Univates, Lajeado, amplia convite para falas de outros editores do site sujo Intercept

A Univates, Lajeado, RS, resolveu trazer também o editor executivo do site sujo The Intercept, Leandro Demori, para falar ao lado do jornalista Alexandre De Santi, na promoção que fará no início de setembro, tudo sob o seguinte tema:

- Intercept: jornalismo investigativo e independente no Brasil.

Leandro Demori, que é gaúcho, foi um dos editores do blog sujo Nova Corja, que já fechou, uma vez que não resistiu a condenações que seus responsáveis sofreram, tudo via processos cível e penal movidos pelo editor deste blog e pelo Banrisul.

O site sujo The Intercept, do americano Glenn Greenwald, que antes de fundá-lo foi empreendedor de filmes pornográficos para gays, nos EUA e no Brasil, move há 60 dias uma campanha pública para desmoralizar procuradores e juízes federais, além de jornais como Estadão e Globo, tudo para combater a Lava Jato. O site usa posts roubados de celulares de autoridades federais que lhe foram entregues por uma quadrilha de bandidos que está presa em Brasília. Os bandidos chegaram ao site através da comunista Manuela D'Ávila, que ontem teve que prestar depoimento e entregou seu celular a delegados da Polícia Federal para perícia. Manuela alega que apenas repassou o celular de Glenn para o líder da quadrilha, o Vermelho.

11 comentários:

Anônimo disse...

Jornalismo independente? Independente do que, cara pálida?

Anônimo disse...

Políbio, recoloca aquelas imagens escabrosas para esculhambar esse Verdevaldo.

Anônimo disse...

São referências éticas, dignas das mais conceituadas universidades do mundo.....

Anônimo disse...

O Verdevaldo sumiu deve estar dando uma campereada com os veados.

Anônimo disse...

Qualquer morador do Vale do Taquari sabe que a Univates é vermelhinha. É o cafona querendo ser moderninho!!!!

Anônimo disse...

Queiroz é encontrado em SP: faz tratamento e mora no Morumbi:

30 AGO 2019 - Portal Terra

O ex-assessor do senador Flávio Bolsonaro (PSL-RJ) e protagonista do primeiro escândalo da gestão de Jair Bolsonaro, Fabrício Queiroz, foi localizado pela reportagem da revista Veja no hospital Albert Einstein, no bairro do Morumbi, em São Paulo, onde realiza tratamento para combater um câncer no intestino.

No final de 2018, ele realizou uma cirurgia no mesmo hospital, pouco antes de estourar o escândalo da movimentação suspeita de R$ 1,2 milhão de reais em sua conta, como foi revelado pelo Estado. Queiroz também está morando no mesmo bairro do hospital para facilitar os deslocamentos até lá.

Apesar de ter celebrado o sucesso de uma cirurgia para retirada do tumor, dançando em um vídeo no início de janeiro, a Veja afirma que a operação não resolveu o problema, que foi agravado em função das "férias forçadas" que teria tirado para se manter longe dos holofotes nos últimos meses.

Segundo a revista, um de seus amigos, o deputado estadual Rodrigo Amorim (PSL-RJ), trocou mensagens com Queiroz há alguns meses. "Ele escreveu que ainda estava baqueado", conta o deputado.

O sumiço de Queiroz, desde janeiro deste ano, tornou popular o bordão "cadê o Queiroz?" entre políticos da oposição e nas redes sociais sempre que querem provocar o governo e seus apoiadores.
Ao ser perguntado sobre o tema, o senador Flávio Bolsonaro respondeu que também gostaria de saber onde está o ex-assessor.

Apesar do sumiço, não há nenhuma ordem de prisão contra ele nem mesmo uma determinação para que deponha, por isso o ex-assessor não é considerado foragido.

"Queiroz, sua mulher, suas filhas e Flávio Bolsonaro alegaram diferentes razões para não comparecer ao MP, mas nenhum deles foi denunciado à Justiça por isso.

Os promotores também não chegaram a pedir a prisão temporária ou preventiva dos investigados", complementa a Veja. Procurado pela revista, Queiroz não quis se pronunciar. "Por enquanto, permanece calado."

José Corrêa disse...

"Intercept: jornalismo investigativo e independente no Brasil"?!?

IntercePT: fakenismo banditivo e dependente do LlulloPTismo!!!

Anônimo disse...

Polibio então vou te poupar de saber como esta a UNISINOS, as vezes tenho a nitida impressão que a UNISINOS deveria mudar logo de nome e botar uma placa do MST la na frente, kkkkk

Anônimo disse...

MBL abre guerra contra o governo e Kim chama Bolsonaro de bundão:

“Achei até meio bundão o Bolsonaro não falar o meu nome. Pelo amor de Deus. Sou um deputado mirrado, semijaponês, do baixo clero”, disse o deputado Kim Kataguiri (DEM-SP), em entrevista à Jovem Pan

30 de agosto de 2019 - Brasil 247

Da revista Fórum – Em entrevista ao programa Pânico, da rádio Jovem Pan, nesta sexta-feira (30), o deputado Kim Kataguiri (DEM-SP) retrucou os ataques que o presidente Jair Bolsonaro disparou contra ele nesta quinta (29), durante live no Facebook....

Anônimo disse...

País tem recorde de 38,683 milhões trabalhando na informalidade, mostra IBGE:

30/08/2019 - Estadão

Embora o País tenha atingido no trimestre encerrado em julho o maior contingente de pessoas trabalhando, 93,584 milhões de brasileiros, o mercado de trabalho registrou também um nível recorde de 38,683 milhões de pessoas atuando na informalidade, segundo os dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (Pnad Contínua), iniciada em 2012 pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Ou seja, 41,3% de todos os ocupados estão na informalidade, contra uma fatia de 40,9% registrada no trimestre.....

Anônimo disse...

quem mora nas redondezas sabe das meninas de família boa que vão nas bocas de fumo consumir cocaina e as famoas "balas" e os doces nao baladas