Balanço do estado aponta queda de 22,7% na taxa de homicídios


Os primeiros seis meses deste ano consolidaram a curva descendente da criminalidade no Rio Grande do Sul. Após nove anos, foram registrados menos de mil homicídios. A segunda metade de 2019 se iniciou com o aprofundamento na redução de crimes.

Monitoramento da Secretaria da Segurança Pública (SSP) demonstra que, em julho, o número de vítimas de homicídios caiu de 171, ano passado, para 139 (representando -18,7%). No acumulado desde janeiro, o resultado é mais expressivo: embora tenha havido 1.109 assassinatos, 326 vidas foram salvas em relação às 1.435 perdidas no mesmo período de 2018.

CLIQUE AQUI e veja todos os números, incluindo gráficos comparativos.

8 comentários:

Anônimo disse...

Quando os advogados podiam esclarecer as pessoas sobre seus direitos, a OAB chamou isso de COOPTAÇÃO e proibiu. A partir daí, muita gente perdeu oportunidades, sem saber, de receber os seus direitos dos planos econômicos. Esse negócio de proibir a cooptação de clientes é contra a liberdade econômica e contra a iniciativa privada. Tem que acabar com isso!

Anônimo disse...

Ihhhh.... A véia virou casaca.
É tanta mentira saindo dessa boquinha, assim a concorrência vai ser desleal com teu excelentíssimo.

Anônimo disse...

Gostaria de saber onde está o Olavo. Será que está dando o brioco?

Anônimo disse...

Mais um pouco fica negativo

José Corrêa disse...

A eskerdalha pira!!!

Anônimo disse...

A mídia nacional e a gaúcha não falam nisso. Só de noticiascruins sobre o Estado.

Anônimo disse...

Onde cara pálida? O Crime está firme e forte e é o investimento que mais cresce no estado. Deve ser dados da Cidade Viva, só pode.
Ou então já estamos vendo uma relação direta das pessoas saindo do estado com a diminuição de homicidios, só pode ser.

Unknown disse...

Esse é o efeito Bolsonaro e Moro, tratando bandido como bandido e tirando o poder dos lideres das organizações criminosas. Único lider de quadrilha que ainda tem poder e o Lula Corrupto Lavador de Dinheiro da Silva, que manda na porcaria de STF e em parte do congresso.