CNT avisa que apagão logístico é iminente no Brasil

 Em matéria divulgada pelo Jornal Nacional, senador e Presidente da CNT mostrou, nesta sexta a noite, preocupação com escoamento da produção e a situação das estradas brasileiras

. O senador e Presidente da Confederação Nacional do Transporte (CNT), Clésio Andrade, mostrou, mais uma vez, preocupação com situação das estradas brasileiras e com um possível apagão logístico no país. A apreensão do senador Clésio Andrade tem como base a 17ª Pesquisa CNT de Rodovias, divulgada nesta quinta-feira, que mostra que nos últimos 11 anos o governo federal deixou de investir mais de R$ 40 bilhões na expansão e na melhoria da malha rodoviári (leia reportagem a seguir).

. “Isso vai ter uma hora que vai criar um apagão logístico, vai ter uma hora, que as filas não serão só no porto de Santos, nós vamos ter quilômetros e quilômetros de caminhões parados em todo sistema rodoviário brasileiro porque não se consegue escoar a produção”, finaliza o senador Clésio Andrade.

CLIQUE AQUI para examinar toda a entrevista.

5 comentários:

Anônimo disse...

Em busca da consolidação da candidatura do senador Aécio Neves (PSDB-MG) à Presidência em 2014, aliados do mineiro se articulam para tentar frear as movimentações do ex-governador de São Paulo José Serra.

Em conversas com o governador paulista, Geraldo Alckmin (PSDB), e com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, emissários de Aécio manifestaram desconforto com a conduta de Serra, que viaja o país com agenda de pré-candidato desde que anunciou sua permanência no PSDB, em outubro.

FHC, dizem interlocutores, estaria "surpreso" e "chateado" com o paulista e tem aconselhado Aécio a se posicionar como o nome oficial tucano na disputa pelo Planalto.

A mensagem foi transmitida a aliados de Serra, que chegou a dizer que 2014 reservaria "muitas surpresas" no cenário eleitoral. A fala foi interpretada por aecistas como indicativo de que o ex-governador seguirá no páreo pela candidatura presidencial tucana.

Serra participou recentemente de eventos políticos em São Paulo, Rio Grande do Sul e Bahia.

kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk...

Estes Tucanalhas não se entendem.

Podem escrever, será o Serra o candidato... e perderá novamente...

Anônimo disse...

Tá ruim as estradas, não dá nem pra jogar um bolinha nelas! Não é mesmo, asno do Sgarbi?

Anônimo disse...

Sigilo? O MP é fiscal da lei, não dono da lei:

A saída de Roberto Gurgel da chefia do Ministério Público Federal parece ter preenchido uma lacuna na aplicação da lei neste país.

Ontem, a corregedoria do Ministério Público Federal abriu sindicância para apurar a razão que levou o Procurador Rodrigo de Grandis a deixar engavetado o pedido de investigação suíço sobre a propinagem que correu solta sobre os trilhos do Metrô e da Companhia de Trens Metropolitanos dos governos tucanos de SP. A corregedoria Conselho Nacional do Ministério Público, que não é composta apenas de membros do MP, também abriu investigação.

Hoje, na Folha, revela-se que a história da “gaveta errada” é uma farsa: e-mails do Ministério da Justiça e de promotores de São Paulo ligados às investigações do caso Alstom é, simplesmente, mentira.

A democracia não pode conviver com “engavetadores-gerais da República”, como tivemos durante o governo Fernando Henrique, muito menos com a “ferocidade seletiva” que Gurgel implantou: contra a esquerda, pressa; contra a direita, desídia.

Mas há, ainda, outro obstáculo a ser superado.

Pode e deve haver sigilo em investigações criminais, mas não sobre atos administrativos.

O procurador Rodrigo de Grandis é um servidor público e seus atos estão sob o comando do artigo 37 da Constituição, de determina a publicidade das ações de Estado.

Por conseguinte, também das razões da não-ação, da omissão.

Se o MP deve dizer o que fez e porque fez, também deve explicar o que não fez e a razão de não fazer.

No caso do chamado mensalão, Gurgel parecia uma matraca.

Não se pede o mesmo.

Mas se exige a transparência, a menos que o sigilo, como parece, seja privilégio do que envolve os tucanos ou a Globo, no caso de sonegação fiscal ao qual o MP deu de ombros.

Por: Fernando Brito

Justiniano disse...

Estive essa semana no Centro-Oeste e a preocupação com a situação do escoamento da safra, já provoca gargalhos logisticos imensos, já é comum, agora, ver filas de 40 a 50 treminhões (7 a 9 eixos)juntos nas rodovias como a BR163 e a BR 070.


Imaginem quando do escoamento da safra de soja em janeiro. Essas rodovias vão simplesmente parar. E O governo não faz nada e ainda atrapalha, pois não adianta fazer operação tapa-buracos, nessa época de chuvas. Há muitos buracos nessas duas rodovias e a tendência é somente aumentar. Há muitas placas sobre duplicação, mas que são somente eleitoreiras, pois não há obras.

Anônimo disse...

Tamanho desmanche da infraestrutura não pode ser creditado apenas à incompetência. Só pode ser algo premeditado