Juízes do TRF4 repelem agravo de Aldemir Bendine, ex-presidente do BB e da Petrobrás no governo Dilma

O Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) decidiu nesta quarta-feira não permitir que Aldemir Bendine, ex-presidente da Petrobras e do Banco do Brasil, apresente suas alegações após os depoimentos dos colaboradores na ação, em julgamento de agravo impetrado pela defesa. 

Bendine, homem forte de Dilma Roussef (foto ao lado) e do PT, responde por suspeita de receber cerca de R$ 3 milhões propina da Odebrecht. O ex-presidente das estatais está preso desde julho de 2017, quando foi alvo da 42ª fase da Operação Lava Jato.

O relator dos processos na 8ª Turma do TRF-4, desembargador João Pedro Gebran Neto, indeferiu a decisão. Os demais magistrados acompanharam o voto.

Entre os colaboradores convocados a falar no processo, estão o ex-presidente da Odebrecht Marcelo Odebrecht e outro réu na ação, André Gustavo Vieira da Silva. O advogado de Bendine, Alberto Toron, explica que é importante que o réu fale depois dos colaboradores, para conhecer o teor de seus depoimentos.

CLIQUE AQUI para saber como funcionava o esquema de corrupção do representante do PT no BB e na Petrobrás.

3 comentários:

Unknown disse...

Repelem fica melhor ....

Anônimo disse...

Plínio, por favor, vc poderia fazer um artigo nos informando como vai o processo contra Lula e outros nas mãos do doutor valisney? É aquele referente a compra dos caças suecos. Obrigado.

Anônimo disse...

MARAVILHA, POLICIA NA COLA DOS GATUNO