Receita começou a patinar no RS com economia crescendo menos em 2014

Foi de R$ 15 bilhões a arrecadação gaúcha no primeiro quadrimestre, o que significa alta nominal de 11,1% em relação a igual período do ano passado. Deste total, R$ 8,3 bilhões foram de ICMS, alta nominal de 10,3%.

. A trajetória de alta do primeiro trimestre não se confirmou em abril, conforme o editor já demonstrou neste espaço. A receita subiu apenas 6,1% nominal, o que significa que não houve crescimento real.

. A partir de agora, o governo terá que se contentar com crescimentos menores na arrecadação, porque o PIB cresce a ritmo bem inferior ao do ano passado, já que a economia desacelera a olhos vistos no RS e no País. Mesmo assim, o governo mantém a projeção original de arrecadar R$ 26 bilhões em ICMS neste ano.

. Pelo lado das despesas, o problema maior foi criado pelo próprio governo Tarso, e está no item Folha de Pessoal. Ela consumirá quase toda a receita de ICMS do ano, ou seja, R$ 21 bilhões.


. As despesas com a máquina pública e com os serviços das dívidas, cada vez maiores no atual governo, não permite investimentos substantivos. No quadrimestre, os empenhos relativos a investimentos somaram pífios R$ 450 milhões. O governo confia em empréstimos para suportar investimentos previstos de R$ 1,6 bilhão para o ano. 

4 comentários:

Luiz Vargas disse...

O desgoverno tabajara já tem o plano de emergência: nada que uma metida de mão nos depósitos judiciais não possa resolver.

Anônimo disse...

Quase toda arrecadação para pagar a folha de um estado que não funciona.
Tem algo muito errado nisso.

Anônimo disse...

Manda o Atraso Genro chamar o Arno Augustin para mostrar como se pode dar uma "maquiada" nas finanças do Rio Grande!

jaco do morro belo disse...

É desculpa para não pagar o piso para o magistério.