Dilma sancionou a lei que garante pílula do dia seguinte para mulheres estupradas. Religiosos protestam.

A presidente Dilma Rousseff vai sancionou nesta quinta-feira um projeto de lei que, neste momento de fortes debates, deve gerar ainda mais polêmica. Depois de dez anos de tramitação no Congresso, o PLC 3/2013 foi aprovado sem alarde pelos parlamentares em 12 de julho. Ele estabelece a obrigatoriedade de atendimento "emergencial, integral e multidisciplinar" às vítimas de violência sexual. Esse atendimento inclui a administração, se indicada, da chamada pílula do dia seguinte, que induz ao aborto. A presidente irá anunciar hoje sua sanção a esse projeto de lei, avançando ao encontro da chamada agenda progressista dos movimentos de mulheres. A autoria do projeto original é da deputada Iara Bernardi (PT-SP).

. Antes mesmo da assinatura presidencial, representantes de grupos católicos, pentecostais e espíritas se reuniram com a ministra chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, para pressionar o governo pelo veto parcial ao projeto de lei, justamente no ponto em que permite a possibilidade de acesso à pílula do dia seguinte na rede do SUS.

12 comentários:

Anônimo disse...

Não só permite acesso à pilula do dia seguinte. Dá margem ao aborto legalizado, a depender tão-somente de algum Juiz de Direito que interprete a lei elástica que fizeram. Leia o que padre Lodi (que é advogado) escreveu sobre isso.

Anônimo disse...

Liberdade religiosa tudo bem, agora os praticantes quererem se meter na vida de todos aí é demais. Vai ser obrigatório a mulher estuprada tomar a pílula? Não, então se alguma mulher for estuprada, engravidar e quiser ter o filho assim mesmo, então não precisa tomar a tal pílula. Mas que se dê outra opção para as demais vítimas, simples assim.

Gil Rikardo disse...

Aos tais religiosos que são contra, sugiro-lhes que então criem tais crianças. Não sou mulher, mas sou capaz de imaginar a situação caótica e desesperadora de ser estuprada e de presente uma gravidez... como não sensibilizar-se com tal condição. Envolver todas as pessoas da nação sob a vigilância de seus dogmas e crenças também é um absurdo além do tempo das cavernas. Respeito é bom e tudo mundo gosta. Comecemos então por respeitar a liberdade individual de crer ou descrer. É simples assim, talvez por isso pareça tão difícil.

Anônimo disse...

Imagina, é um menino...e é a cara do papai estuprador...

Anônimo disse...

Caro Gil Rikardo, tem mais um fator relevante que ninguém fala, o DNA, essa futura criança poderá trazer em seu dna o mesmo desequilíbrio psico do pai e que problema para a família.


Eduardo Menezes

Anônimo disse...

Eu fico nervoso quando começa essa história de a Igreja é contra isso , a Igreja é contra aquilo.
Sou católico, defendo a Igreja,e não gosto de vê-la demonizada.
A Igreja prega de acordo com seus dogmas.
Segue seus preceitos quem quer.
A Igreja não tem todo esse poder sobre o Estado, portanto, que tome a pílula do dia seguinte quem precisar dela.

Anônimo disse...

Essa pílula do dia seguinte já vem sendo usada, e muito, pelas mulheres.
A pílula do dia seguinte NÃO É ABORTIVA.
Ela funciona impedindo que o óvulo seja fertilizado. Não precisa de receita.
A pílula que provoca aborto é uma droga completamente diferente,e não tem nada a ver com a pílula do dia seguinte.
É a RU-486, ou MIFEPRISTONA e essa sim age sobre o óvulo já fecundado provocando um aborto químico.

Anônimo disse...

PILULA pra DILMA abortar o Lula!

Anônimo disse...

finalmente um projeto decente vido da petralhada

Unknown disse...

Alguem deveria explicar para os tais religiosos que ninguem e obrigado a utilizar a pilula apos estupro. Assim como ninguem e obrigado a casar com uma pessoa do mesmo sexo apenas porque a lei ja permite. Eu penso que o medo desta turma e "acordar" um dia e pensar: porque nao experimentei antes ne?

Anônimo disse...

RESPOSTA AO esquerdopata, às 16:17,extensivo aos demais indigentes morais e espirituais que defendem o ABORTO, o mais vil, ignóbil, covarde e abominável dos crimes praticados contra um ser humano inocente e totalmente indefeso:

A santa Madre Igreja SEMPRE defendeu a sacralidade da vida!

Quantos dos que hoje atacam a santa Madre Igreja e os seus Valores e Princípios da cristandade, por exemplo, não são descendentes de pais e mães irresponsáveis, ou seja, quantos destes INGRATOS anticatólicos não são descendentes de enjeitados que a santa Madre Igreja abrigou, cuidou, protegeu, amparou etc?

Boa reflexão aos anticatólicos que atacam a santa e milenar Igreja católica Apostólica Romana - Igreja, esta, fundada por Jesus Cristo, mas que, por defender Valores e Princípios cristãos, os quais possibilitaram que vocês não tivessem o mesmo trágico e infame destino dos bebês abortados no ventre das suas "mães", é atacada pelos que se beneficiaram dela, seja diretamente, seja indiretamente...

(Continua...)

Almirante Kirk

Alessandra Correia disse...

Tipo assim.... A pílula do dia seguinte nao e um método abortivo ela er um método contraceptivo .ela apenas impede o óvulo ser fecundado pelo espermatozóides. E me colocando no lugar de uma pessoa que foi estrupadas e está grávida ..imagina como deve ser horrível saber que vai ter um bebe do homem que a retrucou...e toda vez que alguém pergunta quem e o pai...ela terá que responder...ah foi fruto de um estupro...e ....ja er traumática ser estrupadas e imagine ter um filho do psicopata....