EUA: acordo reduzirá incertezas, mas é mais pressão sobre o dólar

A jornalista Miriam Leitão, O Globo, que está nos Estados Unidos, disse nesta sexta-feira na CBN que os EUA, que está se recuperando, discute a negociação de uma cordo fiscal, o que ocorre no Congresso. Leia tudo:

Nos últimos dois anos, vimos um conflito grande entre republicanos e democratas em torno das questões fiscais, mas desde terça-feira, a situação está evoluindo para a aprovação de um acordo que pode dar mais previsibilidade à política orçamentária. Já vimos, este ano mesmo, momentos de estresse em relação à não aprovação do orçamento e da elevação do teto da dívida.
Esse acordo prevê o aumento do gasto no curto prazo e elevação dos cortes de longo prazo. Já vimos o "sequestro" de gastos, o corte automático de despesas, que acaba prejudicando todo mundo. Agora, a ideia é devolver parte do gasto que foi reduzido por esses cortes e fazer um acordo que, a longo prazo, diminuiu bastante as despesas.
Os dois partidos não estão completamente felizes, mas cada um está cedendo um pouco. Os últimos anos foram de radicalização, agora está se vendo um diálogo. E é bem possível que cheguem a um acordo.
A possível aprovação de um orçamento, a recuperação americana e a confirmação de Stanley Fischer como segundo nome do BC americano indicam que aqueles estímulos monetários à economia, provavelmente, começarão a ser retirados.

É bom que a economia americana cresça, mas cada vez que há a impressão de que os estímulos serão retirados, o dólar sobe. Essa volatilidade prejudica as economias como um todo, produzindo efeito inflacionário, adiamento de exportações.

2 comentários:

Anônimo disse...

Impossível levar esta Miriam Porcalhão a sério.

Anônimo disse...

Miriã Leitão, canoa furada.
Falta alguém na copa/cozinha...