Com R$ 5,4 bi para metrô de SP, Dilma ataca o PSDB ao lado de Alckmin

A presidente Dilma Rousseff apontou um "déficit histórico" no investimento em transporte público ao criticar, nesta sexta-feira 25, os governos federais que antecederam o PT. A reportagem é do site www.brasil247.com.br O texto a seguir é todo do site:

Ela participou de evento em São Paulo, onde anunciou R$ 5,4 bilhões para obras em mobilidade urbana, principalmente na ampliação de linhas de metrô e trens na capital. As críticas foram feitas ao lado do governador paulista, Geraldo Alckmin, do PSDB. "Nos anos de 1980 e 1990 era considerado inadequado fazer metrô, dado o custo elevado de investimento. Essa inadequação estava ligada também ao fato de o Brasil passar por um momento muito difícil, que durou muito tempo", discursou a presidente. Em parte desse período, o País foi governado pelo ex-presidente tucano Fernando Henrique Cardoso.
Ela ainda mencionou Alckmin ao falar do pagamento das dívidas pelo ex-presidente Lula ao FMI (Fundo Monetário Internacional), o que, segundo ela, facilitou o investimento no setor. "A gente tinha de pedir autorização ao FMI [para investir]. Por isso foi tão bom, não é governador, a gente ter pagado a dívida com o FMI, que não supervisiona mais as nossas contas", acrescentou Dilma.

Transporte sobre trilhos
Junto com Alckmin, Dilma anunciou o pacote de R$ 5,4 bilhões para a expansão da Linha 2 do metrô (Vila Prudente -Vila Formosa), expansão da Linha 9 do trem urbano para a Zona Sul e a implantação de trem urbano Linha Zona Leste-Aeroporto de Guarulhos, além da modernização de 19 estações do trem metropolitano.

"Investir em metrô é absolutamente essencial", disse Dilma Roussef.

CLIQUE AQUI para ler mais. 

11 comentários:

Justiniano disse...

Pagar juro da dívida não é a mesma coisa que pagar a dívida toda, mais uma para enganar a plebe ignara bovina do país!!!

Anônimo disse...

Tu tá te superando heim seu Políbio?

Ao invès de sair a cata de "notícias" por aí, fica em casa, numa boa, pinçando os sites dos outros.

Que vagabundagem.

que falcatrua.

Anônimo disse...

eh isso ai...

e depois o xuxu fica de elogios...

Anônimo disse...

Um bom óleo de peroba não faz mal a ninguém.O PT está a 12 anos no poder e nem conhece São Paulo.Agora a madame está feito mosca de boi em cima de Minas e São Paulo por causa das eleições de 2014.Se eu fosse o Alkmin recusava essa ninharia, pois o Governo Estadual já investiu mais de 50 bilhões no Metrô de São Paulo sem ajuda Federal.O PT quer participar com uma ninharia nas obras do outros e colocar um out-door do PAC maior que a obra.Veja atrás da foto que vc tem a idéia.

Anônimo disse...

O pt tem como recurso para vitória do partido a compra do eleitor com promessas que jamais vai cumprir.Por enquanto a copa vai entretendo o brasileiro medíocre que gosta de se enganar e aos poucos vai colocando o país num beco sem saída.

Anônimo disse...

Isso demostra, mais uma vez, que Dilma não faz distinção de Estados, ou seja, auxilia a todos, inclusive seus inimigos politicos, afinal a população do Estado de São Paulo que é a beneficiária final.

Ao contrário que fez FHC, do PSDB que deu dinheiro do BNDS para Bahia de Toninho Malvadeza, para tirar a FORD do RS, depois o elementos TUC Ânus puseram a culpa em Olivio Dutra, ou seja, o elemento inimigo politico foi mais forte que a população gaúcha.

Anônimo disse...

Polibio, o chuchu não tem boca pra nada,não defende nem seu governo, vai perder o Estado de S.Paulo para os petralhas,pela covardia que comete,como o Serra fez com a Yeda em 2010.

Anônimo disse...

Será que a dilma está grávida?
Até a roupa que está usando é de gravidez.



Anônimo disse...

E tem uns babacas que vão achar que o metrô de SP ( disparado o melhor do país ), teve alguma participação do PT.

Anônimo disse...

Alkmin eh ingenuo ao aceitar esmola do PT. Agora essa calhorda vai dizer que foi o PT quem construiu o metro.
O PSDB nao sabe fazer campanha mesmo...

Anônimo disse...

Não tem jeito mesmo, virou só negociata, roubalheira, por isso o
Al que não existe oposição no BRASIL. Nós merecemos.