O dólar some e dispara na Argentina e na Venezuela. Veja esta reportagem do Jornal Nacional de ontem.

Peso argentino
US$ 1 = 8 pesos (13 no paralelo)
Venezuela
US$ 1 = 6,30 bolívares (80 no paralelo)
- A Venezuela possui três cotações oficiais, fora o paralelo.

Nesta reportagem primorosa do Jornal Nacional de quinta-feira a noite, a reportagem da Globo fornecem um cenário atualíssimo, de hoje, sobre as economias da Argentina e da Venezuela - dois parceiros comerciais importantes do Brasil - num momento em que estão enfrentando um momento em que os dólares estão indo embora, depois de intervenções dos governos no mercado de câmbio. Só neste mês de janeiro, a desvalorização do peso argentino chega a 22% - a maior desde 2002. Cotações em disparada. Na Argentina, o dólar terminou o dia valendo 8 pesos, uma alta de 12%. No paralelo, a moeda americana chegou a 13 pesos. Assim como a Argentina, a Venezuela está com inflação alta. O governo gasta mais do que arrecada e as reservas do país em dólares não param de cair. Até o remédio adotado pelo presidente venezuelano é parecido com o da presidente argentina. A única diferença é que a desvalorização da moeda venezuelana é feita por setores. O país tem três cotações: uma oficial, para produtos essenciais, como alimentos: 6,30 bolívares. Outra, maior, também oficial, para os não essenciais: 11,30 bolívares. O último a pagar o pato foi o setor aéreo, que incluído nesta cotação, teve um prejuízo bilionário. E, ainda tem o paralelo, que está perto de 80 bolívares por dólar.

. Uma preocupação muito grande para o governo e empresários brasileiros é com o intercâmbio comercial. A Argentina e a Venezuela são os países que mais compram produtos do Brasil no continente. Com a crise lá nos vizinhos, a previsão dos economistas para o Mercosul não é nada animadora.

“O Brasil vai ter dois pesos pesados do Mercosul em grave crise econômica e institucional. Isso traz para o Mercosul uma contaminação em termos de imagem e de relação externa com outros blocos, que vão olhar com preocupação e desprezo e talvez até sem relevância para o Mercosul”, contou Roberto Giannetti aos repórteres da Globo.

. O editor recomenda vivamente o exame de todo o material, completo, inclusive com imagens e entrevistas de ontem.

CLIQUE AQUI para ver.

15 comentários:

Anônimo disse...

"Olhar sem relevancia para o Mercosul"?! Que asneira e essa, nenhum bloco minimamente inteligente da um vintem pelo tal do "Merdasul" que como economico nunca existiu. Sao uns paisecos que nao respeitam acordo algum de livre comercio e se canibalizam a todo o momento! Nao vai haver perda alguma pois esse Merdasul nunca significou nada!!!

Anônimo disse...

Esses governos incompetentes já tem quem culpar pela sua derrocada: as economias do norte. Logo chegará a vez do Brasil encontrar culpados. As zelites são grandes candidatas.

FAÇANHA"Integralista" disse...

Populismo é bom como estratégia, mas quando impregna totalmente a cabeça desneuronizada de governantes inconsequentes, transformado em um fim em si mesmo, aí temos um desastre sem tamanho.

Anônimo disse...

Venezuela,Argentina e Brasil respectivamente estão quebrados.Está chegando o tempo da distribuição da miséria.

Anônimo disse...

Políbio,

O governo uruguaio esta preocupado, pois as exportações, para a Argentina, estão travadas.
No Turismo, Punta del Este já sente o tranco.

Na Espanha, empresários com investimentos na Argentina já estão com as barbas de molho.

Há cheiro de novo "curralito"!!

JulioK

Anônimo disse...

Políbio,

O governo uruguaio esta preocupado, pois as exportações, para a Argentina, estão travadas.
No Turismo, Punta del Este já sente o tranco.

Na Espanha, empresários com investimentos na Argentina já estão com as barbas de molho.

Há cheiro de novo "curralito"!!

JulioK

Justiniano disse...

A cumpanhera Dilma, vai abater as dívidas do cumpanheros bolivarianos e ainda vai fazer um "empréstimo" sem retorno.

Essa é incompetência do socialismo bolivariano!!! Vão quebrar tudo por culpa dos americanos (eles e esse dólar sempre ferrando os bolivarianos).

O pior é que acreditam que outro mundo é possível, certamente sem o dólar (somente no Forum Social em que há uma moeda - a merreca!!!)

Anônimo disse...

Esse é o futuro breve do Brasil se as forças produtivas e quem realmente trabalha não der um "chute na bunda" desses comunistas de m..., vagabundos, parasitas e incompetentes nas próximas eleições!

Anônimo disse...

Eta "Merdosul"
Brasil
Uruguay
Argentina
Paraguay
"Venezuela"
"Bolivia"
Tudo pra lata do LIXO

Anônimo disse...

Calma gentem a economia da Argentina perde até para o Estado de SP. O BR tem reservas suficientes para resistir a crise mundial, até pq se for esperar pela iniciativa privada, estamos ferrados. Alias, quando vão priviatizar a iniciativa privada?

Já a Venezuela é um caso a parte, os empresários estão boicotando o governo, mas esquecem que o pais é um dos maiores produtores de petroleo do mundo, ou seja, compensa o boicote dos empresários, ou seja, bom para o Brasil que pode exportar mais para a Venezuela.

Justiniano disse...

BOMBA NO MERCOSUL:
Paraguai descola do Brasil e tem 3º maior crescimento do mundo em 2013

Num ano definido pelos especialistas como "atípico" para o Paraguai, em 2013, a economia do país se "descolou" da brasileira, à qual tradicionalmente é ligada, e registrou um crescimento muito maior do que o do Brasil.

Segundo relatório do Banco Mundial, o Paraguai teve, no ano passado, o terceiro maior crescimento econômico do mundo: 14,1%. O Brasil, no mesmo período, cresceu 2,2%.

A disparidade chama a atenção, já que o Brasil tem participação estimada entre 19% e 30% no PIB paraguaio, de cerca de US$ 30 bilhões. Gráficos das economias dos dois países mostram que elas costumam ter oscilações semelhantes.

Segundo apurou a BBC Brasil, o "descolamento" está ligado a uma série de fatores, entre os quais a recuperação da economia paraguaia, após um ano de dificuldades, a maior diversificação de suas exportações (tentando diminuir sua dependência do Brasil) e uma maior abertura econômica, que inclui uma legislação tributária definida como "simples" em relação a outros países --incluindo o Brasil.

Mudança de perfil
Com 7 milhões de habitantes, cuja maioria é jovem e fala guarani, além do espanhol e muitas vezes o português, o Paraguai é o sétimo maior exportador de carne e o quarto maior exportador de soja do planeta.

Em 2012, o país teve problemas ao enfrentar a seca, que afetou a produção de soja, e também a febre aftosa. No ano passado, porém, com a recuperação da produção do país, o desempenho foi bem melhor.

"O Paraguai tem uma economia infinitamente menor que a brasileira, e, por isso, os efeitos das commodities são maiores nos seus resultados", disse um negociador brasileiro que acompanha a economia vizinha.

Mas, além disso, 2013 registrou também uma maior diversificação das exportações do país, que está dando um novo perfil ao vizinho brasileiro.

"Já são exportados produtos com valor agregado, como azeites, para diferentes mercados", afirmou o economista paraguaio Fernando Masi, do Centro de Análise e Difusão da Energia Paraguaia (Cadep). "Falta muito, mas já temos hoje sinais evidentes de um novo perfil econômico."

Além disso, o Paraguai tem conseguido exportar para países que, até alguns anos atrás, não tinham tanto destaque na balança comercial.

"Mesmo integrado ao Mercosul, o Paraguai fez a sua parte buscando outros mercados e hoje enviamos soja, carne e produtos industrializados, como plásticos, para a Rússia, o Oriente Médio e a Ásia", disse o ministro da Fazenda paraguaio, Germán Rojas, falando em português.
FONTE: BBC Brasil

Anônimo disse...

A corte sugadora dos recursos decorrentes da produção está aqui representada pelo Anonimo das 00:51.

"quando vão privatizar a iniciativa privada?"

Respondo: QUANDO nos deixarem trabalhar e de extorquir dinheiro, através de "impostos", obtido do nosso suor.
Lembre-se, nós, os plebeu, ainda podemos cruzar as mãos e fazer para o Brasil, na nossa atividade estatizada.



Anônimo disse...

Tá, muito bom anonimo das 14:35. Agora, será que, causada a dor de cotovelos dos bolivarianos, veremos novamente uma nova invasão no Uruguai pela velha Aliança?

Anônimo disse...

Esse Governo deve ter feito um acordo com os países Bolivarianos,todos quebrarão juntos.Isso acontecia na empresa em que eu trabalhava,vc não tinha uma bobima de papel para trabalhar pedia para outra unidade e todas se ajudavam até que as bobinas acabassem ou a empresa conseguia repor a tempo.Na Venezuela uma bobina/papel higiênico já está faltando e eles continuam a fazerem cacas uma atrás da outra.

Anônimo disse...

Perguntinha ao elemento das 14:35: Qual a população do Paraguai? 6.439,917 (menos que o RS); Qual o PIB do Paraguai: 16 bilhões de Dólares, menor que o do RS em 2012 que foi 296,34 bilhões de reais (em torno de 125 bilhões de dólares). Ou seja, não dá nem para comparar com o Brasil.