TRF4 diz que reitor da UFSC não ofendeu a delegada federal Erika Marena


Depois que a delegada mandou prender o então reitor, que em seguida foi solto por ordem judicial, Cancelllier se matou.

A 3ª Turma Recursal dos Juizados Especiais Federais de Santa Catarina, em sessão realizada hoje, decidiu, por unanimidade, manter a sentença da 1ª Vara Federal de Florianópolis, que havia rejeitado a denúncia do Ministério Público Federal contra o reitor da UFSC, Ubaldo Cesar Balthazar, e o chefe de gabinete da Reitoria, Áureo Mafra de Moraes, por suposta injúria contra delegada da Polícia Federal.

Reitor e chefe de gabinete da Reitoria produziram pesadas críticas contra a delegada federl Erika Marena, responsável pelo inquérito que resultou no suicídio do então reitor Luiz Carlos Cancellier.

CLIQUE AQUI para saber como foi o julgamento no primeiro grau, conduzido pela juíza federal gaúcha Siomone Barbisan Fortes, que em Santa Maria conduziu a primeira fase do julgamento dos réus da Operação Rodin.

6 comentários:

Anônimo disse...

O Editor pode nos esclarecer quantos foram indiciados e condenados pela operação?

Qual o valor dos desvios após as investigações da PF e do MPF?

O que aconteceu com o adversário do Reitor morto, que o denunciou?

Por que a delegada e o MPF fizeram uma operação hollywodiana em vez de agirem discretamente?

Anônimo disse...

E o pior é que agora ganhou uma boquinha do Moro essa delegada sem noção que causou o suicídio do reitor após submetê-lo ao constrangimento sem provas de nada.
Eu não imaginava nada diferente do imparcial ex-juiz politico-midiático...

Anônimo disse...

Meeeeeeee PTISTA ISENTÃO detected

Anônimo disse...

Oportunistas agora querem zoar, mas a lama não tardará a aparecer.

Anônimo disse...

Sinto pelo Reitor, mas a vivência q o levou ao suicidio, agravou um quadro pre existente.

Anônimo disse...

Moro.vai fazer um grande trabalho pela justiça do Brasil a frente do ministério