Senado recua e adia para semana que vem votação da PEC do Orçamento Impositivo

O Senado transferiu para a semana que vem a votação da PEC do Orçamento Impositivo.

Trata-se de uma pauta-bomba intragável.

19 comentários:

Adilio Faustini disse...

Rodrigo Maia não tinha tempo para votar o pacote ante crimes de Sergio Moro, mas para aprovar essa pEC, que nem estava em pauta,em 2 turnos não levou duas horas.Esse cidadão merece crefibilidade?

Anônimo disse...

Vamos ver que são os Senadores que querem botar a mão na grana para depois trocar votos ´por dentaduras

Anônimo disse...

Não da para confiar no Alcolumbre .
Sera hj ou amanhã na CALADA DA NOITE. E vão votar tb aquelas 10 medidas anti.corrupcao desfigurada. Lembram?? Anotem.

Anônimo disse...

Por que esses caras não votam com a mesma rapidez as pautas de interesse da maioria do povo brasileiro? Esses safados só são rápidos com aquilo que lhes interessa. Bando de traidores do povo.

Emmanuel disse...

Eles que se folguem...o povo está pelos tampos com esses bandidos.

Anônimo disse...



O Kim do MBL esta dizendo que não é bem assim. O pessoal da imprensa desconhece a matéria.

Antagonista disse...

O Editor esta como Bolsonaro pois em 2015 era a favor do orçamento impositivo.Pelo menos Bolsonaro pede desculpas e diz que errou quando meda de opinião já o editor fica na "moita".

Anônimo disse...

Ministério Público recomenda a militares que se abstenham de comemorar 1964:

Brasil 27.03.19 - O Antagonista

O Ministério Público Federal no Distrito Federal divulgou há pouco recomendação às Forças Armadas para que se abstenham de promover qualquer manifestação pública em homenagem ao período de exceção instalado a partir de 31 de março de 1964.

Assinado em conjunto com a Procuradoria Federal dos Direitos do Cidadão, o texto é direcionado aos comandantes das Forças Armadas, ao comandante-geral do Corpo de Bombeiros, ao chefe de Estado-Maior conjunto das Forças Armadas e ao comandante-geral da Polícia Militar do DF.

Anônimo disse...

Precificando Guedes:

Brasil 27.03.19 - O Antagonista

O mercado agora está precificando o desempenho de Paulo Guedes, que ‘vendeu’ um Jair Bolsonaro diferente do que está no Palácio do Planalto.

O ministro tem sido cobrado o dia inteiro por interlocutores do mercado.

Anônimo disse...

Governo tem que fazer política com P maiúsculo, afirma Armínio:

Economia 27.03.19 - O Antagonista

Em São Paulo para um seminário sobre política fiscal, Armínio Fraga, ex-presidente do BC, comentou o embate entre governo e Congresso em torno da reforma da Previdência, registra a Folha.

“Eu não sou especialista em política, mas, olhando de fora, o clima está difícil”, afirmou Armínio, ressaltando que a política funciona a partir de negociações e isso não tem nada a ver com corrupção ou favores, “modelo rejeitado por todos nós”.

Anônimo disse...

Agenda de Mourão nos EUA incomoda aliados de Bolsonaro:

Brasil 27.03.19 - O Antagonista

O roteiro de compromissos que Hamilton Mourão traçou para sua visita aos EUA na próxima semana incomodou aliados de Jair Bolsonaro, relata a Folha.

A agenda do vice prevê, além de uma reunião com seu colega americano, Mike Pence, encontros com imigrantes brasileiros em Boston e com Roberto Mangabeira Unger –acadêmico que assessorou Ciro Gomes e já fez diversas críticas a Bolsonaro.

Anônimo disse...

Creio que Bolsonaro concorda com o orçamento impositivo.
Posso estar enganado mas PSL, ou parte dele, votou a favor.

Anônimo disse...

Major Olímpio reclama da falta de orientação do governo sobre orçamento impositivo:

Brasil 27.03.19 - O Antagonista

O líder do PSL no Senado, Major Olímpio (SP), pediu a Paulo Guedes orientação sobre os impactos da PEC aprovada ontem na Câmara que obriga o governo a executar as emendas parlamentares de bancada.

“Nunca tivemos uma reunião, uma nota técnica. A gente carece dessas informações aqui. Por favor, nos alimente de informações. Estamos junto na guerra. Agora, sem a logística, sem a munição, não sabemos fazer a sustentação”, disse.

Anônimo disse...

Bebianno articula com Rodrigo Maia debandada do PSL:

Brasil 27.03.19 15:51 - O Antagonista

Gustavo Bebianno articula nos bastidores um movimento de debandada de integrantes do PSL que estão, como ele, descontentes com o partido e com Jair Bolsonaro.

Os destinos negociados são o DEM de Rodrigo Maia –com quem o ex-ministro já se reuniu– e o PSDB.

Anônimo disse...

Lobão: 1964 foi uma “cagada”

TV 27.03.19 - O Antagonista

O cantor Lobão diz, em vídeo no Youtube, que 1964 foi uma “cagada”.

Assista: (...)

Anônimo disse...

Deixe 1964 e volte para 2019, Bolsonaro:

Brasil 27.03.19 - O Antagonista

Enquanto Jair Bolsonaro está preocupado com a defesa de 1964, em 2019 a articulação política do seu governo é o caos absoluto, como se viu pela aprovação da PEC do Orçamento impositivo, que engessa a atuação da equipe econômica — que, por sua vez, achou a princípio que a PEC era uma boa coisa, por incrível que pareça, para fortalecer a “federalização”/

Deixe 1964 e volte para 2019, Bolsonaro.

Anônimo disse...

“A queda abrupta de Bolsonaro em São Paulo”

Brasil 27.03.19 - O Antagonista

“A provável entrada de Fábio Wajngarten na Secom tem como objetivo principal conter algo que os apoiadores do presidente negam em público, mas já detectaram em pesquisas: a queda abrupta de sua aprovação nos grandes centros urbanos, sobretudo em São Paulo”, diz o Estadão.

“A ideia é que Wajngarten, que atuou na campanha construindo pontes com grupos de comunicação, amplie essa aproximação.”

Anônimo disse...

A PEC anti-Bolsonaro:

Brasil 27.03.19 - O Antagonista

A PEC que limita o poder de gasto do governo nasceu para sabotar Dilma Rousseff.

De fato, Jair Bolsonaro e Eduardo Bolsonaro, em 2015, votaram a seu favor, juntamente com a tropa de choque de Eduardo Cunha.

Anônimo disse...

Prova de que são capazes de formar maioria absoluta e que são de fat mercenário que só atuam em causa própria.