Calote argentino poderá ser decretado antes da meia noite de hoje

A presidente argentina, ontem, em Caracas, aconselhando-se com o presidente Maduro. 

O quadro de incertezas na Argentina voltou a provocar volatilidade no mercado financeiro local e foi um dos principais assuntos da  reunião dos presidentes do Mercosul, ontem, em Caracas, na Venezuela, onde a Argentina assumiu a presidência temporária de seis meses do bloco. O problema ocorre em um momento recessivo da economia argentina. Para uns essa incerteza pioraria a saúde da economia argentina. O calote afetará gravemente o cenário político local e poderá significar a queda do governo. As relações comerciais com o Brasil será afetadas gravemente. No RS, os exportadores que trabalham com a Argentina serão muito prejudicados.  

Nesta quarta-feira, 30 de julho, à meia-noite, vence o prazo de carência de 30 dias para que o governo argentino da presidente Cristina Kirchner pague os juros dos títulos públicos que venceram no dia 30 de junho e assim evitar cair no segundo calote em treze anos. 

. Esta terça, 29 de julho foi marcada por frenéticos encontros em Nova York, entre representantes da Argentina e o mediador do juiz de Nova York que colocou o país entre a cruz e a espada. Ou como disse o ministro da Economia, Axel Kicillof, entre "o default e o default" (calote ou calote).

. Foi um dia marcado ainda por rumores em Buenos Ares de que poderá haver um acordo de último momento entre o governo e os chamados fundos 'abutres' - especuladores - que representam cerca de 1% da dívida argentina de 2001, que entrou em moratória e que foi reestruturada em 2005 e em 2010. O problema é que, argumenta-se no govenro e entre economistas argentinos, se a Argentina pagar a estes fundos o que eles pedem os demais também vão pedir os mesmos direitos. E aí a bolada saltaria para pelo menos US$ 100 bilhões, segundo os mais otimistas, ou US$ 500 bilhões, segundo os mais pessimistas, incluindo o governo. 

9 comentários:

Anônimo disse...

A reunião em Caracas, já foi de verdade uma reunião de ABUTRES = Urubus, caloteiros.

Anônimo disse...

cara, não é possível, as eleições na AL só podem estar sendo fraudadas...

nenhum eleitorado, por mais insano que seja, elegeria, repetidamente, gente tao grotesca como esses que comandam os países bolivarianos metidos em uma crise sem fim onde de tudo falta...

Anônimo disse...

Governos esquerdistas, são incompetentes e perdulários. Essa gente de esquerda, que são contra a iniciativa privada, pensam que dinheiro dá debaixo de pedra. Aki nestepaiz de petralhas, estão gastando anualmente mais de 25 bilhões de reais DANDO DINHEIRO COM O BOLSA FAMÍLIA. Esse dinheiro poderia ser empregado em infraestrutura e mandar essa gente do bolsa, procurar emprego.

Anônimo disse...

A INDIADA da AMERICA LATINA devem voltar aos ESCAMBO!

Anônimo disse...


A Dilma poderia ajudar a amiguinha argentina com os R$ 153 mil que guarda no colchão.

O novo calote argentino poderá ser a gota final e desencadear a crise brasileira que todo mundo está esperando.

Anônimo disse...

Eu sou você amanhã !
Lembram ?

Anônimo disse...

A Dilma já meteu o nariz lá com Israel, agora vai mexer com as contas da Argentina, alias única coisa que pode aprender é MANIPULAR índices da Economia com a Cristina Kerchner.
MERDOSUL, um dia você vai ter um.

Anônimo disse...

A baranga foi se aconselhar com o "motóra"? Coitada da Argentina, deve estar mesmo no fundo do poço!

Anônimo disse...

Políbio,

Como fica a termoelétrica de Uruguaiana??

Duvido que o gás chegue!!

JulioK