Bolsonaro avisa que imigração só será aceita em casos de interesse do Brasil

Jair Bolsonaro afirmou ontem que o Brasil virou um “país sem fronteira”, ao criticar a “entrada indiscriminada” de imigrantes.


O presidente eleito Jair Bolsonaro deixou transparecer, ontem, que terá uma política de imigração restritiva.

Ele só admitirá abrigo a imigrantes que sejam do interesse do Brasil, capazes de suprir demandas na economia e na área social.

Abrigos a refugiados, mesmo venezuelanos e cubanos, serão pontuais.


Bolsonaro falou depois da conversa que teve com o primeiro-ministro da Hungria, Viktor Orbán, uma das principais lideranças de extrema-direita da Europa.

9 comentários:

Anônimo disse...

Uma coisa é uma coisa, outra coisa é outra coisa, imigrante é uma coisa, refugiado é outra coisa, não fosse os imigrantes, minha mãe não teria me tido.

Anônimo disse...

O problema da imigração seria resolvido se os países desenvolvidos resolvessem investir nos países de origem desses imigrantes. Se tivesse investimento externo decente nesses países, eles iriam se desenvolver e não teria esse crise toda. Se os USA tivesse apoiado o desenvolvimento da América Latina e se a Europa apoiasse o desenvolvimento da África, a situação não teria chegado a esse ponto. Agora estão sofrendo as consequências de décadas de omissão com seus vizinhos.

E o Brasil poderá ser o próximo país alvo da imigração em massa se a política externa do país não diagnosticar isso e tentar evitar apoiando os países alvos com acordos bilaterais e ajudando a desenvolve-los minimamente.

Não sou especialista em direito internacional, mas é como você construir uma prédio enorme vizinho a uma favela e passar anos sem fazer nada ao redor da construção. Depois não esperar que a violência aumenta ou a região se desvalorize. Só que na imigração a situação multiplica para milhares ou milhões, que é bem pior.

Anônimo disse...

Quando nós brasileiros vamos para o exterior, não saímos do aeroporto sem antes dizer qual é o motivo da viagem, o hotel que iremos parar, endereço, quanto de dinheiro temos e a data de retorno ao país de origem. Aqui entra todo mundo e não dão satisfação para ninguém. E temos que apesar de pagar absurdos impostos para o governo, temos que suportar isso.

Anônimo disse...

Fala pelos cotovelos depois não tem cu pra bancar.

Anônimo disse...

Verdade.Com o PT entrava até talibãs.O PT deixou o Brasil uma fronteira aberta para terroristas.O PT tem que ser extinto.Este partido é do mal.

Anônimo disse...

É, os países do leste europeu foram vitimas do sanguinário comunismo por mais de cinquenta anos. Hoje lá o comunismo é partido amaldiçoado. São países que tem autoridade para relatar quais as ações para banir o comunismo de um país e evitá-lo voltar com suas desgraças.

Anônimo disse...

Concordo plenamente. Os EUA erraram em virar as costas para os povos latinos. Agora arrumaram uma dor de cabeça com os imigrantes latinos. A unica saída será dar apoio e assistência ao Governo Mexicano para criarem abrigo e trabalho para estas populações! Quem sabe transferindo algumas Empresas como Coca-Cola e Ford para este país. Hoje o mundo ficou pequeno e você não pode ignorar sua vizinhança se quiser ter um mundo melhor e mais progressista!

Anônimo disse...

Deixaremos de ser a casa da mãe Joana? Pq a chegada dos venezuelanos ( nada contra os infelizes esfaimados vítimas da democracia podre de maduro) nos mostrou que aqui um qqr não pagador de imposto , falador de outro idioma tem muito mais direito que o tupiniquim pátrio sobrecarregado de ônus. Era ambulancia/ hospital só para eles e outras regalias não estendidas aos nacionais. Absurdo.

Anônimo disse...

Perfeita a fala do Bolsonaro!! Não podemos ter fronteiras abertas pois assim entra qualquer um e, principalmente, bandidos de toda a espécie. A maioria dos refugiados ou imigrantes pobres estão vindo de países ricos que foram dilapidados/saqueados pelos seus governantes/ políticos. Assim como o Brasil, na era lulista, perdoou a dívida de alguns países africanos e o que aconteceu? O dinheiro foi embolsado por esses governantes e a população continuou miserável.