A maioria dos deputados do Centrão quer viver nas sombras e atacar de modo traiçoeiro o governo Bolsonaro

A lista dos deputados que integram o Centrão, construída a duras penas pelo editor ao longo das últimas duas semanas, inclui os endereços de cada deputado, bem como seus telefones e e-mails.

O grupo reúne deputados claramente fisiológicos, mas também reúne deputados com boa bagagem de serviços prestados, embora, atualmente, coloquem-se em linha de restrições a questões pontuais defendidas por Bolsonaro. Os próprios deputados Jerônimo Goergen e Pedro Westphalen, incluídos na lista, já declararam repetidas vezes ao editor que não pertencem ao Centrão.

A lista a seguir é uma tentativa de desvendar a verdade, porque os membros do Centrão escondem-se no anonimato, vivendo nas sombras e atacando o governo bolsonaro de modo traiçoeiro, sempre criando dificuldades e visando a obtenção de facilidades.

9 comentários:

Marco Antônio disse...

Resumo da obra no presidencialismo de coalizão: ou volta o toma lá dá cá, ou não há governabilidade.
Assim que isso ficar patente aos brasileiros, teremos uma revolução para mudar o que não funciona. É o que a história nos ensina.

Anônimo disse...

Acho que a Lava Jato nos trará boas novas em breve ...

Bigode disse...

Cadê a lista?

ganhatudo disse...

Se não pertencem ao centrão, por que estão alinhados com o centrão nessa briga com o Poder Executivo?
Será que é tudo farinha do mesmo saco?

Anônimo disse...

"Os próprios deputados Jerônimo Goergen e Pedro Westphalen, incluídos na lista, já declararam repetidas vezes ao editor que não pertencem ao Centrão".
"A mulher de César não basta ser honesta, tem que parecer honesta".


ARS disse...

O capitão tem de parar de reagir e passar a agir. Não adianta nada ficar só reclamando da oposição. Ao combate!

Anônimo disse...

Militares e PSL estão divididos sobre autogolpe de Bolsonaro:

Mais uma vez, como ocorre nas graves crises políticas e institucionais do país, políticos sondam os militares para encontrar saídas; mas até agora, as Forças Armadas não se mostram dispostas a intervir diretamente; informações da coluna Painel da Folha de S.Paulo revelam que em meio à escalada da extrema-direita para confrontar as instituições nos atos do próximo domingo (26), líderes políticos de diversas siglas estão sondando o estado de espírito das Forças Armadas...

20/05/2019 - Brasil 247

Anônimo disse...

“Quem está impedindo o presidente de governar?”, pergunta senador em requerimento:

Brasil 20.05.19 - O Antagoniste
Por Diego Amorim

O senador Jorge Kajuru, do PSB de Goiás, vai protocolar em instantes um requerimento ao ministro Onyx Lorenzoni, pedindo que Jair Bolsonaro explique e detalhe críticas feitas ao Congresso.

No ofício ao qual O Antagonista teve acesso em primeira mão, Kajuru faz 4 perguntas a partir de um texto publicado pelo presidente nas redes sociais na última sexta-feira. São elas:

“1. Que conchavos são estes propostos ao presidente e aos seus articuladores políticos?
2. Que partidos e/ou parlamentares estariam agindo de forma não republicana na relação com o Executivo?
3. Quem está, no Congresso Nacional, defendendo o ‘toma lá, dá cá’?
4. Quem está impedindo o presidente de governar?”

“Os parlamentares honestos, entre os quais eu me incluo, não podem ser jogados na vala comum em que chafurdam deputados e senadores que colocam seus interesses pessoais acima das obrigações institucionais”, argumenta Kajuru, na justificativa do ofício.

O senador Omar Aziz, do PSD de Amazonas, também promete apresentar requerimento com igual teor nesta semana.

Anônimo disse...

Senadora do PSL cobra Onyx e ataca o DEM: “Não falta governabilidade, falta é caráter”:
S
Brasil 20.05.19 - O Antagonista
Por Diego Amorim

Durante a campanha presidencial, no ano passado, Onyx Lorenzoni disse que, se eleito, Jair Bolsonaro teria uma base de mais de 300 parlamentares no Congresso, principalmente em razão do apoio das bancadas evangélica, rural e da segurança.

A senadora Soraya Thronicke (PSL) tem dito que “é preciso cobrar essa fatura” do agora ministro da Casa Civil.