Diesel aumenta R$ 0,10 por litro


O presidente da Petrobras, Roberto Castello Branco, anunciou nesta quarta-feira (17), uma alta de R$ 0,10 por litro do óleo diesel. Com a alta, o litro do diesel passa a custar R$ 2,2470 nas distribuidoras a partir desta quinta-feira. O anúncio vem seis dias depois da estatal voltar atrás no último aumento, por determinação do presidente Jair Bolsonaro.

O novo preço, segundo o executivo, representa uma variação mínima de 4,5% e máxima 5,1% nos pontos de venda da companhia. A variação média ficou em 4,84%. Castello Branco reforçou que o esse reajuste será aplicado nas refinarias, e que espera que ele não seja repassado na integralidade ao consumidor final.

O valor anunciado nesta quarta ficou R$ 0,0192 abaixo do que havia sido determinado na ocasião, e do qual a estatal desistiu.

8 comentários:

Anônimo disse...

Bolsonaro ABRIU AS PERNAS para a FUP/PT e Elite Rentista da Bolsa de Valores, em detrimento do POBRE POVO BRASILEIRO!! Traidor sem vergonha!!!

Anônimo disse...

BOLSONARO TRAI CAMINHONEIROS E PETROBRÁS AUMENTA O DIESEL ENTRE 4,5% E 5,1%:

A Petrobrás anunciou na noite desta quarta-feira (17) um reajuste de R$ 0,10 no litro do diesel; segundo o presidente da Petrobrás, Roberto Castello Branco, reajuste varia entre 4,5% e 5,1% no valor do combustível nas bombas, a depender do ponto de venda; medida foi anunciada um dia depois que Jair Bolsonaro foi enquadrado pelo ministro Paulo Guedes por ter suspendido o anúncio anterior de reajuste; os caminhoneiros já avisaram que poderão deflagrar greve nacional e parar o País se o preço do diesel subisse; governo paga para ver...

18/04/2019 - Brasil 247

Anônimo disse...

BOLSONARO E O DIESEL: O BARULHO FOI PIOR QUE O SILÊNCIO:

"Faça um exercício de alteridade e ponha-se no lugar dos caminhoneiros que, durante o fim de semana, achavam que tinham o ex-capitão como protetor. Devem estar felizes, não é? Afinal, foi quem prometeu, durante a campanha, acabar com os reajustes cavalares da era Temer", avalia o jornalista Fernando Brito, do Tijolaço, sobre o reajuste entre 4,6% e 5% no preço do diesel

17 DE ABRIL DE 2019 - Brasil 247

Anônimo disse...

Após alta do diesel, caminhoneiros ameaçam greve em 10 dias:

17 abril, 2019 - DCM

Da Veja:

Grupo de caminhoneiros critica o aumento de dez centavos de real no valor do diesel anunciado nesta quarta feira, 17, pela Petrobras. Há ameaças de paralisação em todo o país em um prazo de, no máximo, dez dias.

“Esse governo está louco”, afirma o caminhoneiro Wanderlei Alves, conhecido como Dedéco, que foi considerado um dos líderes da greve de 2018. Segundo ele, dez centavos não é pouco para a categoria. Ele exemplifica dizendo que gasta 9.000 reais em combustível por mês e, com o aumento de dez centavos, o custo subirá em 900 reais.

“Eu deixei as minhas intenções bem claras para o governo federal. A paralisação estava marcada para o dia 21 de maio, mas, se houvesse aumento no preço do combustível, íamos parar tudo antes”, afirma Dedéco. Ele acrescenta que, se fosse por ele, a paralisação começaria já na segunda-feira, 22, mas, como o grupo precisa decidir em conjunto, o prazo não passaria de dez dias.

A solução defendida pelo caminhoneiro para o problema seria estagnar o preço do diesel até que haja um piso mínimo para o frete. “O preço do combustível sobe e o frete não. A conta não fecha.”

Ele ainda afirma que a liderança dos caminhoneiros que está em contato com o ministro da Casa Civil, Onyx Lorenzoni, não representa a classe. “Muitos deles nem têm caminhão. Eles não sabem o que é viver como a gente.”
(…)

Anônimo disse...

Bolsonaro e o diesel: o barulho foi pior que o silêncio:

FERNANDO BRITO · 17/04/2019 - O Tijolaço

A Petrobras acaba de anunciar um aumento no preço do diesel nas refinarias: entre 4,6% e 5%, dependendo do ponto de entrega.

É quase o mesmo reajuste que, por telefone, Jair Bolsonaro “vetou” na quinta feira, que elevava os preços em 5,7%.

Em dinheiro, apenas um centavo e meio a menos do que seria.

A intervenção, recorde-se, abalou os mercados financeiros e deu, pela perda de valor das ações da empresa, um prejuízo imenso a seus acionistas – o governo, o maior deles.

Como nos versos de Ascenso Ferreira: Riscando os cavalos!/Tinindo as esporas!/Través das coxilhas!/Sai de meus pagos em louca arrancada!/— Para quê?/— Pra nada!.

Agora, faça um exercício de alteridade e ponha-se no lugar dos caminhoneiros que, durante o fim de semana, achavam que tinham o ex-capitão como protetor.

Devem estar felizes, não é?

Afinal, foi quem prometeu, durante a campanha, acabar com os reajustes cavalares da era Temer.

O que Bolsonaro fez com o combustível foi jogá-lo na insatisfação de uma categoria que, há anos, vem sendo açulada contra o governo e levada a perder os limites em suas mobilizações de protesto.

O que vem agora é uma loteria. É possível que alguns “trouxas de mercado” ganhem dinheiro com a lenda de que a Petrobras goza de liberdade de fixação de preços.

Até que se detone a crise inevitável, é possível.

Anônimo disse...

E os acionistas ficam faceiros, os trouxas indígenas do Brasil pagam a conta.
Será que desejar um diesel com o mesmo preço dos americanos e desejar muito.

Vilson Da Silva disse...

Tem gente que se ''informa'' por sites como o lixo do Brasil247 e acha que pode criticar alguém!

Anônimo disse...

Tá insuportável esse blog.
Ala de comentários infestada de copia e cola de sites esquerdistas.

Políbio, como sempre, desdenha dos seus leitores, permitindo essa merda de MAV colando esses lixos aqui.

Acorda, Políbio, para de ser desleixado.