Crise faz Caxias colocar 70% dos metalúrgicos em férias coletivas forçadas

A partir da semana que vem pelo menos 35 mil dos 49 mil trabalhadores do setor metal-mecânico de Caxias do sul entrarão em férias coletivas forçadas. O setor faturou 18,5% menos este ano. No segmento automotivo a queda foi ainda maior, 22%.

. A crise do setor não é local, mas nacional, sobretudo na área de veículos.

. Desde o início do ano as indústrias tentam manter o emprego, mas as perspectivas de retomada da economia no curto prazo são praticamente nulas.

6 comentários:

Anônimo disse...

Graças às competentes, econômicas , honestas e corretas medidas tomadas pelo governo dos ricos da turma do DASLUla nosso país só tem uma leve marolulinha que quebrou a Petrobrás e nossa incipiente indústria de transformação;

adriano disse...

O importante hoje eh a tal comichao da verdade. O resto eh preocupacao de burgues....

Anônimo disse...

Está tudo indo por água abaixo. Tudo parando por falta de trabalho ou por greves no setor privado e público, mas os impostos estão se elevando, como se percebe nos alimentos caríssimos. É a degradação geral.

Reclamem agora com a DILMA surda!!!

Anônimo disse...

DEVEM POR TODOS IMIGRANTES NUM ONIBUS E MANDAREM PARA BRASILIA, LA DEVE TER EMPREGOS, AGORA QUANDO OS CAXIENSES FICAREM SEM SEUS EMPREGOS VÃO SE DAR CONTA.

Anônimo disse...

Onde anda o diretor da Marcopolo amigo de Dilma que canta(va) aos 4 ventos, durante anos, nas reuniões da Cic sobre a maravilha que está(va) o Brasil.

fred oliveira disse...

O desemprego se espalha com as empresas em crise. E nao sao apenas as vinculadas a quebra da petrobras, nao. Muitas empresas de varios segmentos estao falindo. Quebradeira se espalha e perspectiva nao e' nada boa para a economia nacional. Um desastre esse governo.