TJ do RS tira nota para dizer que não aceita proposta da LDO para 2020

O presidente do TJ do RS, Carlos Eduardo Duro, acaba de tirar nota para criticar a nova LDO do Estado, protocolada hoje na Assembleia.

Duro protestou contra a falta de diálogo, considera a proposta de LDO inconstitucional e avisou que vai questionar tudo fora e dentro do Legislativo.

Os chefes do TJ, TCE, Assembleia, MPE e Defensoria, só ficaram sabendo dos números esta manhã, quando tudo já estava decidido.

Ele não aceita congelamento das despesas públicas.

17 comentários:

Anônimo disse...

O mais grotesco de tudo é a redação da nota.
É realmente lamentável que o Presidente do Tribunal de Justiça escreva pior do que um aluno da oitava série do ensino fundamental.

Anônimo disse...

Republica Democratica Socialista de MUZEMA...

BRAZIL; PAIS ESCORADO.

Anônimo disse...

Nao tem aceitar ou nao...

O dinheiro ACABOU!!!

Anônimo disse...



DE MODELO A TODA TERRA....

Os chefes do TJ, TCE, Assembleia, MPE e Defensoria, ele não aceita congelamento das despesas públicas

É INACREDITÁVEL...MAS A MAQUINA PUBLICA NÃO ENTENDEU AINDA QUE A INICIATIVA PRIVADA ESGOTOU SUA COTA DE SACRIFÍCIO, PAGAR IMPOSTOS PARA SE TRANSFORMAR EM SALÁRIOS, PENDURICALHOS, PENSÕES E APOSENTADORIAS NABABESCAS...

Unknown disse...

O que será que ele aceita? Aumento de despesas?

Anônimo disse...

Crise existe pra todos, menos para deputados, juízes, procuradores...

Anônimo disse...

O judiciário vive em um mundo de privilégios. Eles não estão nenhum pouco preocupados com despesas caberem nas receitas.
Brasil só vai ser uma nação se começar do zero. Não tem que congelar as despesas, tem que cortá-las. Diminuir salários dos funcionários públicos de todos os níveis pela metade. Diminuir número de vereadores, deputados, juízes, varas de justiça, graus de recursos de processos. Tudo deveria ser revisto, para o bem da população. O Estado atual inverteu-se a lógica de serviço. A população deveria ser o patrão dos funcionários públicos e não o contrário. Os funcionários públicos deveriam prestar reverência aos cidadãos e não o contrário.

Anônimo disse...

O Judiciário não quer compartilhar a crise.

Se não querem ser parte da solução peço que se exonerem em massa e vão para a iniciativa privada e deixem os seus cargos para pessoas que possuam a mínima noção de cidadania e patriotismo.

Na crise todos tem que dar a sua parcela de contribuição e cortar na carne.

Abram mão do chamado auxílio moradia e outras regalias que prestarão um relevante serviço ao estado.

ganhatudo disse...

Quem sabe ele consegue fabricar dinheiro.

Anônimo disse...

Não "aceita" ? Eu também não aceito a morte! E aí? Não vou morrer por causa disso? A situação é a seguinte, desembargador: acabou o dinheiro. Reclame para os seus amigos petistas, que quebraram o seu Estado e o país.

Anônimo disse...

E a Irmandade - Liberdade, Fraternidade e Igualdade - pautando o RS. Tudo para os manos. A sociedade que se foda.

Anônimo disse...

Ele que aponte da onde sairá o dinheiro para seus gastos nababescos, restaurantes privativos, mordomias mil, carros luxuosos, chega o Judiciário, TCE, MP e Defensoria(que tem que ser extinta) gastarem o que querem em detrimento dos outros Poderes.

Anônimo disse...

A crise tem que atingir todos e não só o Executivo e o resto da população

Unknown disse...

Duro está o contribuinte gaucho. Se esse tal aí do tribunal acha que tá ruim,pessa demissão, seu folgado.

Anônimo disse...

Parece Genesis, os caras são deuses...
1. Não havia dinheiro no falido RS aí o presidente do TJ disse: Faça o dinheiro. O dinheiro apareceu e o presidente do TJ viu que isso era bom....

Anônimo disse...

Deixem de ser ingenuos. Não interessa o que pensem, as despesas publicas não tem como congelar assim como as despesas de nenhuma economia nesse pais inflacionado.

Não adianta fazer passar uma lei orçamentaria mentirosa que sera descumprida ano que vem, só para ingles ver, e os eleitores pensarem que o governo esta tomando medidas duras contra os malignos funcionarios publicos.

Se fosse respeitar essa lei mantendo os gastos de um ano para outro, os ajustes salariais pela inflação continuam sendo dados, e o q reduziria seriam horas extras da policia, verba para manutenção de escolas e viaturas, etc.

Anônimo disse...

O presidente do TJ poderia esclarecer quanto o judiciário do RS tem depositado no Banrisul, de excedentes orçamentários, enquanto o Executivo mendiga para pagar as contas???

Dizem as más línguas que o valor é superior a TRÊS BILHÕES DE REAIS!