As carpideiras usam o velório do reitor para defender Lula e o PT.

23 comentários:

Anônimo disse...

Uma vida perdida sempre é lamentável. Mas para entender, o Reitor foi preso porque haviam suspeitas de falcatruas ao seu redor, certo? então na minha modesta avaliação, os culpados pela morte do inocente não foram a policia ou a promotoria, que estavam fazendo seu trabalho, os culpados são os membros da quadrilha que estavam roubando na universidade. Acho estranho que ninguem fale isso.

Anônimo disse...

Manda as carpideiras carpir um lote!!

Anônimo disse...

Parabéns caro Políbio, bem dito.

Anônimo disse...

Concordo com o teu comentário, Polibio!
Havia acusação contra o reitor Cancellier, particularmente não acredito que ele tenha desviado um mísero centavo.
A UFSC tem uma petralhada, principalmente nas áreas de Ciências Humanas, que não é pouca coisa e muito bem instalada, graças a "concursos" e outras manobras. A antecessora do reitor Cancellier, Roselane Neckel, é petralha de cruz na testa e assumida publicamente aqui em SC.
Petralha no poder é nojeto, petralha tirado do poder é criatura demoníaca, pois até velório e enterro serve para fazer mimimi e palanque político.
Espero ver o cachaceiro e o mandiocão na cadeia, assim como tu: URGENTEMENTE!
Profª Sonia

Anônimo disse...

Que velho sem vergonha esse Políbio...fdp

Anônimo disse...

A verdade tarda, mas não falta.

Estamos sem um imperativo categórico,

só safado, incompetente, "letrado " na maioria

dos investigados, q provavelmente compraram o diploma.

em todas as áreas.

Anônimo disse...

Deduragem de colegas foi o que mais doeu no reitor da UFSC e o fez desistir:

4 out 2017 - DCM

O bilhete de suicida do reitor

Por Renan Antunes de Oliveira, em Florianópólis (SC)

(...)

Um dirigente histórico dos comunistas foi ao enterro, mas era de uma corrente adversária. Fez questão de dizer que ele abandonou a militância de esquerda e deu uma guinada pro outro lado – segundo vários relatos, Cau nunca escondeu que votou em Aécio, apoiou o impeachment, alinhou com Temer e se dizia fã de Sérgio Moro.

(...)

Cau foi levado de casa por agentes originalmente lotados em São Luiz do Maranhão.

Em nome da PEC da economia, não tinha ninguém mais de perto pra tarefa??? A turma da terra de Sarney foi trazida a Floripa só para a perigosa missão de meter o reitor num uniforme laranja de presidiário?

Ele foi " ALGEMADO NOS PÉS E MÃOS" por agentes
mascarados.

Pior: nu, CAU FOI SUBMETIDO A UMA REVISTA "ANAL".

A conferir se Geddel, Sérgio Cabral ou Eduardo CunhaUma explicação plausível é que o pessoal não ia vir de tão longe para pouco. Como a PF estava proibida de apresentá-lo à imprensa, como muitas vezes faz, descontaram nele com a revista. (...)

Anônimo disse...

GRITO POR JUSTIÇA ENTRE LÁGRIMAS NO FUNERAL DO REITOR: “TEMOS QUE PARAR OS NEOFASCISTAS”
Divulgação UFSC
No enterro do reitor da UFSC Luiz Cancellier, o representante dos alunos Leonardo Moraes, seu orientando, foi aplaudido de pé quando disse: “A tragédia de ontem não foi um acidente. Um desafeto político, uma denúncia deturpada, um processo arbitrário conduzido por uma delegada, possivelmente inconformada por ter sido afastada da Lava Jato, uma decisão inconsequente da juíza da 1a. Vara da Justiça Federal de Florianópolis mudaram, do dia para a noite, a vida do reitor Luiz Carlos Cancellier. Depoimentos que o absolviam foram ignorados, provas foram colhidas sem qualquer contraditório, uma prisão duramente criticada por toda comunidade jurídica catarinense. Uma decisão assinada no conforto de um gabinete, que transformou a história da nossa universidade"
5 DE OUTUBRO DE 2017 ÀS 07:20 // TV 247 NO YOUTUBE Youtube

Anônimo disse...

DELEGADA DA LAVA JATO FOI RESPONSÁVEL POR PRENDER REITOR SEM OUVI-LO

A Operação Ouvidos Moucos, que investiga irregularidades na UFSC e da qual o reitor que se suicidou, Luiz Carlos Cancellier, era alvo, era coordenada na Polícia Federal pela delegada Érika Marena, ex-integrante da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba; ela chegou a Florianópolis no fim de 2016 para comandar a área de combate à corrupção e desvios de recursos públicos; o reitor foi preso no dia 14 de setembro e solto no dia seguinte; na ocasião, a delegada questionou a juíza que determinou a soltura, mesmo sem haver nada contra Cancellier
3 DE OUTUBRO DE 2017 ÀS 08:38 // TV 247 NO YOUTUBE Youtube

Anônimo disse...

IRMÃO DE REITOR QUE SE SUICIDOU DESABAFA: “QUEM MATOU MEU IRMÃO?”
Reprodução | SeTIC-UFSC
Acioli de Olivo, irmão de Luiz Carlos Cancellier de Olivo, citou em uma postagem no Facebook na noite desta segunda-feira 2 "os grandes canalhas" e "os pequenos canalhas" responsáveis pelo suicídio do ex-reitor da UFSC, que estava em tratamento psicológico após uma investigação da Polícia Federal que culminou em sua prisão; segundo ele, "são vários os autores" do suicídio de Cancellier, que denunciou, quatro dias antes de se matar, a "humilhação e o vexame" a que foi submetido em investigação da PF que apurava irregularidades de uma gestão anterior à sua; o reitor foi preso antes de ser ouvido, humilhado dentro e fora da prisão
3 DE OUTUBRO DE 2017 ÀS 09:13 // TV 247 NO YOUTUBE Youtube

Anônimo disse...

PROFESSORES DE DIREITO DA UFSC DIZEM QUE CANCELLIER FOI VÍTIMA DA NOVA INQUISIÇÃO BRASILEIRA
UFSC
Em mais uma manifestação de apoio e lamentação pela morte do reitor da UFSC Luiz Carlos Cancellier, os professores de Direito da instituição afirmam ter perdido "o colega para o punitivismo de um Estado policialesco (e de uma parte da sociedade que adere a esse discurso) que rebaixa todos à condição de criminosos prévios, sem direito à defesa ou contraditório. Que primeiro prende e depois investiga. Que destrói reputações e depois arquiva"
3 DE OUTUBRO DE 2017 ÀS 10:02 // TV 247 NO YOUTUBE Youtube

Anônimo disse...

“A DITADURA DE HOJE NÃO É MILITAR. É JUDICIÁRIA”, DIZ PROFESSOR

Jornalista e professor da Unisul, Universidade do Sul de Santa Catarina, Laudelino José Sardá publica um texto em protesto contra a perseguição ao reitor da UFSC que se suicidou: "Nenhum reitor foi sequer admoestado durante a ditadura e hoje estamos assistindo à prepotência do judiciário, que se acha no direito de governar a Nação pela imposição de julgamentos pessoais ou de grupos de circunstâncias sociais e políticas brasileiras"
3 DE OUTUBRO DE 2017 ÀS 10:40 // TV 247 NO YOUTUBE Youtube

Anônimo disse...

CANCELLIER DEIXA A VIDA E SEU SANGUE PELA UFSC, DIZ VICE-REITORA

"Temos certeza de que a universidade não vai esquecer jamais de quem foi Luiz Carlos Cancellier. Ele deixa a vida, deixa seu sangue pela UFSC e, como tal, nós precisamos eternamente reconhecer. Viva nosso querido Luiz Carlos Cancellier", disse a vice-reitora Alacoque Erdmann; Canecellier se matou após ser preso injustamente numa operação da Polícia Federal
3 DE OUTUBRO DE 2017 ÀS 07:28 // TV 247 NO YOUTUBE Youtube

Anônimo disse...

COMUNIDADE ACADÊMICA EXPRESSA INDIGNAÇÃO CONTRA ABUSOS DA PF
Fotos: Jair Quint/Agecom/UFSC
Professor relata indignação da comunidade acadêmica no velório do reitor da UFSC Luiz Carlos Cancellier e diz que os presentes combinaram de mudar o roteiro do cortejo fúnebre para que ele passe hoje em frente à sede da Polícia Federal em Santa Catarina; "A indignação é grande com o que aconteceu – e o consenso é o de que, além de ter atingido mortalmente nosso reitor, a espetaculosa 'operação ouvidos moucos' também visou atingir a Universidade", diz o professor Henrique Finco; o corpo do reitor foi recebido no final da tarde desta segunda-feira 2 com uma salva de palmas na instituição, onde ele estava proibido de entrar; ele foi velado no hall da reitoria nesta manhã; à tarde, o corpo seguirá para o cemitério, onde ocorrerá mais uma cerimônia ecumênica e a seguir, o sepultamento
3 DE OUTUBRO DE 2017 ÀS 13:20 // TV 247 NO YOUTUBE Youtube

Anônimo disse...

Morte de reitor da UFSC reacende projeto de abuso de autoridade:

3 outubro 2017 - Blog do Esmael

A trágica morte do reitor da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC), Luís Carlos Cancellier de Olivo, além de causar comoção, reacendeu a discussão acerca da punição ao abuso de autoridade.

Antes de se matar, na manhã desta segunda-feira (2), o reitor deixou carta relatando vexame a que foi submetido com a prisão no dia 14 de setembro.

O reitor foi alvo de investigação de irregularidades na UFSC, no âmbito da da Operação Ouvidos Moucos, que era coordenada na Polícia Federal pela delegada Érika Marena, ex-integrante da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba. Cancellier nem foi ouvido, antes de ser preso.

“Por que a Câmara Federal não põe a voto de uma vez o projeto de abuso de autoridades? Põe ordem nas investigações”, protestou o senador Roberto Requião (PMDB-PR), autor do PL 85/2017 aprovado em maio pelo Senado.

A vice-reitora da UFSC Alacoque Erdmann acredita que Canecellier se matou após ser preso injustamente numa operação da Polícia Federal.

“Temos certeza de que a universidade não vai esquecer jamais de quem foi Luís Carlos Cancellier. Ele deixa a vida, deixa seu sangue pela UFSC e, como tal, nós precisamos eternamente reconhecer. Viva nosso querido Luís Carlos Cancellier”, declarou.

Em outro manifesto, professores de Direito da UFSC afirmam que Cancellier foi vítima da nova Inquisição brasileira. Segundo eles, “o colega para o punitivismo de um Estado policialesco (e de uma parte da sociedade que adere a esse discurso) que rebaixa todos à condição de criminosos prévios, sem direito à defesa ou contraditório. Que primeiro prende e depois investiga. Que destrói reputações e depois arquiva”.

A mesma opinião compartilha o ex-ministro da Justiça Eugênio Aragão que, ao Blog do Esmael, lamentou “mais uma vítima do punitivismo” estatal.
Assim, em tempo de lava jato e espetáculos midiáticos, o Estado policialesco vai colecionando seus cadáveres.

“É chegada a hora da sociedade brasileira e da comunidade jurídica debaterem seriamente a forma espetacular e midiática como são realizadas as prisões provisórias no Brasil, antes sequer da ouvida dos envolvidos, que dirá sua defesa”, exigiu a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), seccional de Santa Catarina.

Anônimo disse...

PROCURADOR-GERAL DE SC SE DIZ REVOLTADO E QUE REITOR FOI VÍTIMA DO ABUSO DE AUTORIDADE
ALESC
Em nota, o procurador-geral de Santa Catarina, João dos Passos Martins Neto, lamenta a morte de Luiz Carlos Cancellier de Olivo e diz que "a tragédia de sua partida ocorre sob condições revoltantes"; "As informações disponíveis indicam que Concellier padeceu sob o abuso de autoridade", afirma, defendendo em seguida ser "indispensável a apuração das responsabilidades civis, criminais e administrativas das autoridades policiais e judiciárias envolvidas"
2 DE OUTUBRO DE 2017 ÀS 21:39 // TV 247 NO YOUTUBE Youtube

Anônimo disse...

OAB LAMENTA MORTE DE REITOR E CONDENA ESPETÁCULO MIDIÁTICO DE PRISÕES

A seccional de Santa Catarina da Ordem dos Advogados do Brasil divulgou uma nota, assinada pelo presidente, Paulo Marcondes Brincas, em que lamenta a morte do reitor da UFSC, Luiz Carlos Cancellier de Olivo, ; "É chegada a hora da sociedade brasileira e da comunidade jurídica debaterem seriamente a forma espetacular e midiática como são realizadas as prisões provisórias no Brasil, antes sequer da ouvida dos envolvidos, que dirá sua defesa", diz trecho do texto
2 DE OUTUBRO DE 2017 ÀS 21:52 // TV 247 NO YOUTUBE Youtube

Anônimo disse...

As carpideiras acreditam que os CRIMINOSOS DE COLARINHO BRANCO estão imunes à lei.
A PF deveria atras desta turma.

Anônimo disse...

O maior desrespeito ao falecido é utilizá-lo para uso político-ideológico.

Anônimo disse...

O que vimos nesses comentários postados é que:
Não se sabe de nada, qual a acusação? De que o reitor é suspeito? Alguns pronunciamentos informam que virou rotina este tipo de procedimento. Que todos os presos o foram sem razão aparente. Nenhum crime cometeram. Por isso temos que rever os procedimentos relativos a abusos de autoridades.
Cabe aqui a pergunta: Quem mais foi preso dessa forma, para se dizer que virou rotina? Respondo: Membros da quadrilha petralha que assaltaram os cofres públicos, quebraram a petrobrás, os fundos de pensão, o BNDES e outras instituições e empresas públicas.Alguem tem alguma dúvida sobre a necessidade dessas prisões? Alguém condena a atuação da polícia federal e da justiça? Somente os petralhas. Lembro do tal aragão, ministro da justiça, que ameaçou a policia federal se continuasse a trabalhar dentro da lei. esse cara é um dos manifestantes, deveria estar preso. Estaria em qualquer democracia no mundo. Esquerdalhos, deu pra vocês. Quanto ao reitor, o melhor é tornar público as investigações e mostrar porque ocorreu o que ocorreu.

Anônimo disse...

A militância recebeu a ordem e saiu postando uma infinidade de textos criticando a PF e MP. Como bem disse o Políbio, a intenção é criar um clima de desconfiança das acusações feitas a Lula. Mais claro impossível.

Anônimo disse...

ÊTA REPUBLIQUETA MERDA: MAIS UM VIRANDO SANTO DEPOIS QUE MORRE... HABEMUS SANCTI !!!

Anônimo disse...

4 out 2017 - DCM > Querias o que, que o cara fosse algemado no saco por peitudas mascaradas ?????