Opinião do editor - A Fiergs precisa dar um passo adiante.

Só agora a Fiergs percebeu que a situação econômica brasileira é a pior em 114 anos, porque até há pouco não parava de elogiar e paparicar os governos Lula e Dilma. Foi preciso que a indústria tomasse um tombo monumental para mudar de atitude, embora ainda não tenha demonstrado coragem paras exigir a substituição da "presidenta", que é como a trata servilmente o presidente Heitor Muller, que no entanto já não lhe beija a mão.

Sem seu tradicional almoço de fim de ano para jornalistas, a Fiergs divulgou ontem as projeções que fez para o desempenho da economia brasileira e gaúcha em 2015 e 2016.

Os números são parecidos com aqueles que foram apresentados na semana passada pela Fecomércio.

O presidente Heitor Muller fez uma análise correta do cenário, mas não teve coragem de avançar na solução:

- O País está num labirinto e é preciso encontrar a saída, mas ninguém sabe onde ela está.

A Fiergs sabe que a crise econômica que dilacera a indústria e, portanto, a economia, tem um vértice político. A saída é substituir o governo atual, que perdeu as condições de governabilidade e nem tem projeto para estabilizar a economia e retomar o crescimento, colocando em seu lugar alguém que tenha estas condições, no caso o próprio vice Michel Temer.

A Fiergs precisa demonstrar coragem para dar um passo adiante.

6 comentários:

Emmanuel disse...

Esse é o empresariado que integra o grupo "encostados no governo", ou seja, aqueles "capitalistas" brasileiros que vivem às custas de contratos com o governo e, se não andarem na linha, entram na lenha e apanham feito cachorros .... vide, indústria da mídia subserviente em fase pré falência.
Pois bem ... a esses, não devemos nada! Pelo contrário, já se aproveitaram de todo o tipo de linha de crédito disfarçado que governo lhe DEU ... de sorte que, nada têm a reclamar.
É hora de acabar com essas capitanias hereditárias e colocar o Brasil no mundo civilizado: mudança não ocorre "de baixo para cima" e nem "de cima para baixo"; mudanças começam em quem trabalha e produz ... ou seja, "do meio para as extremidades", da classe média para as demais.

Anônimo disse...

Fiergs puxadinho do pt. Vergonha essa entidade que está envolvida na zelotes, e defende os petebas. Calem a boca, agora querem chover no molhado.

Anônimo disse...

Políbio,

A saída é simples, porém dolorosa:

- Parem de esperar pelo governo!!!

JulioK

Justiniano disse...


Se ferraram aderindo ao lulopetismo, hoje estão chorando as pitangas.

Secaram as fontes de crédito, diga-se BNDES, e mantém métodos arcaicos de produção.

A própria China viu que tem sempre estar modernizando o sistema de produção e participa maciçamente nas feiras industriais do mundo.

A Alemanha hoje vive de exportar máquinas industriais para os chineses, e não mandou suas fábricas para China, e hoje exporta mais 300 bilhões de euros anualmente.

A China está partindo para alta tecnologia de ponta, porque sabe que vender carros e celulares todo mundo faz. Hoje investe pesadamente em nanotecnologia, tanto que hoje os maiores centro nesta área está cheio de chineses fazendo PhD.

Anônimo disse...

Fiergs, Fiesp, Firjan e outras, de cada estado, expoentes do custo Brasil.

Anônimo disse...

FIERGS: foram dormir com a cachorrada e acordaram com pulgas! Agora não adianta se coçar. Como disse Martaxa, ícone da petralhada, que os "empresários" da FIERGS r"relaxem e gozem". Dói menos...