Reunião de "emergência" de Dilma foi rebate falso. Ela esteve com três ministros, entrou calada e saiu calada.

- Alguns jornais e sites chegaram a anunciar que a reunião seria de emergência, mas sabe-se agora que Dilma conversou apenas com três ministros: José Eduardo Cardoso, Justiça; Aldo Rabelo, Esportes; Aloisio Mercadante, Educação, mas na verdade seu mais novo conselheiro político pessoal. Ficaram de fora os ministros da Casa e importantes operadores políticos do governo e do PT: Gelise Hofmann, Casa Civil: Gilberto Carvalho, secretaria Geral; Ideli Salvati, Institucional. 

Depois da reunião que teve de manhã com os ministros da Justiça, Educação e Esportes, a presidente Dilma Roussef nenhum indicativo emitiu sobre o que vai fazer diante das manifestações cada vez maiores, numerosas e agressivas que ocorrem em todo o País.

. O governo continua aparentemente perplexo com os acontecimentos, mas durante o dia poderão sair novidades, porque o Planalto não poderá prosseguir calado por muito tempo, já que a autoridade pública está sendo erodida com o silêncio de Dilma. 

. Alguns setores do Planalto e do PT gostariam que ela falasse por meio de cadeia de rádio e de TV, mas para isto seria necessário que a presidente fosse capaz de revelar conhecimento sobre o que ocorre e decisão para anunciar mudanças duríssimas, capazes de acalmar a população. 

7 comentários:

Anônimo disse...

Ela está tão alienada, que esta quse certa a liberação de mais 400 milhões de reais para conclusão das obras do tal "itaquerão do coringão", via BNDES... ai sim não vai sobrar pedra sobre pedra.

A decisão esta para ser tomada entre hj e a semana que vem, da maneira mais "discreta" possível. Que o povo monitore isto !!!!!

Anônimo disse...

Dilma que sempre tem o que dizer, principalmente em defesa, de Lula, Mantega, ou do PT, percebeu que seu governo é indefensável.
Vamos aproveitar este momento de puro prazer que é o silêncio desta incompetente.


CARLOS SGARBI disse...

A autoridade esta sendo erodida... Vc acredita mesmo nisto? E uma pena que neste momento, jornaleiros engajados, ainda pensam que o pais precisa destes profissionais que dizem fazer jornalismo. Passaram a vida toda mamando nas tetas dos tributos da sociedade, via verbinha de publicidade publica, JABAS e BVS, e agora, momento unico neste pais, pensam que podem pegar carona. Nao acordaram, ainda. Imaginam que algum ouve, alem da TFP e logico, seus urros. Mas e um grupelho articulado, aonde os expoentes, Jabor, Mainardi, Azevedinho, A Nunes, Merdal, Miriam Peitao, Dora Mentirao, Eliane Tucana, etc., comecam criticando, observam que nao colou e, como um caboclo que nao tem a minima nocao da realidade, muda radicalmente seu foco. Ou seria interesse?

Anônimo disse...

Os outros ministros não foram porque estavam trocando as cuecas!

Anônimo disse...

Sgarbinator sem argumento apela pra velha oratória goebeliana. Tá no desespeero, huahuahuahua

Anônimo disse...

O Lula tá te deixando estressado CARLOS SGARBI!

Evidentemente que se Lula soubesse escrever teus serviços seriam desnecessários, ne carlos!

Faça como o mineirinho, teu compadre, JOSE DIRCEU, vá pescar CARLOS SGARBI, o Rio Ipiranga tá dando.

Anônimo disse...

Esse tal Sgarbi é completamente sem noção ... Não refere que a Emenda Constitucional n.º 19 (onde toda a parte administrativa do Estado foi organizada, nomeadamente a dos servidores públicos) foi obra e mérito de FHC, assim como a Lei de Responsabilidade Fiscal, Controle da Inflação através do Plano Real, dentre outros tantos benefícios que este Estadista nos brindou. Na verdade FHC arrumou a cama para a "cambada" desarrumá-la, valendo o mesmo para o (Des)governador Tarso que como Min da Justiça e aparelhamento da PF conseguiu "implodir" o excelente governo de Yeda, além de até bandido internacional ter legalizado a estada e guarida no País ! Meu Deus, só alienado para cair no conto destas sanguessugas. Aconselho ao Sr. Sgarbi ler a "Revolução dos Bichos" de George Orwell que bem retrata, de maneira metafórica (animais) a triste realidade destas atrasadas instituições e pessoas ditas de esquerda.