Fachin usa a Intrernet para dizer que não é radical

O professor de direito Luiz Edson Fachin, indicado pela presidente Dilma Rousseff a uma vaga de ministro no STF (Supremo Tribunal Federal), recorreu às redes sociais para se apresentar como defensor da propriedade privada e do casamento, além de negar irregularidade no exercício de advocacia, entre 1990 e 1999, época em que ocupava o cargo de procurador do Estado do Paraná.


"Não tenho nenhuma posição radical em nenhuma dessas áreas", disse o professor em uma série de quatro vídeos disponibilizadas em uma página do Facebook intitulada "Movimento FachinSim", em oposição a uma onda de citações de "FachinNão" na internet.

CLIQUE AQUI para conhecer a página e examinar os videos.

7 comentários:

Anônimo disse...

Caro Sr Fachin,

Quem tem conduta ilibda não precisa dar explicação de coisíssima nenhuma.

Portanto o senhor já é considerado DESCARTÁVEL.

Gilson Galera disse...

Ninguém qualifica suas próprias convicções como "radicais". Poupe-nos.

Anônimo disse...

NÃO PRECISA FAZER NADA, VAI GANHAR, VÃO FAZER MEIO APERTADO POR QUER.

Anônimo disse...

Tal qual PTISTAS, quer enrolar para depois MENTIR!

Anônimo disse...

Alguém já viu UM ÚNICO COMUNISTA NÃO MENTIR? O Fachim, um comunista convicto, não seria o primeiro a quebrar esta regra básica do comunismo.

Anônimo disse...

BATEU O DESESPERO NO JURISTA PETISTA-BOLIVARIANO!! SE DEUS QUISER, NO VOTO EM PLENÁRIO - QUE SERÁ SECRETO -, OS SENADORES IRÃO REJEITAR O NOME DESSE SUJEITO!!

Anônimo disse...

dono de site pró-Fachin no STF foi chefe de marqueteiros digitais na campanha de Dilma. https://br.noticias.yahoo.com/blogs/claudio-tognolli/exclusivo--dono-de-site-pr%C3%B3-fachin-no-stf-foi-chefe-de-marqueteiros-digitais-na-campanha-de-dilma-163553936.html#more-id

Designer na Pepper Interativa com a função de liderar a equipe de criação digital para redes sociais do PT/Dilma e da Agência PT de notícias