Bolsonaro diz que continua de mal com Macron

O presidente Jair Bolsonaro reafirmou, hoje, que continua de mal com o francês Emmanuele Macron.

É isto.

17 comentários:

Anônimo disse...

Na privatização das teles, lá atrás, grandes empresas de comunicação, como a AT&T, Siemens, Hitachi, NEC e outras foram forma proibidas de participar dos leilões.

O resultado foi uma catástrofe. Nas comunicações, ficamos nas mãos de picaretas.

Anônimo disse...

Bolsonaro nunca é criticado pelo que FAZ, mas pelo que DIZ!

Logo, se fechar a boca, fará um excelente governo, presumo!

Hoje, por exemplo, garantiu que Merkel quer namorar com ele!

É um pândego, mas votei nele, para afastar os CORRUPTOS do poder! Qualquer pessoa de boa índole faria o que fiz!!

Anônimo disse...

E, como hoje já choveu em altamira (Amazônia), parece que moiô (trocadilho) o discurso da vagabundagem esquerdista.
PS: KD os comentários ? Esse negocio de "bier Ma..." (encher o caneco) todo dia, tá fazendo mal pro fígado e pra comunicação.

Mordaz disse...

Bolsonaro mente e ainda fica brabo quando desmascarado. Aparelhou o INPE na maior cara dura.

JOÃO FERNANDO CUNHA DA CUNHA disse...

POLÍBIO, ACORREGE TEU FRANCEIS!
EMMANUELLE É EMANUELA, FEMININO.
O NOME CORRETO DO PRESIDENTE DA FRANÇA É EMMANUEL MACRON.
ESSA É DE GRAÇA. AS PRÓXIMAS VOU TE COBRAR.
VAI QUE O MACRON ACHE QUE CHAMARAM ELE DE MANUELA...

Anônimo disse...

So falta dizer TE PEGO NA SAIDA. É uma criança esse Bolsonaro.

Anônimo disse...

Aff esses dois presidentes estão parecendo dois moleques brigando em escola,tá na hora desses dois virarem adultos pô.

Anônimo disse...

Uma pequena correção, o nome completo do Presidente Francês é Emmanuel Jean-Michel Frédéric Macron. Emmanuelle é um filme erótico da década de 70...

Cris disse...

O Macron não vai dormir ... vai ter insônia...
Imagine...
Mais um pouco e teremos mais uma metáfora envolvendo namoro , noivado, casamento, divórcio ou viuvez para que saibamos sobre os sentimentos que lhe vão na alma...

Anônimo disse...

Vê se esse Bozo ridículo não parece um colegial de 10 anos birrento!!!

Anônimo disse...

E o Macron preocupadíssimo. Deve estar até precisando de remédio para conseguir dormir. Bolsonaro é irrelevante. É isto.

H. Romeu Pinto disse...

Olha a petezada defensora de ladrão faceira no Blog. Insignificante é o atual ídolo de vocês o Maricon!!! pegador de vovozinha.

Anônimo disse...

Vc. é irrelevante para o Macron. E a Guiana Francesa é uma colonia francesa, administrada como "colonia" em pleno ano de 2019, nos mesmos moldes coloniais do Século XVI .!!

Anônimo disse...

Neotucano, Frota diz que Bolsonaro mama há décadas nas tetas do Estado:

Bolsocaro vc ficou 28 anos sendo pago pelos Brasileiros fez 3 projetos, passou por 9 partidos colocou 3 filhos na política está preparando mais um filho o Mito Jr. e empregou 102 parentes oficialmente. Acho que deve repensar quem Mamou", postou o deputado Alexandre Frota (PSDB-SP), que rompeu com Bolsonaro

30 de agosto de 2019 - 247

Alexandre Frota

@alefrota77
Bolsocaro disse que Doria mama na Politica. Bolsocaro vc ficou 28 anos sendo pago pelos Brasileiros fez 3 projetos,passou por 9 partidos colocou 3 filhos na política está preparando mais um filho o Mito Jr. e empregou 102 parentes oficialmente. Acho que deve repensar quem Mamou.

3.052
08:14 - 30 de ago de 2019

Anônimo disse...

que foi petralha? tu que nasceste em casa de puta deves saber bem do assunto

Anônimo disse...

Nestlé diz que vai revisar compra de carne e cacau da Amazônia:

​30 agosto, 2019

Queimadas na Amazônia

Do Estadão:

A gigante de alimentos Nestlé declarou nesta sexta-feira, 30, que está “profundamente preocupada com os incêndios na floresta amazônica”, maior floresta tropical do mundo e “vital para garantir a estabilidade climática”, como destaca a empresa suíça. A compra de subprodutos de carne e cacau da região, diz a Nestlé, está sendo agora “revisada” para garantir alinhamento com o padrão de fornecimento responsável. “Vamos tomar ações corretivas quando necessário”, acrescentou.

O avanço das queimadas na região amazônica causou uma repercussão global nas últimas semanas e levou o presidente Bolsonaro a enviar as Forças Armadas para combater as chamas. Desde então, a reação mundial envolve também a preocupação de grandes empresas quanto ao fornecimento de produtos oriundos da floresta. A VF Corporation, dona da Timberland e Vans, suspendeu a compra de couro.

Nesta sexta, a Nestlé disse se opor ao desmatamento e à destruição de outros habitats naturais em todo o mundo. A empresa conta que desde 2010 assumiu um compromisso de não desmatamento, o qual prevê a não associação dos produtos com essa prática. “Desenvolvemos o Padrão de Fornecimento Responsável da Nestlé, que nossos fornecedores precisam respeitar e aderir em todos os momentos. Se forem identificadas lacunas, nos envolvemos com os fornecedores para entregar planos de mitigação e rastrear a eficácia das ações tomadas”, disse em nota.

A empresa informou que obtém do Brasil óleo de palma, soja, carne e cacau de Estados localizados na Amazônia. “Nos comprometemos com a Moratória da Soja da Amazônia, um acordo voluntário liderado pela indústria para garantir que, desde 2006, os comerciantes não comprem soja cultivada na Amazônia em terras desmatadas. Nós também monitoramos nossos fornecedores de carne por meio de monitoramento por satélite”, detalhou.

Também nesta semana, o Nordea, maior banco dos países nórdicos, afirmou que estava suspendendo as compras de bônus do governo do Brasil, devido a preocupações sobre a resposta aos incêndios na região da Amazônia. Sediado em Helsinque, na Finlândia, o Nordea informou que a “quarentena temporária” significa que não comprará bônus brasileiros denominados em dólar ou real até nova avaliação posterior sobre o tema.

O Nordea afirma em comunicado que sua avaliação sobre a ambiental, social e da governança para o Brasil identificou riscos por causa do desmatamento e de planos do governo do presidente Jair Bolsonaro para relaxar proteções ambientais.

O banco afirma que o modo como o governo lida com a questão poderia afetar a estabilidade política no Brasil, ameaçando o acordo de livre-comércio entre o Mercosul e a União Europeia, e potencialmente levar companhias internacionais a boicotar produtos agrícolas do País.

Anônimo disse...

Marchezan sugere e emplaca manifesto de 349 cidades latinas sobre crise na Amazônia!!!!!!