Ciclo gaúcho das Jornadas da Reforma Trabalhista encerrou ao meio dia no Sheraton, Porto Alegre

Um grupo de manifestantes do PT, Psol e PCdoB concentrou-se diante do hotel para protestar.

O editor ouviu agora há pouco, no Sheraton, Porto Alegre, o ministro da secretaria Geral da Presidência, Ronaldo Fonseca, que antes de viajar para o Sul recebeu informação do ministro dos Direitos Humanos, Gustavo Rocha, comunicando que a liberação de 100 mil reais — sem chamamento público — para uma ONG abortista realizar um seminário contra “as bancadas religiosas” no Congresso, “foi um erro cometido por uma secretária exonerada”.

Houve reclamação de Ronaldo Fonseca, que é pastor da Assembleia de Deus.

O ministro falou ao meio dia no encerramento do ciclo gaúcho das Jornadas de Relações do Trabalho.

Um público de 250 pessoas lotou o principal salão do Sheraton.

O primeiro expositor da tarde foi o pai da reforma trabalhista Ronaldo Nogueira (foto desta tarde, acima). 

Agora, as Jornadas irão para uma série em 20 Capitais.

Um comentário:

Anônimo disse...

Comício para o pastor Nogueira.