Artigo, Eduardo de Carvalho Andrade - Oportunidade desperdiçada (o descontrole da inflação)

Neste artigo publicado na Folha desta quinta e que vai a seguir na íntegra, o doutor em economia pela Universidade de Chicago, Eduardo de Carvalho Andrade, propõe mudanças na definição da meta de inflação para o ano que vem, fixada em 4,5%. Leia o que ele escreve:

O governo decidiu manter para 2015 a meta de inflação de 4,5% com um intervalo de 2 pp (pontos percentuais) para cima ou para baixo, que vigora desde 2006. Mas ele poderia ter aproveitado essa oportunidade para realizar ajustes graduais de forma a recuperar sua credibilidade e ancorar as expectativas futuras de inflação.O governo luta para evitar que a inflação ultrapasse o limite superior de 6,5% do regime de meta de inflação. A oposição utiliza o surto inflacionário para enfraquecer politicamente a presidenta. O fato é que a credibilidade do governo para enfrentar a subida dos preços está abalada e ele deveria implementar mudanças no atual regime de metas para tentar recuperá-la. A primeira mudança seria reduzir o intervalo da meta de inflação, de 2 pp para 1 pp. Dessa forma, mantido o centro da meta de 4,5%, a inflação em 2015 deveria ficar entre 3,5% e 5,5%. CLIQUE AQUI para ler tudo. 

. O governo tenta desesperadamente conter a inflação abaixo do limite superior de 6,5% que traçou para a meta da inflação deste ano, mas o índice já superou o índice.

. O aumento da taxa de juros pela terceira vez seguida (a Selic foi para 8,5%), mesmo com a economia patinando, é uma clara evidência de que o governo tenta reduzir ainda mais o ritmo de crescimento da economia, encarecendo o custo do dinheiro e com isto forçando a diminuição do consumo - e dos preços. 

Nenhum comentário: