mil cada.

Pelo acordo – lembrando que não era de delação –, o processo de Ceará ficou suspenso e, após dois anos, se ele andar na linha, será extinto. Sem delatar ninguém. Passados nove meses depois de livrar-se da Vara de Curitiba, sem condenação, sem ficar preso, e em silêncio sem delatar ninguém, ainda não se sabe exatamente por quais circunstâncias Ceará prestou 19 depoimentos sigilosos em Brasília entre 29 de junho e 2 de julho de 2015, em acordo de delação premiada na Procuradoria-Geral da República, em homologação pelo ministro do Supremo Tribunal Federal Teori Zavascky. Revelou que carregava dinheiro vivo a serviço Alberto Youssef para intermediários que repassariam a alguns políticos ilustres, o mais notório é o senador Aécio Neves (PSDB-MG), citado como suposto destinatário de uma propina de R$ 300 mil paga pela empreiteira UTC em 2013.

No anexo 12 da delação, Ceará conta que, por volta de setembro ou outubro de 2013, Youssef o mandou entregar R$ 300 mil no escritório da UTC no Rio de Janeiro para um diretor de nome Miranda, que estava ansioso e desabafou, travando o diálogo: Miranda: – Rapaz, esse dinheiro estava sendo muito cobrado e tal. Ceará: – Por quem, doutor? Miranda: – Aécio Neves. (...)

O diretor superintendente da UTC no Rio de Janeiro chamava-se Antonio Carlos D’Agosto Miranda, também conhecido como Kaká. No acordo de leniência da Camargo Correa junto ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) por formação de cartel na construção de Angra 3, Miranda é apontado como “do alto escalão do cartel” e que “exercia papel de destaque nos contatos de cunho político”.

A delação de Ceará foi vazada e publicada pelo jornal Folha de S.Paulo só no fim do ano passado, na semana em que o povo estava distraído com as festas natalinas e de ano novo. Aécio estava de férias em Miami, badalando ao lado de celebridades como o piloto Felipe Massa na casa do deputado Alexandre Baldy (PSDB-GO) (...)

Xi, editor e tias do jô, o chato do aécio never, do PSDB, do Alkmin, Serra, FHC, Yeda, Marquezan Jr, Beto Richa lá na República do PR tá liberado. Mas se for contra o PT, alguém do PT ou ligado ao PT...

Anônimo disse...

Certamente este foi o sítio mais seguro do Brasil, só que invertido, pois ninguém honesto tinha permissão para lá entrar!

Anônimo disse...

Milhões de brasileiros honestos trabalham na agricultura e, sem nenhuma segurança, mesmo a todo instante sendo ameaçados pelos coletivos armados do MST, produzem milhões de toneladas de grãos que estão salvando nosso PIB de descer até níveis venezuelano. Enquanto isso, esse vagabundo cachaceiro, conta com segurança armada, pagos pelas vítimas, para proteger o fruto do roubo cometido coisa ntra todos nós.

Anônimo disse...

O petralha 22:45 é o espião ou açeçor da casa do baralho. Trabalha onde os outros se divertem.

Anônimo disse...

se verificarem onde foram os caminhoes da mudança de LUla quando saiu do planalto, alguns devem ter ido para o sitio de Atibaia. conferir com a transportadora

Anônimo disse...

Gostaria de ver esta manchete : " O MST invadiu hoje o sitio de Brahma em Atibaia ! " . Nada mais justo , afinal esse sitio eh completamente improdutivo , um sitio construido para o lazer de pessoas ricas, da elite . Um sitio com lago artificial, com barco , adega refrigerada , sauna, piscina, varias suites , alojamento para a seguranca pessoal , enfim uma propriedade como essa, improdutiva e construida para o lazer da burguesia , deveria fazer parte da lista do MST para futuras invasoes, afinal temos que ser coerentes , ou nao ???

Anônimo disse...

É um lularápio mesmo!

Anônimo disse...

E as 124 idas do governador Aécio neves para o rio de janeiro quando era governador. Bah ora globo nao e crime. Alem do aeroporto

Anônimo disse...

O petismo se comporta mais como uma seita de fanáticos religiosos, não adianta falar com os membros desta seita-facção criminosa, pois não tem condições mentais nem morais de entender o que é certo ou errado, honesto ou desonesto, democrático ou não democrático. Pobre Brasil, em breve vai ter uma guerra civil e seu protagonista maior se chama Hitler com seus nazistas, ops, me enganei, Lula e seus petistas.

Anônimo disse...

Lula foi menos a Atibaia do que Aécio ao Rio:

Em sua nova "bomba", Época calculou que o ex-presidente Lula foi 111 vezes a um sítio em Atibaia (SP), que fica a menos de 50 km de distância de seu apartamento em São Bernardo do Campo (SP); o curioso é que as 124 viagens de Aécio Neves, como governador Minas, ao Rio de Janeiro, em aviões oficiais, jamais foram tratadas como escândalo pela Globo; jihad da família Marinho contra Lula pode incendiar o País.....

PS: Faltou dizer que Aécio, além das 124 viagens com o avião oficial do Governo de MG, aécio cedia aeronave para amigos da globo, como o apresentador Tucano Luciano Hulk, Sandy e Junior, José Wilker, Milton Gonçalves, José Bonifácio Sobrinho (boninho), Roberto Civita, Ricardo Teixeira, etc. e que continuou usando o avião no governo Anastasia. E qual o Partido do Aécio? PSDB, do serra, FHC, Alkmin, Beto Richa, Yeda, Marquesan JR.

Anônimo disse...

Todo vagabundo comunista tem alguma(s) propriedade(s) para o seu ócio. Os soviéticos tinham as "dachas" equipadíssimas, os castro tem os "cayos" à beira do Caribe, enfim elles adoram o padrão consumo "dazelite" e, claro, sempre com um batalhão de seguranças para cuidar da sua "privacidade".
Editor, tem até um livro escrito pelo ex-chefe de segurança pessoal do fidel relatando barbaridades sobre festas, tráfico de drogas e armas para os EUA, contas secretas em paraísos fiscais, enfim, toda bandidagem patrocinada contra el pueblo cubano por su dictador de mierda. É difícil encontrá-lo, mas achei, olhe a ironia, em uma livraria dentro do campus da UFSC. Não recordo o nome do livro e seu autor, pois meu filho levou-o para ler e "esqueceu" de devolver.

Anônimo disse...

Comunista ordinário. Lula e família são ladrões. Se o Alkimin rouba tambem não tem nada a ver. Gente que nem tu Xi não vale o que come.