Sem dinheiro nem para pequenas obras no Beira Rio, Tarso diz que poderá botar dinheiro público na Foton

Apesar da aguda crise financeira na qual mergulhou o Rio Grande, o governador Tarso Genro anunciou que  pode investir até R$ 48 milhões em ações da Foton, que vai se instalar em Guaíba, perto de Porto Alegre.

. A Foton quer implantar uma fábrica de caminhões em Guaíba, já devia ter começado as obras e até agora não fez nada, alegando que a Fepam amordaça os licenciamentos. No Brasil, o sócio principal da Foton é o ex-ministro Luiz Carlos Mendonça de Barros, que pertenceu ao governo FHC, de onde saiu em meio a rumorosas denúncias sobre o caráter dos leilões de privatização das teles. Ultimamente, Barros tem falado bem dos governos do PT. 

. O governo atual nunca participou do capital de qualquer empresa privada, mas a Foton pertence ao governo comunista da China, o que para Tarso Genro e o PT pode ser diferente. A declaração de Tarso Genro é surpreendente por pelo menos duas razões:
1) Precisando de R$ 25 milhões para obras no entorno do Beira Rio, o governo enviou projeto para a Assembléia, trocando dinheiro por renúncias fiscais.
2) O PT jamais aceitou fazer renúncias fiscais, mas sobretudo jamais concordou com empréstimos com juros subsidiados e subscrição de ações, razões essenciais que levaram Olívio Dutra a mandar a Ford embora do RS. 

.  "Nosso negócio é trazer a empresa para cá. Podemos entrar no capital e mais tarde, quando o projeto estiver consolidado, saímos", explica o Mauro Knijnik, secretário de Desenvolvimento do Estado, que até agora não tem falado nada sobre a crise que outra empresa apoiada por ele, a Iesa, produz em Charqueadas. 

Como foi o escândalo da privatização das teles no governo FHC
Conversas gravadas na sede do BNDES revelaram um suposto esquema de favorecimento de empresas no leilão de privatização da Telebrás, conduzido por Luiz Carlos Mendonça de Barros e André Lara Resende, então presidente do BNDES, com a anuência do Presidente da República, Fernando Henrique Cardoso, que também aparece nas gravações. Além de Mendonção, o escândalo também derrubou seu irmão, José Roberto Mendonça de Barros, da Câmara de Comércio Exterior e André Lara Resende da presidência do BNDES 1 .Foi também denunciado pelo Ministério Público em outro processo envolvendo a concessão de empréstimos para a privatização da Eletropaulo 2 .Apesar de tudo, continuou a compor a equipe econômica que dava sustentação ao modelo implantado pelo governo tucano durante os oito anos da presidência de Fernando Henrique Cardoso. É lembrado ainda pelas disputas travadas com o grupo de Pedro Malan, à época Ministro da Fazenda, sobre os rumos da economia brasileira.

8 comentários:

Anônimo disse...

Mais um ponto para o FHC, se não fosse por ele, estaríamos hoje nos comunicando através de sinais de fumaça. Se não conseguem fazer meia dúzia de estradas, imagina o que seria de todos os investimentos realizados em telefonia. E por fim, os preços que foram vendidas aquelas companhias telefônicas, hoje não valeriam a metade. Foi o melhor negócio que o Brasil já fez!

Surfista Prateado disse...

A melhor coisa que já aconteceu ao Brasil foram aquelas privatizações. Se tivessem dado de graça, ainda assim seria um baita negócio.

Anônimo disse...

RAUL PONT E OLÍVIO DUTRA DEVEM ESTAR TENDO CHILIQUES EM CIMA DE CHILIQUES COM O "CUMPANHERO" ATRASO GENRO.

ATRASO FAZ TUDO O QUE ELES DEFENESTRAVAM E CONDENAVAM ATÉ ONTEM.

Anônimo disse...


Depois de crucificar as privatizações e subsídios de FHC e Brito, agora o PT, além disto, está dando a b.... para a Photon. Se não for o suficiente ainda há a c........ como alternativa.

Como os chineses da Photon não são trouxas nem boiolas, o "esperma derramada" pode enviar a filha maluca "negociar" estes ítens da pauta.

Anônimo disse...

Sobre o tema, sugiro a leitura de 'A Privataria Tucana" de Amaury Ribeiro Jr. Muito ilustrativo e, a meu ver, foi a escola que seguiu e PT para implantar o mensalão e suas consequências contadas em proza e verso no livro 'Assassinato de Reputações" do Romeu Tuma Jr. Ambas as obras são o retrato fiel do que se tornou a política em nosso país. Recomendo a leitura dos dois livros pela ordem mencionada.
Danilo

Anônimo disse...

Nada como um dia após o outro, mas é tudo pelo social! Me enrola que eu não gosto.

Anônimo disse...

Antes de ler o primeiro livro recomendado por ti, Sr. DANILO, temos de saber que tido se caracteriza a personalidade do escritor.

Então, primeiro a leitura do poema que Amauri fez para o/a MARLI, travesti.

"Tal mães, tal filho".



Anônimo disse...

FOTON???? Empresa chinesa de caminhões ?? Quem vai querer comprar / investir pesado numa empulhação dessas?
Todos sabemos que produto chinês não presta, especialmente os motoristas brasileiros! não vai vender coisa alguma e será mais um mico gaúcho com a marca Tarso Genro , que se soubesse de um carro produzido em Cuba depois dos anos 60 "atrairia" com o nosso dinheiro uma fábrica cubana de veículos. Seria o Programa MAIS BICHEIRA !