Opinião do editor - O recuo do Santander é outra demonstração da força das redes sociais e da Web.

O surpreendente e imediato cancelamento da "mostra de arte" do chamado Queermuseu, num dia inusitado, neste domingo, foi resultado exclusivamente das denúncias e dos protestos registrados nas últimas 72 horas nas redes sociais - na internet.

A mídia tradicional não apenas incensou a exposição, abrindo generosos espaços para o lixo artístico, como acovardou-se diante dos protestos cada vez mais intensos, negando-se sequer a registrar o que estava acontecendo.

A força da internet está justamente na coragem com que enfrenta a verdade dos acontecimentos, mais os espaços sem censura que abre para a maioria silenciosa e a velocidade com que trabalha. 

O editor vem denunciando a exposição como uma ação destinada a fazer a apologia da pedofilia, da zoofilia, da vilania religiosa e da pornografia, conforme o leitor poderá constatar pela leitura das notas abaixo.

O Santander não resistiu e foi obrigado a cancelar tudo, mas vai pagar caro por sua ousadia inaceitável, mesmo tendo pedido desculpas pelo escabroso papel que jogou neste caso.

Na nota publicada pelo editor ainda há pouco, o banco faz uma retratação cabal do que disse seu próprio presidente quando abriu a mostra:

- ... entendemos que algumas das obras da exposição Queermuseu desrespeitavam símbolos, crenças e pessoas, o que não está em linha com a nossa visão de mundo. Quando a arte não é capaz de gerar inclusão e reflexão positiva, perde seu propósito maior, que é elevar a condição humana. O Santander Cultural não chancela um tipo de arte, mas sim a arte na sua pluralidade, alicerçada no profundo respeito que temos por cada indivíduo. 

É isto.

O Santander Cultural pensou exatamente o oposto disto quando abriu a "mostra de arte" do Queermuseu em Porto Alegre.

30 comentários:

Anônimo disse...

Coxinhas da tfp: foi retirado simplesmente porque terminou ontem a exposição ehehehe...essa gente do século XIX eh patética

Anônimo disse...

ehehe eu acho que o Santander passou um cachorro nos coxinhas trouxas q qdo nao sao enganados pelas mulheres sao pelos amigos..essa mostra pelo folder encerrava ontem kkkkk

Anônimo disse...

É isto mesmo , Editor . Parabéns pelo seu diligente trabalho .!!!

Anônimo disse...

por que então TCE, TRT não agilizam as extinções das fundações? se todo mundo quer serviços essenciais? por que insistem como o relator do TCE de manter fundações que não fazem nada e só geram pesada despesa ao Estado, sem ter retorno nenhum ao cidadão pagador de imposto. Chega esta na hora do Estado para de gastar naquilo que não é sua obrigação.

Anônimo disse...

O curador deste lixo de exposição é um tal de Gaudêncio Fidélis, amigo da Dona Maria do Rosário. Não precisa nem deduzir que se trata de uma "arte" de cunho esquerdista que deseja transgredir os valores morais apenas pra "causar".

Elizete Patrucco disse...

https://www.clarin.com/arte/arte_contemporaneo-fraude-avelina_lesper_0_Hy4-EC1ovXx.html Polibio, vale a pena ler este texto da crítica mexicana Avelina Lesper. Você vai gostar.

Anônimo disse...

Isso vale para os politicos....
Se cair algo errado nas redes sociais, hj em dia, JÁ ERA !!
Deve ser por isso..esse desespero todo em grandes programas de tv..querendo passar a velha tática do vitimismo.( as ditas minorias)...pra gerar polemicas e divisão !

Anônimo disse...

Esse Eheheh..Tem uma fixação pela tal traição da mulher...Deve ser trauma de infância...Pelo jeito esta foi a experiência que a mãe dele passou pra ele..No canal ID..na NET..tem varios programas de serial killers que matam mulheres devido a esta experiência...Polibio..guarda o IP desse cara..pode ser util.

Anônimo disse...

Procurador da Lava Jato compara escândalos de Uruguai e Brasil:

Brasil 10.09.17 14:24 - O Antagonista

“Enquanto, no Brasil, aparecem malas de dinheiro, estamos discutindo cuecas.”

Foi o que disse o ex-presidente uruguaio José “Pepe” Mujica (2010-2015) ao jornal “El Observador”, sobre a renúncia do vice-presidente Raúl Sendic, envolvido em um escândalo pelo uso de cartões corporativos oficiais no período em que, nomeado por Mujica, foi diretor da petroleira estatal Ancap.

O procurador Carlos Fernando Lima, da Lava Jato, comentou no Facebook:

“O escândalo no Uruguai parece brincadeira de criança comparado com o nosso. Mas lá o suspeito renunciou. Aqui eles fazem jantares para arranjarem um jeito de se safarem.”

Anônimo disse...




Mas vai tomar conhecimento o que de tua líder Gleise na Europa seu mortadela podre !!

Anônimo disse...

Se aquilo é considerado arte, então posso ser artista. Obras que não servem nem para rascunho. Um retrato da mente distorcida das pessoas sem cultura é aptidões artísticas. Sem competência, essa turma tenta criar um mundo exclusivo.

Carlo Germani disse...

O editor,Polibio Braga,está procedendo com exemplar competência jornalistica.

Questionar,denunciar e desmoralizar iniciativas de marxismo cultural,como esse lixo do Santander,é a única opção.

Anônimo disse...

A finalidade desses movimentos é apenas chocar, vilipendiar os valores ocidentais e destruir a família. Sempre sob o manto do politicamente correto e inclusão.
Tem-se tentado acabar com as fundações inúteis, mas é difícil acabar com as boquinhas. Participemos e demos força a isso.

Carlo Germani disse...

Concordo com o editor,Polibio Braga,ao reconhecer a força das redes sociais.

Por outro lado,é oportuno destacar a fragilidade dessa força.
A elite pró insana e satânica Nova (Des)Ordem Mundial,detém toda a tecnologia
eletrônica.

No momento em que julgarem altos riscos para sua agenda diabólica,simplesmente
darão um "OFF" em tudo.

Quem viver,verá!

Anônimo disse...

VERDADE A MIDIA ESQEURDALHA TAVA ABAFANDO MAS O PROTESTO NAS REDES FOI GIGANTESCO E TIVERAM QUE ATENDER- HAHAHAHH

Anônimo disse...

Anônimo Anônimo disse...

AO anônimo mentiroso das 15:28
Peguei a informação entre aspas na página do santader cultural

"Queermuseu – cartografias da diferença na arte da brasileira
De 15 de agosto à 8 de outubro de 2017"

Portanto, seu comentário é mentiroso.
A ridícula exposição foi cancelada, sim, não terminou simplesmente como disse o mentiroso de plantão.

Anônimo disse...

O SANTANDER TEVE Q PEGAR SEU BANQUINHO E SAIR DE FININHO= é aprendam que aqui no sul tem cafe no bule

a nossa bandeira jamais sera vermelha
a nossa bandeira jamais sera vermelha

Anônimo disse...

MANDA O CU- RADOR LÁ PRA CU= BA .É LA EM CU- BA É O LUGAR DELE COM ESTE LIXO VERMELHO AÍ

Anônimo disse...

sai daí trouxa chupa saco da direita não gosta q fale da tua ?

Anônimo disse...

Só os ingênuos acreditam na tolerância dos cristãos. Lembram da idade média? Da inquisição? Está no DNA deles. Infelizmente....

Anônimo disse...

Moro vai a lançamento de livro sobre privatização:

10 setembro 2017 - Blog do esmael

O juiz Sérgio Moro prestigiou na semana que passou o lançamento do livro Teoria Jurídica da Privatização – Fundamentos, limites e técnicas de interação público-privada no Direito brasileiro. A obra é dos novos gurus da privatização, os professores curitibanos de Direito Público Fernando Borges Mânica e Fernando Menegat.

Lembrado para disputar a Presidência da República em 2018, Moro quer ficar “in” em quando o assunto for privatizações.

A pauta neoliberal de Michel Temer (PMDB) e da mídia prevê para os próximos meses 57 privatizações de empresas públicas, dentre as quais a Eletrobras, portos, rodovias, Previdência Social, bancos públicos, etc. Nem a “raspadinha” escapará da fúria desestatizante.

O recado dos “mercados” veio neste domingo (10) aos pré-candidatos pela boca do ministro da Fazenda Henrique Meirelles.

“Acredito, inclusive, que todos aqueles que pleiteiam participar da eleição de 2018 e têm expectativa de estar participando do governo a partir de 2019 são os maiores interessados que se aprove agora a reforma da Previdência”, disse o banqueiro antecipando que outras “agendas econômicas” vão muito além de um governo e de um determinado momento do país. “É o interesse nacional”, jurou.

Moro já fez a parte dele ao mostrar-se interessado pelo tema “privatização”.

Anônimo disse...

Pessoal
Para quem teve o cartão de Crédito do Santander. Então, para cancelá-lo, é simples, pelo 0800 você cancela. Como eu tenho algumas parcelas de uma compra, tem que pedir a antecipação de parcelas pelo 4004 3535 digitar a opção 3 depois 2 e depois 9. Quando fizerem essa negociação(antecipação) aí sim, podem cancelar o cartão, senão eles não abatem os juros mensais embutidos.
Existem no mercado uma infinidade de cartões com anuidade zero, como o PayPal, NU, City Bank, Diggio, dentre outros. Ninguém precisa do Grupo Santander que em vez de utilizar recursos próprios, utilizou recursos do nosso bolso (ROUANET)!!!!


Sou do Paraná e minha Bandeira jamais será vermelha, nem mais meu cartão kkkk.

Anônimo disse...

JUNTO DO MBL, MARCHEZAN APOIA CENSURA A EXPOSIÇÃO LGBT:

11/09/2017 - Brasil 247

Cancelamento da exposição "Queermuseu – cartografias da diferença na arte da brasileira" que deveria estar aberta ao público até o próximo dia 8 de outubro, no Santander Cultural, em Porto Alegre, após pressão de grupos como o Movimento Brasil Livre (MBL), contou com o apoio do prefeito Nelson Marchezam Jr. (PMDB-RS), que afirmou que a mostra continha "imagens de zoofilia e pedofilia"; dentre os 85 artistas que estavam expostos no local, constavam obras de nomes reconhecidos internacionalmente, como Alfredo Volpi e Cândido Portinari.

Anônimo disse...

SANTANDER LEVA SURRA AO CEDER A CENSURA DO MBL:

11/09/2017 - Brasil 247

A decisão do Santander de encerrar uma exposição em Porto Alegre em razão de protestos do MBL custou caro ao banco espanhol; acusado de ceder à censura promovida por grupos de extrema direita – e, para alguns, de índole fascista – o banco espanhol levou uma surra nas redes sociais; "A declaração do Santander é absolutamente inaceitável, se desculpando de ter ofendido pessoas por meio de uma exposição artística que tinha justamente por tema a diversidade. O mínimo que podemos fazer é mostrar ao banco que o encerramento da exposição vai gerar um custo ainda maior para a sua imagem", escreveu o filósofo Pablo Ortellado; no MBL, Kim Kataguiri reivindicou o crédito pela censura imposta ao banco, afirmando não se tratar de arte.

Anônimo disse...

MBL não passa de massa de manobra.
Representam o que há de pior nessa geração.
Foram usados por duas quadrilhas para apoiar um golpe, movidos pelo interesse material.

Anônimo disse...

Desde quando os vigaristas do Movimento BUNDA Livre entendem de arte ??? Quanto foi que esses filhos de uma puta do MBL cobraram para fazer essa palhaçada ???

Anônimo disse...

Realmente o nazi-fascismo se instalou em algumas mentes (pouquíssimas mas atrevidas), não se sabe porquê cargas d'água.
Onde estão as "sagradas" instituições que não defendem o povo inteligente da sanha dessas aberrações tipo mbl e seus fãs?

Anônimo disse...

E pensar que nossos jovens ficam nos semáforos pedindo ajuda para as bandas das escolas, para os CTGs ou para participar de eventos culturais, enquanto o santander recebe auxílio da Lei Rouanet para apresentar este lixo! Um desrespeito com o MUNDO!

Anônimo disse...

👏👏👏👏

Anônimo disse...

A ARTE NÃO TEM SALVO CONDUTO PARA VILEPENDIAR A MORAL E O CARÁTER. AO CONTRÁRIO SERVE PARA SALVAGUARDAR VALORES CULTURAIS DO POVO , DA HUMANIDADE. CERTAMENTE A HUMANIDADE NÃO SE FARÁ REPRESENTAR PELA ARTE COM ALEGORIAS QUE MOSTRAM SENTIMENTOS TORPES E DOENTIOS QUE DENIGREM A IMAGEM DO HOMEM.

QUISERA VER O PRESIDENTE DESTE BANCO E SEUS DIRETORES, COM OS QUADROS MAIS BEM ILUSTRATIVOS E SIGNIFICATIVOS DESTA MOSTRA NO QUARTO DO SEU FILHO AINDA CRIANÇA, OU NA SALA DE JANTAR, OU AINDA QUE FOSSEM EXPOSTOS EM SEUS RESPECTIVOS PAÍSES EM SUAS AGENCIAS.

O PIOR É QUE NADA ACONTECE, E TUDO É ESQUECIDO, TUDO COMO DANTES NO QUARTEL DE ABRANTES.