Juíza federal baiana invade competências e manda MEC suspender cortes de verbas para Universidades

A juíza federal Renata Isaac, 7a. Vara Federal da Bahia, determinou que o Ministério da Educação (MEC) suspenda os cortes em universidades federais.

A decisão foi tomada em uma ação apresentada pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UnB.

É uma decisão estapafúrdia, invade competência constitucionalmente atribuída ao Poder Executivo e será derrubada.

24 comentários:

arq.wilson disse...

Qualquer profissional pode ser punido por erro, então que isto se aplique também a profissionais do judiciário, assim acabaria com o ativismo político.

Anônimo disse...

Mas antes de derrubar, seria o caso de embargos de declaração para esclarecer de onde sairiam os recursos. Quem sabe ela não disponiblizasse os próprios subsídios!

Anônimo disse...

🇧🇷 Fico com vergonha pelo despreparo e ignorância dessa juíza ela deve pensar que dinheiro dá em árvores. 🇧🇷 O que me espanta é que isso seja uma juíza!

Anônimo disse...

Eu transferia essa juiza para uma região bem remota no BRASIL,UMA JUÍZA QUE NÃO SABE ATÉ ONDE VAI SUA COMPETÊNCIA.Merece trabalhar numa região numa cidade que para cagar tem que usar fossa.

Dias T. Lagostin disse...

Petralha de carteirinha.

Anônimo disse...

Kkkk. Até a juíza não sabe a DIFERENÇA de CORTE de CONTINGENCIAMENTO!???? Que vergonha para a magistrada.

Anônimo disse...

Kkkk. Até a juíza não sabe a DIFERENÇA de CORTE de CONTINGENCIAMENTO!???? Que vergonha para a magistrada.

Anônimo disse...

Nesse caso a juíza voltaria para o seu quadradinho de imediato.

Anônimo disse...

Se fosse eu contigenciava nos repasses do judiciário ...queria ver a gritaria !

Anônimo disse...

o Judiciario agora resolveu governar...

antes não ostentavam tanto zelo pela coisa publica...

vide o mensalão e o petróleo, tudo gestado bem debaixo do nariz da nação...

Anônimo disse...

esse descolamento da realidade dos nossos juízes é porque no Judiciario a grana nunca é curta...

o dinheiro pinga religiosamente na conta todo mês, o orçamento é sempre incrementado a cada ano e por isso tomam-se decisões como essa sem nenhum lastro com a realidade...

Justiniano disse...


O judiciário também tem uma banda podre petralha, que como sempre demonstram a sua incompetência.

Luiz disse...

O judiciário nós deixa mais en envergonha,à cada amanhecer. Essa tal juíza deve ser denunciada por incompetência e sem um mínimo de discernimento. Ratazanas

Anônimo disse...

Nos governos do PT, quando um juiz Federal invadia sua competência, como no caso do ex-juiz moro, ter quebrado o sigilo telefonico da Presidente Dilma (competência do STF) e ainda ter vazado a conversa para a o JN e imprensa em geral na anti vespera da votação do impedimento da Camara o editor e os aécistas, hoje, Bolsominios vibraram. Esqueceram que pau que bate em Francisco bate em Chico.

Anônimo disse...

A direita e a mida marrom glace alimentaram juizes e membros do MPF a extrapolarem suas competência nos governos do PT, agora sofrem o revéz.

Anônimo disse...

Juiz bom é só quando ferra petistas....

Anônimo disse...


O Judiciário é formado de juízes vagabundos que não estão interessados no país. Tem também os ativistas petralhas. Estes só merecem virar sabão.

Anônimo disse...

Perfeito arq Wilson. Matou a xarada.

Anônimo disse...

O judiciário vive num outro Brasil que não é o mesmo dos mortais. Cheio de mordomias sustentadas pelo povo cada vez mais empobrecimento. Até quando vamos carregar este peso morto???

Anônimo disse...

o Judiciario brazuquês de repente foi tomado por uma vontade de governar o país...

sem terem voto para tal, claro...

Anônimo disse...

Achei que ela ia dizer de onde virá a GRANA!!

Anônimo disse...

A Dra. Renata DISSE QUE O GOVERNO PODE CONTINGENCIAR UNS 50% DOS SEU GORDO SALÁRIO, TUDO PARA NÃO CONTINGENCIAR VERBAS DA EDUCAÇÃO! Uma verdadeira heroína, essa juíza!! Ou será que a Dra. Renata ACHA QUE DINHEIRO DÁ EM ÁRVORES?

Anônimo disse...

Realmente a juiza desejou talvez um momento de fama, ora o Executivo pode legalmente fazer contingenciamento, isso esta na lei. O problema que muitos juizes nada sabem de economia e nem de finanças públicas.

Anônimo disse...

O mais "curioso" é uma ação de autoria de um DCE da UNB (Universidade Federal de BRASÍLIA), ao que parece, em conjunto com a ação do senador Randolfe Rodrigues eleito por AMAPÁ, ser ajuizada na BAHIA!

Tendo em vista que não estão nem na região nordeste, o Senador da Região Norte e a Universidade do Distrito Federal, impetrar uma ação no estado da Bahia, da Região Nordeste é, NO MÍNIMO, curioso.